Terça-feira, 16 de Março de 2010

Transe e êxtase - O Poder dos Sonhos e Entrevista com o Pajé Sapaim.

Transe e êxtase

Por: Piers Vitebsky




Tremores, arrepios, pele-de-galinha, desmaios, queda no chão, espuma pela boca, olhos protuberantes, insensibilidade ao calor, ao frio e à dor, tiques, respiração ruidosa, olhar vidrado....são algumas das características do estado de transe. Como é possível que este tipo de comportamento represente sinais de um estado divino? Embora perturbantes para muitos, estas manifestações representam parte essencial de muitas das atividades dos xamãs deste mundo.

O estado de espírito do xamã durante a iniciação e atuações reveste-se de mistério. O estado de transe parece envolver a concentração da atenção numa área, acompanhada de uma reduzida consciência de tudo o que rodeia o centro da atenção.

A moderna discussão do transe faz-se vulgarmente em termos de um ou mais "estados alterados da consciência" ou mesmo até de um "estado xamânico de consciência" . Tanto para o xamanismo como para a possessão, é fundamental que ocorra um tipo qualquer de transe, embora o transe de um xamã, contrariamente ao de uma pessoa possessa, seja altamente controlado. Isto deve-se provavelmente à natureza da iniciação, que se desenrola e repete em prestações rituais.

Quer a menina sora (tribo aborígene da India), descendo em sonhos até o mundo subterrâneo, quer o futuro xamã siberiano, que, em visões, é raptado, torturado e desmembrado, ambos repetem partes das suas experiências de iniciação todas as vezes que fazem uma jornada, no decurso de seu trabalho. Durante a iniciação, o futuro xamã não teve o conhecimento e os recursos necessários para suportar os esforços do que ele ou ela vão passar, e a violência da experiência foi associada a incapacidade de a controlar. Na verdade, era muito semelhante a possessão involuntária. A partir do momento da iniciação, assinalada pela morte de si próprio e da sua personalidade, e a partir daí em ações regulares, o xamã opera agora como uma pessoa recém-formada ou muito melhorada.



O transe está intimamente ligado ao êxtase . Estas duas palavras são por vezes utilizadas indiferentemente, ou então o transe usa-se como termo médico, referido ao estado psicológico da pessoa, e o êxtase como termo religioso, essencialmente para o mesmo fenômeno. Todavia, o antropólogo americano Rouget argumenta que o transe e o êxtase deverão ser considerados como referentes a tipos muito diferentes de sensibilidade religiosa. Enquanto o êxtase implica a imobilidade, o silêncio e a solidão, o transe depende do movimento, do ruído e da companhia. O êxtase abrange a provação sensorial, enquanto o transe, pelo menos, envolve a superestimulação dos sentidos.

Rouget estabelece a comparação entre os marabus, ou homens santos muçulmanos, no Senegal "que buscam o êxtase no silêncio, e solidão em sua grutas", com os praticantes do ndop, que entram em transe no meio de uma grande multidão, estimulados pela bebida, por uma dança frenética e pelo bater dos tambores.

Mesmo que aceitemos essa distinção, o êxtase e o transe coexistem em muitas religiões, e até mesmo em indivíduos. Os xamãs podem muitas vezes fazer uso da contemplação, como no caso da busca das visões, entre os índios norte-americanos.

No entanto, a idéia da própria jornada cósmica, com a luta que a caracteriza para vencer inimigos e ultrapassar obstáculos, explica a razão pela qual a experiência xamânica tende a ser vigorosa, em especial no xamanismo clássico.

fonte:
http://www.xamanismo.com.br/Universo/SubUniverso1191191114It010



O Poder dos Sonhos


Os sonhos revelam nossos mais profundos mistérios. O pensamento nativo crê que a alma funciona como uma ponte entre o espírito e o corpo. A alma transpõe a mortada rígida do corpo voando para o infinito mundo do espírito, ultrapassando os limites da fantasia, da imaginação. Poder vivenciar fatos extraordinários num mundo de infinitas possibilidades.

Muitos pajés brasileiros, como o Pajé Sapaim,*ver a entrevista* por exemplo, sonham com o paciente e com a planta que será ministrada. Estudos mostram que os xamãs da Ásia, América e África, tinham sonhos que os permitiam curar seus pacientes. Em muitas iniciações o xamã sonha com a morte (morte iniciática), vê seus orgãos arrancados do corpo, depois ele renascido sobe renino dos espíritos, aos céus, para conversar com outras almas, conhecer medicinas de ouitros xamãs mortos ou espiritos ancestrais, diagnosticar doenças.

Nos sonhos encontramos seres nunca antes vistos, terras e paisagens e mundos, no conhecido e desconhecido. Voltamos ao passados, encontramos almas queridas que que conviveram conosto neste planeta. Voamos sem limites.

Passamos em média um terço de nossas vidas sonhando. Separamos a vida em acordado e sonhando. Vivemos o sonho como se não fizesse parte de nossa realidade. Uma parte essencial de nossa vida. Vivemos um terço de nossa vida em realidades de múltiplas possibilidades, um mundo invisivel da Terra.

Segundo Stanley Krippner (Sonhos Exóticos - Summus) :

"Muitas tribos nativas, tais como os índios mapuches, acreditam que o ato de sonhar envolve uma jornada da alma para fora do corpo humano. Durante esse período de tempo, a alma poderia observar lugares e eventos distantes, engajando-se no que os parapsicólogos chamam de clarividência. O sonho clarividente é aquele no qual o relato do sonho corresponde precisamente a uma ocorrencia remota ou local da qual o sonhador não teria maneiras ordinárias de tomar conhecimento.

Os índios Mapuches, que acreditavam que sonhos clarividentes envolvem viagens da alma durante o período noturno, trabalham comn sonhos em três níveis. O primeiro é o nível intratextual em que as imagens dos sonhos são estudadas. O segundo é o intertextual, em que os sonhos sâo interpretados de acordo com o passado e os sonhos de outrosa membros da família. O terceiro é o nível contextual, em que os sonhos são interpretados, tendo como base a situação social e emocional do indivíduo. Os dois últimos métodos permitem a participação direta de membros das famílias no processo de interpretação dos sonhos. Eles podem ainda relacionar seus sonhos com os sonhos do sonhador.Os sonhos chados pelos ocidentais de "anômalos" (clarividência, telepatia, precognição), são considerados perfeitamente normais para os mapuches."

fonte:
http://www.xamanismo.com.br/Poder/SubPoder1193137852


 

Pajé Sapaim




Pajé Sapaim da tribo Kamayurá atualmente vivendo na aldeia dos Ywalapiti, ambas no alto Xingu

O Pajé é conhecido internacionalmente, principalmente por ter atendido o ator Leonardo Di Caprio e a modelo Gisele Bündchen que foram fotografados pintados e abraçados com Sapaim. Também ficou famoso pela apresentadora Xuxa, o cantor Egberto Gismonti a cura do ecologista Augusto Ruschi , etc

É considerado entre os indios o maior Pajé. A Aldeia Kamaiurá destaca-se ritualisticamente principalmente pelos rituais Kwarup - A festa dos mortos, o Jawari – Festa dos Guerreiros, Moitará – Encontro de Trocas, a luta corporal huka-huka .

Léo : Quem é Sapaim ?

Sapaim : Eu sou paje e médico da tribo, da aldeia, maior curandeiro do Brasil,. Então, hoje eu sou pajé, e o espírito da floresta me preparou para ser pajé. Então eu to consultando meu povo, a aldeia, eu to cuidando do meu povo muito forte.

E agora o pajé está aqui hoje consultando o branco.E aldeia está tudo bem, bem tranqüilo, porque eu deixei todas as aldeias estão bem. Já faz 3 anos que pajé saiu da aldeia, mas depois eu volto. Pajé não quer morar na cidade, vai ficar sempre na aldeia

Pajé vai ficar um pouco. Pajé quer conseguir o dinheirinho, pajé vai conseguir o que precisa conseguir. A verdade, a minha vontade é que pajé precisa na verdade é comprar motor de popa, porque tem muito barco da aldeia, e o povo sempre ocupando pra lá, pra cá. Então pajé precisa conseguir o barco. O meu barco particular. Para eu viajar, consultar, atender...tudo no rio é longe....então pajé precisa de barco para viajar e consultar.

Léo : Quando o sr. começou a curar? Quantos anos tinha ?

Sapaim : Olha eu...é... tem muito pajés na tribo...e...pajé não aprendeu com eles. Eu fui escolhido por Mamaé. Mamaé que significa o espírito.

Na época que eu nasci de minha mãe....o espírito estava lá olhando quando eu nasci...quando eu nasci de minha mãe o espérito sentiu minha energia...quando eu nasci. Disse que para ela eu nasci forte e muito bom. Então o espírito me escolheu.....para eu ser pajé. E, eu não sabia que ele tinha me escolhido para ser pajé....e eu cresci...andei...e eu acho... que eu

Tinha mais ou menos nove anos de idade. E chegou meu sonho...primeira coisa eu sonhei.....eu fumava charuto...um charuto grande...eu fumava....e voava...e corria no sonho. Eu cai dentro da lagoa e vi todos os espíritos dos peixes, os espíritos que vivem na água. E com isso eu ficava sonhando...sonhando...sonhando....até que me deu medo esse sonho. E...meu pai já foi pajé também. Meu pai ele entrou....

Léo : Como chama seu pai ?

Sapaim :O nome de meu pai é Kutamaph, e ele entrou e eu estava chorando, estava chorando muito porque....eu estava com medo do sonho...e quando ele me viu...ele perguntou : Porque você está chorando ?Alguém te bateu ? Alguém brigou com você ? Eu respondi :Não! Ninguém brigou comigo! Eu estou com medo desse sonho ?

Ai parei de chorar e perguntei : Me explica o que significa este sonho ? Está dando medo ! E ele me explicou :

Você não sabe, Mamaé escolheu você para ser pajé . Eu disse: Não ! Eu não quero ser pajé...não quero não. Aí ele explicou : Você vai ser pajé !

Aí eu cresci...e fiquei rapaz...eu acho que mais ou menos 12 anos... que aconteceu. Eu acompanhei meu irmão mais velho...ele é pajé também...o nome dele é Tacumã. O meu pai já tinha falecido. Aí eu lembrei muito meu pai e fiquei muito triste...e lembrava o que ele dizia de eu ser pajé....e acompanhava meu irmão...no começo... e a gente fou plantar mandioca, milho, melancia, abaxi, banana...e de manhã, por volta das 10h não tinha vento...e derrepente veio a luz do Mamaé, bem grande, onde nasce o Sol...

Léo : Como é Mamaé ? Ele tem a forma de um animal ou de um homem? É um índio?

Sapaim : A forma de uma pessoa ! Não é bicho !

Aí veio bem branco e caiu em nosso lado...caiu e estourou....bummm...aí subiu...e derrepente eu recebí uma energia dele...Como se a gente está com febre né...aí eu falei :

Meu irmão...eu não to bem...to com febre . Ele disse: Então...vamos para a nossa oca. Vamos voltar.

Aí nós chegamos tarde...por volta das 4:30h...quando eu cheguei na minha oca, piorei muito...Piorei bastante. E, deitei na rede....e quando o Sol acabou...ele veio....Mamaé veio. Entrou e foi direto onde eu estava...onde estava a minha rede...aquele charutão grande e comprido....

Léo : Só com Tabaco ou com outras ervas ?

Sapaim : A gente faz charutos só com a folha do fumo.

Aí Mamaé sentou...só que a família da oca não viu ele entrar...Ele sentou ao meu lado e ...minha irmão e meu irmão...fizeram fogueirinha para me esquentar...eu tava tremendo...e eu via ele....Ele disse : Você ficou com medo de mim quando eu cai de seu lado (tratava-se de uma queda)...eu que cai de seu lado...eu que escolhi você para ser pajé.

Aí não tem como fugir né ? Do que ele falou !

Léo : Mamaé é um espírito que vem do vento, do céu, da terra ..? Da onde vem Mamaé ?

Sapaim : Vem da floresta.

Depois ele disse: Como eu escolhi você....Quando você nasceu de sua mãe...agora já está na hora. Eu vim preparar você para ser pajé . Você vai ser Grande Pajé ! Você vai ser grande curandeiro, eu vou te preparar.

Então ele fumou charuto...e passou energia...e aí eu piorei muito. Dor de cabeça...dor no corpo...tudo. E meu irmão veio me perguntar dizendo : Você está mal, está ruim ? Eu disse : Tô ! Então ele disse: Eu vou chamar o pajé da aldeia para curar você. (Só que ele não via Mamaé ao meu lado).

Então foi chamar os pajés da aldeia...aí vieram dez pajés...dez. Vieram e sentaram, cada um trouxe um charuto né...E aí cada um perguntou :

O que aconteceu ? E disse : Não Sei !!

Então seu irmão foi nos chamar curar você. Você irá ficar bom hoje ou amanhã . E o espírito me falava : Não..você não vai ficar bom agora, ele não conhece a minha energia. Ele não tem como me tirar.

Aí jogaram fumaça, chuparam a cabeça, o corpo, chupava tudo. Olhando ele disse : Eu não estou vendo ? Eu não estou na mão dele ele tentando tirar a minha energia ? Eles não vão conseguir ! Émuito difícil tirar a minha energia ! E aí aí foram embora. Todos os pajés foram embora. Para oca deles. Aí quando eles foram embora...ele fumou charuto...fumou e jogou fumaça no meu rosto e eu desmaiei. E aí..toda a família veio chorando.....

Léo : Para onde o sr. Foi quando desmaiou ?

Sapaim : Eu fui com ele !

Léo : Com Mamaé ?

Sapaim : Com Mamaé. Aí eu voltei, respirei minha energia...e aí toda a família perguntou...o que aconteceu e eu disse : Não Sei ! Não to doente ! Não to doente. Não to mal não ! E derrepente ele tirou a coisa da mão dele, tirou daqui (testa) e fechou meus olhos....

Léo : O que ele tirou ?

É como se fosse um papelão, fita crepe. Colocou na minha boca, e eu não consegui falar, e nos meus olhos, e eu não consegui enxergar...

Léo : Ele cobriu tudo ?

Sapaim : Tudo ! E ele ficou passando a energia em meu corpo e eu fiquei um mês na rede sem comer, sem beber, sem falar, sem enxergar. Depois de um mês ele disse... Ele me chamava de neto...Ele disse: Neto! Você agora está bem preparado, você agora está muito forte, e você vai ser o maior curandeiro da tribo.

Os pajés daqui diziam que era tudo mentira, Que ele não mostrava energia. Que ele tem que mostrar. Aí depois de um mês ele me fez mais uma vez desmaiar. Eu fiquei mais de uma hora desmaiado. Depois ele soprou e eu respirei. Aí ele disse : Agora voce já está bom e pode levantar. Aí eu não sentia mais aquela energia toda na cabeça e fiquei livre. Fiqui bom.

Deepois ele disse : Agora você já está bom e eu vou tirar aqui (Olhos). Tirou pendurou soprou e sumia. Depois tirou daqui (boca) soprou e sumiu. Ele disse : É assim que você vai tirar a dor de seu povo e de toda a sua família. Você tem que mostrar para todos os pajés da aldeia.

Léo : Tirou e apareceu na mão ?

Sapaim : Na mão ! E aí fiquei bom ! Fiqui bom e nunca senti mais nada. Aí ele disse: Agora, você vai ficar na sua oca, não pensa em sai, não pensa em pescar, não pensa em caçar...

Léo : Quanto tempo ?

Sapaim : Fiquei um mês, no outro mês ele deixou..

Léo : O sr comia ?

Sapaim : Aí eu comia ! Aí eu sentia fome depois que eu fiquei bom. Agora quero comer, quero beber ! Eu não comia nada !

Léo : Mas nesses trinta dias o sr. Ficou sem comer ?

Sapaim : Sem comer, sem beber...Ele ficava jogando a fumaça...para eu não sentir fome. Daí...fiquei bom . Aí ele disse : Agora eu não vou dizer para você ficar um mês, dois meses na sua oca não ! Agora você vai ficar dentro da sua oca um ano. E, fiquei um ano...

Léo : Mas...sem comer também ?

Sapaim : Não...ai comendo !

Léo : Mas o sr. Ficava sem sair...de dia e de noite ?

Sapaim : Aí eu não saia nem de dia e nem de noite. Ficava lá preso. Eu só ficava rodando dentro da casa....da oca. Aí depois de um ano ele mandou sair : Pode sair !

Léo : O sr. Ficou até os 10 anos, então, em preparação ?

Sapaim : Em preparação ! Aí eu comecei a trabalhar...eu chamei todos os pajés da aldeia para me ver....

Léo :* Com 10 anos ?*

Sapaim : Não ...com 11 anos. Mostrei o que ele passou para mim...aí eu disse :

Hoje eu sou pajé, Mamaé me preparou para eu ser pajé, disse que eu vou ser o grande curandeiro aqui da aldeia. Agora eu vou mostrar o que ele passou para mim.

Aí fumei charuto ...eu peguei minha pena e limpei minha mão...não tem nada...peguei e saiu o que ele colocou na minha mão...e ficou mexendo...mexendo...e aí todos os pajés levaram susto...todos os pajés viram...todo mundo ficou com medo. E aí eu disse aos pajés :

Eu sou pajé, e é assim que eu vou arrancar a dor de vocês.

Léo : Que fantástico ! Quantos anos o sr. Tem ?

Sapaim : Não sei quantos anos eu tenho (gargalhadas...) E eu saí e depois ele mandou voltar para eu ficar mais dois anos dentro da minha oca.

Léo : Sem sair também ?

Sapaim : Sem sair ! Ele estava me preparando para eu ficar mais forte ainda. A´[i ele me mostrou todas as plantas...qualquer planta eu conheço...qualquer planta..todas.

Léo : Quais são as doenças que o sr. mais cura lá na aldeia ?

Sapaim : Eu curo...tem espírito bom...tem espírito mal...tem animal mal...Então é espírito ruim que está jogando a doença...

Léo : Esse espírito ruim tem um nome ?

Sapaim : A mesma coisa....Mamaé ! Mamaé ruim..

Léo : Ah ! Mamaé siginifa espírito..então ..ruim ou bom ?

Sapaim : É espírito..então esse Mamaé ruim joga doença no povo...e pajé cura...pajé vê...pajé conhece esse Mamaé ruim. Tem o espírito bom que não faz nada...não joga doença...Mamaé bom só ajuda.

Léo : E o Mamaé entra no corpo das pessoas...ele usa o corpo das pessoas , fala através das pessoas ou só fica perto ?

Sapaim : Não, não..ele fala

Léo : Por exemplo, ele entra no corpo do sr ?

Sapaim : Entra !

Léo : Então nessa hora não é mais o sr. Que fala e sim Mamaé ?

Sapaim : É Mamaé que fala .... Mamaé que ta vendo a dor das pessoas.

Léo : Quando o sr, cura então...Mamaé é que está dentro do sr ?

Sapaim : Isso ! Mamaé é que está dentro de mim ! Aí então hoje..eu vejo o espírito...eu converso com o espírito..ele diz o que vai acontecer amanhã ou depois...ele está explicando...então pajé espera o que vai acontecer. Hoje, hoje em dia os brancos estão levando malária, gripe, tuberculose, doenças...então pajé não tem como curar..

Léo : Porque é espírito de branco ?

Sapaim : É espírito de branco...Doença de branco.

Léo : Agora...doenças de índio o sr. Cura todas ?

Sapaim : Eu curo tudo ! Depois eu sonhei para curar as doenças que branco leva...para curar...catapora, sarampo...e então hoje cura doenças de branco também...mas tem a planta para curar sarampo....

Léo : Que planta o sr. Usa ?

Sapaim : Tem boas ervas para curar.

Léo : O sr. Sabe algumas em nossa língua de branco ?

Sapaim : Não ! Só tenho os nomes todos em minha língua.

Sapaim : Eu já mostrei essa planta para a equipe da escola Paulista de Medicina....então já mostrei essa planta.

Léo : O sr. Usa alguma planta para as pessoas sonharem mais ? Para ter uma visão espiritual ?

Sapaim : Tem sim ! Mas, só na aldeia .

Léo :* Como é o nome dela* ?

Sapaim : Só na minha língua ! O nome dela é Iguapó...

Léo : O sr. Faz chá para as pessoas tomarem ?

Sapaim : Não ! Não é chá . É só para passar no rosto, para sonhar.

Tem uma frutinha....sementinha que também uso para sonhar longe.

Léo :* Essa também não toma ?*

Sapaim : Não ! Só para passar no rosto. Aí...recebe aquela energia

Léo : E como se chama ?

Sapaim : Tacupeá ! Eu tenho um pouco.

Léo : O sr. Tem um aí ? E dá para eu sonhar um pouquinho agora com ela?

Sapaim : (gargalhada) Mas eu trouxe só um pouquinho para usar quando eu vou consultar as pessoas.

Léo: E chá? O Sr. Faz algum ?

Sapaim : Sim ! Quando a pessoa está com problema de estômago, pajé faz chá. Pessoal toma e fica bem. Então...hoje pajé trabalha bem...Muito forte... e sonha longe. Eu vejo as pessoas de longe.

Léo : O Tacupeá o sr. Toma antes de fazer o trabalho ? Ou seja, antes o sr. Passa o Tacupeá no rosto ?

Sapaim : Eu passo na minha mão. Quando consulto as pessoas eu uso o Tacupeá pelo corpo. E de noite eu passo.

Léo : Para sonhar ?

Sapaim : Para sonhar !

Léo : Para falar com os espíritos, por exemplo ?

Sapaim : Assim eu posso descobrir de onde vem a doença.

Léo : E quando o sr descobre de onde vem a doença, o que faz ?

Sapaim : Daí quando eu descubro a doença e da onde vem, o espírito vai me mostrar. Então, eu conheço toda e qualquer planta, qualquer árvore. Bom, os médicos da Associação paulista, até hoje ficam encima de mim, do pajé, eles querem que eu mostre o remédio bom. O segredo do pajé. Pajé não abre a mão para eles.

Bom ! Então eu virei pajé...aprendi através de Mamaé. Então hoje sou pajé forte.

Léo : O que significa Sapaim ?

Sapaim : Sapaim significa “índio pequeno”. Na língia da tribo “índio pequeno”, mas pajé cresceu !? (gargalhadas)

Sapaim é o apelido que Orlando Villas Boas me deu. “Índio Pequeno que não cresce, que mora num buraco de pedra.

Então...hoje não é mais Sapaim. Eu entreguei Sapaim para

o meu neto novo. Então hoje ele é que é Sapaim . Agora eu sou só...Pajé.

Léo : Qual é o seu nome verdadeiro na língua da tribo ?

Sapaim : Meu nome é Yanomaká Kumã !

Léo : E o que significa ?

Sapaim : Onça ! “Grande Onça” . Kumã é grande, Yanomaká é onça.

Léo: * A maior das onças ! É isso ?*

Sapaim : É !

Léo : Muitos brancos estão usando a medicina de índios de várias tribos, de vários países. Como o sr. vê isso ?

Sapaim : Hoje em dia, o branco não é minha área. Não é da minha terra. O branco está estudando as ervas de outros índios...outros povos...Na verdade os brancos estão estudando...pesquisando...E pra mim o que esle está estudando, pra ele vai ser muito fraco. A verdade é que minha erva, ninguém vai conseguir. Pra o branco estudar.....é muito difícil..

Léo : Então o sr faz as curas vendo que doença é....o Mamaé diz qual é a doença e também a planta que vai curar. É assim que o sr. cura ?

Sapaim : É !

Léo :* Por exemplo, o sr. está em São Paulo.....deve ter trazido várias ervas da aldeia?*

Sapaim : Eu não trouxe várias ervas não. Eu trago as que quero trazer. Agora o resto fica guardado.

Léo : Quando sr faz uma sessão.....ela demora quanto tempo ?

Sapaim : Eu consulto pessoa...ela fica deitada...mais 1 hora. Eu tenho que sentir...eu tenho que ver tudo o que pessoas estão sentindo. Aonde a pessoa sente dor...

Léo : Então...não precisa falar nada ? O sr. vai sentindo ?

Sapaim : Eu vou só olhando ! Aí...vou descobrir onde tem dor. Então dali, o pajé arranca a dor das pessoas...com a mão...as duas mãos. E sai na minha mão. Eu mostro...aqui (mostrou as mãos). Eque eu faço...fecho a mão...depois sopro....fuuuuu....E vai embora .

Dr. Wilson Gonzaga : Quando ele diagnostica, ele pega ador. Ele passa a mão e a dor se materializa como uma massa cinzenta meio gosmenta. E todo mundo vê ! Ele faz um gesto, sopra e massa desaparece. Ele tirou do local onde estava doendo.

Léo : Na seqüência ele dá uma erva para a pessoa ?

Dr. Wilson Gonzaga : Hoje ele atendeu o dia inteiro. Depois ele dorme e descobre a erva de cada um, e no dia seguinte ele passa.

Léo : Então ele irá receber as mesmas pessoas amanhã ?

Sapaim : O trabalho continua no sonho.

Léo : Então o sr ainda irá sonhar, e recber a erva que cada um vai ter que tomar ?

Sapaim : Isso ! Exatamente !

Léo : Qual foi a pessoa mais famosa que o sr atendeu ?

Sapaim : Bom...eu já atendi a Ministra da Noruega. Ano passado eu viajei para a Noruega. Então pajé foi lá na casa dela. Pajé consultou...pajé mostrou...e ela sentiu bem. Ela não sentiu mais nada. Ela todo mundo me filmou...eu consultando ela.

Agora já a muitos anos, e primeiro...que mostri meu trabalho....foi Augusto Ruschi...que pegou veneno de sapo.

Naquela época pajé saiu pela primeira vez na cidade....pajé ficava sempre na aldeia. Então, na época do governo Sarney...na época dele...então todo o Brasil se preocupou muito com ele. Tinha ido fazer exame. Não sei quantos anos...o médicos não descobriram o que era esse veneno e a Funai mandou rádio pro pajé, mas a gente não quis sair.

A gente estava trabalhando na aldeia.... por duas vezes a Funai mandou rádio. E como pajé não queria...a Funai mandou avião pra buscar pajé. E pajé entrou todo pintado...e pajé sujou avião...porque pajé veio pintado (gargalhadas). E Raoni, tava lá na Funai em Brasilia, e o presidente da Funai em Brasília perguntou se Raoni sabia curar veneno de sapo. Ele disse: Não ! Não sei curar ! Eu não sou pajé ! Aí ele me mostrou, Raoni me chamava de irmão. Ele disse: Eu tenho meu irmão. Ele é grande pajé e curandeiro.

Então a Funai mandou avião pra buscar pajé. Pajé foi na Funai...e pajé foi conversar com o presidente da Funai....e ele me perguntou se eu sabia curar o veneno. E eu disse : Eu sei ! Eu sei curar !

Então ele arrumou uma passagem...pajé foi para o Rio...primeira vez que pajé saiu. Ai eu consultei o Ruschi...que tava mal. Peguei ele na garganta e no pescoço....e saiu o veneno. O veneno branco do sapo...e mostrei. E Raoni....lá que ele virou pajé. E disse: Eu vou curar também.

Três dias eu fiquei consultando ele. Depois de três dias acabou aquele veneno. Ele ficou muito contente...saiu na televisão...no jornal. Ele já morreu. Ele viveu três anos depois do veneno do sapo . Depois ele pegou outra doença. Não sei se coração? Não sei ! Foi a primeira vez que sai da aldeia.

Então hoje...todos os brancos não esquecem do pajé. Porque eu já mostrei meu trabalho....já mostrei o veneno. Então...hoje em dia...o branco precisa muito do pajé.

Gisele Bündchen foi lá...procurou pajé na aldeia.

Léo : Com o Leonardo Di Caprio ?

Sapaim : Também ! A Xuxa..... Gisele Bündchen, a mãe dela..o namorado (Leonardo)

Léo : A Gisele é bonita...não é pajé?

Sapaim : Não sei ! (gargalhadas). Só que ela não passou pela Funai de Brasília. Ela foi direto, sem autorização. Derrepente...o avião dela pousou na aldeia...a gente nem conhecia ela. E ela disse:

- Eu sou Gisele Bündchen, e este é Leonardo, meu namorado (risos).

Aí ela disse:

- Eu vim procurar pajé....para o pajé me consultar. Ela dormiu na casa do cacique e meu sobrinho, Aritana e aprendeu lá, a fazer bijou, raspar mandioca, e dançou junto com as mulheres e pintaram ela, e pintaram também o namorado dela (Leonardo).

Só que o povo pintou ele (L.Di Caprio) com pintura de mulher !

Léo : Ele quem quis ?

Sapaim : Não ! Nós que quisemos ! (gargalhadas).

Aí eu vi e pensei : Pôxa ! Pintura de mulher ele está usando ? (gargalhadas). Foi assim ! Mas ela gostou muito ! Então é assim..meu trabalho é assim.

Pajé já viajou muito ! Pajé já foi até o Japão, Nova York, Washington, Europa, Marrocos.....Já viajei muito ! Aí depois que o pajé viajou...pajé parou um pouco na aldeia....cuidando de meu povo.

Léo : O sr. já atendeu vários brancos ! Qual é a maior reclamação deles?

Sapaim : O que eu estou mais consultando...é pessoa que manda energia ruim. A gente também tem isso ! É olho grande, inveja, preocupação, nervoso. Então as pessoas mandam más energias para as outras, como eu sou pajé....eu faço a limpeza. Eu tiro !

Então...a pessoa não tem como viver bem, preocupada, não consegue trabalhar bem, porque ele está usando a energia da pessoa que mandou. Isso é o que eu estou vendo!

Léo : O que mais acontece é isso ?

Sapaim : Isso ! Por isso vou tirando...vou limpando....para a pessoa ficar bem. Se você ficar assim muito carregado, pesado, triste, preocupado, nervoso.....você está sentindo a energia da pessoa que mandou, e sua energia fica presa, amarrada. Voc~e não tem como soltar essa energia. É assim que pajé faz !

Léo :* Além de Mamaé, quais são os espíritos que protegem a aldeia.*

Sapaim : Tem vários espíritos.

Léo : Mas qual é o principal ?

Sapaim : Na verdade a gente chama só Mamaé mesmo. Mamaé só...mais nada!

Dr. Wilson Gonzaga : O sr contou uma história sobre Jesus, que o sr. sonhava...e sonhava...e no sonho sonhava..... Pode contar para nós de novo ?

Nísia: Eu perguntei para ele, viu Léo, se ele acreditava em Jesus Cristo...aí ele me contou a história.

Sapaim : Sim é ! O sonho de Pajé é assim : Hoje o pajé vai dormir...vai sonhar... aqui embaixo. (Ele gesticulava mostrando as várias etapas do sonho, como degraus) Lá pajé dorme no sonho (ou seja ele sonha que está sonhando...) .... pajé acorda num outro lugar...pajé olha lá....pajé dorme lá também....pajé sonha....já num outro mundo....E aqui (gesticulava na idéia de degraus) não é mais alto.....o que eu já vi lá...o povo que eu vi....é o povo que mora mais alto. Onde as pessoas que vivem....o povo já não pisa mais na terra....pessoas ficam como pendurados (flutuando). Então o povo lá....as roupas deles são todas brancas, tudo é branco...só não tem cabelo...tudo careca...então tudo anda pendurado.

Então...de lá...vem pensamentos bons...energia boa. Tudo de lá vem aqui para baixo. E...para nós.

Só que o povo joga energia ruim na gente, então...o que veio...atrapalha energia boa. Isto é o que eu estou sonhando.

“Maocini” – Nosso Criador. Eu sonho sempre com ele. De lá vem energia boa. Apessoa que é boa recebe...a pessoa má não recebe. Pessoa boa só recebe energia boa de lá.

Aí pajé veio descendo...acordando....acordando...Quando pajé chegou aqui embaixo.......

Dr. Wilson Gonzaga : O sonho...do sonho....do sonho...

Léo : São os degraus do sonho ?

Sapaim : É assim que pajé está sonhando !

Léo : E a mulher lá na aldeia ? Ela não cura também ? Existe mulher pajé ?

Sapaim : Mulher pajé não cura nada. Mulher pajé só quer namorar ! (gargalhadas)

Léo : Então...ela é mais esperta, não é ? (gargalhadas)

Léo : A mulher não cura na aldeia...então ?

Sapaim : A mulher não !

Nísia : E qual a diferença da mulher da cidade e da mulher da aldeia ?

Sapaim : A índia é muito diferente do que a branca...muito diferente...energia diferente....energia da branca diferente. Porque ? Sempre eu digo como a gente ainda vive...pajé fica nu...índia fica nua. Então energia funciona igual, não tem diferença...Agora energia da branca é diferente. Pra nós como vocês ficam vivendo sempre de roupa....fecha energia. É isto que estou vendo ! Fecha a energia e...num fica assim igual...energia de mulher e energia do homem.

Bia Labate : Muitos brancos te procuram para fazer aprendizado. Daí eu queria saber se eles aprendem e porque você os ensina?

Sapaim : O que eu estou ensinando ? Bom, tem um branco que quer que eu ensine a ser pajé. Só que para ele não é fácil...é muito difícil o branco aprender a ser pajé, aprender a planta. Difícil ! Muito difícil. Ele não tem como sonhar a planta...ele não tem como conversar com a planta...como enxergar, como conhecer a planta. É muito difícil para o branco. Só se o branco...que sabe mexer a planta...pajé conhece...ele estudou a olhar a planta...a pessoa não está mais a própria energia dele...ele está com a energia da planta misturada...a energia da planta vai tirando toda a energia dele e a enrgia da planta passa para ele. Pois eu sei que já tem branco que conhece planta, porque ele está com a energia da planta. Eu hoje não uso mais a minha própria energia...ela acabou...porque eu to com energia do Mamaé. Toda a energia que eu tenho é só Mamaé. Agora minha energia mesmo acabou porque Mamaé limpou, Mamaé trocou.

Bia Labate : Mas tem branco que faz curso com você ? A gente conheceu uma pessoa...O Léo organizou um encontro de xamanismo que o Wilson participou, onde tinha uma pessoa que recebeu um nome seu, uma que chama Yatamalo, e outras pessoas que conheci que também aprenderam com você.

Léo : A Marise Dantas da Paraiba

Sapaim : Sim ! Eu conheço ela. Como ela viu meu trabalho, tirando as dores das pessoas, então ela me viu...então ela disse : Pajé ! Você pode me ensinar ? Eu quero aprender seu trabalho ? É que eu trabalho com pessoas. Como você está tirando a dor ? Você pode me ensinar ? Eu quero ficar pajé.

Eu disse : Olha ! Você é branca ! Muito difícil. Eu posso dar ela pra você...E dei. Não sei se hoje ela está vendo as pessoas...não sei...eu não encontrei ela sabe ? Não sei se ela está vendo a energia das pessoas ! Mas eu dei para ela o nome Yatamalo, o nome das mulheres pajés do Xingu.

Léo :*Qual é mensagem que o sr. daria para nós brancos ?*

Eu posso dar para as pessoas minha energia e meu espírito. Eu posso mandar para o pessoal viver bem, bem tranqüilo...eu mando minha enrgia...eu mando minha reza. Tem reza para mandar para as pessoas...então pessoas recebem meu espírito...minha energia...minha reza...então pessoa já sabe que é para as pessoas viverem bem.

Então as pessoas precisam cuidar de rezar, da energia e do espírito...mais nada !

Ikatu ( Obrigado)


fonte:
http://www.xamanismo.com.br/Aldeia/SubAldeia1192137359It007


 

publicado por luzdecuraeamor às 21:41
link | comentar | favorito
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

SONHOS E VISÕES. TIPOS DE SONHO. O SIMBOLISMO DOS SONHOS. Citações de Livros. O Mundo dos Sonhos


 


SONHOS E VISÕES

O psicólogo inglês Meyers, no seu livro Personalidade Humana, narra um caso acontecido com um contabilista. Ele havia cometido um erro em sua escrita e por mais que se esforçasse não conseguia localizá-lo. Certa noite, exausto de tanto pesquisar, adormeceu e em sonhos viu onde estava o erro: mês de setembro, página tal, linha tal. Maquinalmente, entre acordado e dormindo, anotou esses dados em uma folha de papel à beira de sua cama. De manhã, quando se levantou, havia esquecido o sonho, porém a anotação estava lá. Indo ao trabalho, e conferindo o registro, percebeu que a anotação estava exata. Jâmblico no seu De Mysteriis Aegyptorum assegurava que os sonhos divinos se produzem num estado intermediário entre o sono e o estado de vigília, durante o qual podemos ouvir vozes e sons.

Entre os muçulmanos existe um rito chamado istiqhâra, no qual um homem só vai dormir depois de ter rezado uma prece para ter um sonho capaz de ajudá-lo a resolver um problema. Nos templos gregos e egípcios antigos existiam locais próprios para as pessoas dormirem quando necessitavam ter um sonho revelador. O próprio Jung somente chegou à compreensão da relação existente entre o consciente e o inconsciente mediante um sonho, conforme narrado por ele mesmo na sua autobiografia Memórias, Sonhos, Reflexões.

Incrível é observarmos hoje toda essa herança cultural desprezada pela ciência. Na realidade, esse desprezo é reflexo da atitude da igreja que condenou os sonhos e suas práticas como sendo coisas de hereges, mesmo que o próprio Jesus tenha sido salvo dos soldados de Herodes por causa de um sonho de José. Existe uma diferença muito grande entre sonhos e visões. Os sonhos acontecem quando o corpo dorme e a alma (ou corpo astral) sai do corpo. As visões acontecem mesmo estando nós em estado de vigília. As visões são o funcionamento momentâneo da clarividência. É o tal de sonho acordado. Já os sonhos são a projeção do corpo astral, que todas as noites se despreende do corpo físico e, inconscientemente, perambula pelo Plano Molecular.

TIPOS DE SONHO

Existem pelo menos 5 categorias de sonhos: intelectual, motor, emocional, instintivo e sexual. De um modo geral, todos eles, independente da sua categoria, acontecem de forma incontrolada ou inconsciente. Isso é devido ao nosso estado psicológico atual, de criaturas totalmente adormecidas. Se um homem quiser "programar" ou controlar à vontade seus sonhos terá que deixar de agir mecanicamente quando em estado de vigília. Noutras palavras: quando despertarmos nossa Consciência, deixaremos de sonhar, porque os sonhos são exclusividade das pessoas adormecidas. Como 99% das pessoas são inconscientes, o sonho é o padrão universal e os desdobramentos do corpo astral, a exceção.

No estado atual, de adormecimento e inconsciência coletivas, o homem praticamente não pode mais ter visões lúcidas e claras, como acontecia com os antigos sábios e governantes: estes, inclusive, respeitavam profundamente o dom onírico daqueles que serviam nas cortes e palácios. De qualquer maneira, o homem atual ainda sonha.

 Mas, só para dar uma idéia de como está atrofiada nossa memória onírica, basta dizer que poucos, de manhã, lembram o que sonharam durante a noite. E todo mundo tem sonhos durante a noite, por mais confusos e desconexos que sejam. Quem quiser progredir na ciência dos sonhos deve desenvolver sua memória onírica. Assim, poderá trazer ao consciente tudo aquilo que presenciou, testemunhou, viu, viveu e experimentou durante o sono. A técnica de desenvolvimento da memória onírica está no final deste arcano, nas práticas.

O SIMBOLISMO DOS SONHOS

Muita gente ficou rica escrevendo livros de interpretação dos sonhos. Não queremos entrar no mérito dessa questão. Queremos, isso sim, porque é nossa obrigação, dizer que não existe uma fórmula universal de interpretação de sonhos. A linguagem dos sonhos é muito individual e pessoal. Está intimamente ligada à história de cada um, o que não invalida o princípio de uma linguagem universal. Só que essa linguagem universal não está aberta a qualquer um. É preciso se tornar um Iniciado para conhecer a Linguagem de Ouro, a Linguagem dos Deuses. A principal ferramenta de trabalho para aquele que quer trabalhar com o simbolismo dos sonhos é a intuição. Deve trabalhar intensamente sobre esta faculdade. A intuição sempre age aliada à cultura. Contudo, alguma coisa podemos fazer em favor dos nossos estudantes. Os principais meios de apoio para todo aquele que quiser conhecer profundamente as revelações contidas nos sonhos estão no tarô (especialmente o tarô egípcio), na cabala, nas analogias filosóficas, nas analogias dos contrários, na numerologia, nos símbolos universais, nos livros sagrados,etc..

SONO, MEDITAÇÃO E SONHOS

Existe uma profunda ligação entre o sono, a meditação e os sonhos. O estudante que quiser progredir na ciência da meditação deve aprender a provocar e controlar o sono. Meditação sem sono prejudica o cérebro e não traz resultados. Quando o estudante começa a meditar de forma correta, numa primeira etapa experimenta as realidades ocultas na forma de sonhos. Vêm-lhe à mente muitas imagens confusas, enigmáticas e profundamente simbólicas. Despreparado, não consegue entender. Mas, se for persistente, começará a compreender o que eles (os símbolos) significam em sua vida interior e que papel representam. Numa segunda etapa, o estudante deixará de sonhar. Se dará conta que está fora do corpo físico e então começará a exercer domínio sobre o processo.

Quando uma pessoa se dá conta que está no mundo dos sonhos, pode conduzir a experiência. Isso representa um gigantesco passo dado rumo ao despertar da consciência. Muito mais tarde, no tempo, o estudante que persistir em sua disciplina dos sonhos e da meditação, acordará ou andará totalmente desperto nas dimensões sutis da natureza, podendo ali penetrar ou delas sair à vontade.

A meditação é fundamental para o desenvolvimento dos chakras. Quanto mais se meditar, quanto mais profunda for a meditação, mais elevados serão os planos de consciência que se atingirá. Dia virá em que o estudante obterá o êxtase, o samadhi, o satori, o desprendimento total da alma ou da consciência de todas as amarras da matéria física, emocional e mental. Então, como São Tomás de Aquino, poderá dizer: "Tudo que antes havia lido, tudo que sabia através dos outros não passava de água de rosas...".


Fonte:Não informada
Postado por Dream Yoga
http://yogadossonhos.blogspot.com/




Citações de Livros

 
"Um sonho não compreendido é como uma carta não aberta."
(Talmude)

"Compreende que és um segundo pequeno mundo e que dentro de ti estão o sol, a lua e as estrelas."
(Orígenes)

"(...) quanto mais aptos formos a tornar consciente o que é inconsciente e o que é mito, maior parcela de vida integraremos."
(Jung em: "O pensamento vivo de Jung", Ed Martin Claret)

"Por que deixar uma ferramenta como os sonhos enferrujada? Por que deixar a caixa fechada, quando é um presente que nos foi dado? Um presente com poderes que podem alterar nossas vidas".
(Richard Bach)

"Sem um trabalho voltado para a integração dos sonhos (...) as pessoas não aprendem nada sobre elas mesmas. Assim como temos de nos esforçar no mundo real para transformar uma inspiração criativa em um poema, uma pintura, uma composição musical ou uma obra literária, temos de nos esforçar muito para criar a consciência individual de nossos sonhos para que estes sejam mais do que idéias vagas e passageiras do que há em nosso interior."
(Gayle Delaney em "O livro de ouro dos sonhos", Ed Ediouro)

"Creio que o sonho emprega o máximo de nosso potencial mais precioso: a criatividade. Somos incrivelmente criativos, quando usamos imagens para falar sobre nossa vida. Traduzir uma experiência de vida em imagens visuais, tão consistentemente, tão intensamente... e fazemos isto de modo automático!"
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)

"Uma nova perspectiva nas ciências sociais acontece quando um investigador social consegue, de algum modo, ganhar uma perspectiva de fora do sistema que examina. Não é algo fácil de fazer quando estamos acordados e envolvidos no sistema e, provavelmente, apenas um punhado de teóricos sociais tiveram êxito. É algo que fazemos quando adormecidos. E o fazemos sem o menor esforço."
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)

"À noite, não somente nos sentimos diferentes da maneira de quando estamos acordados, mas também nos separamos temporariamente do sistema social e temos oportunidade de analisá-lo sob uma perspectiva diferente. Nossas imagens sonhadas são quadros enviados de volta à Terra, oriundos de uma câmara situada em um satélite espacial."
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)

"O conhecimento social deve ser tão bem dominado como o conhecimento pessoal, se quisermos avaliar nosso potencial para um senso global de relacionamento conosco e também com os outros. Como seres sociais, transportamos arraigados tipos de ignorância que resistem à identificação, os quais temos dificuldades em extirpar. São estas áreas que têm mais possibilidade de serem visualizadas em sonhos."
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)

"Descobrimos que (...) existem meios de voltarmos ao nosso equilíbrio interior. Alguma espécie de ajuda parece estar disponível. Mais importante, começamos a aprender que a ajuda deriva de algo em nosso íntimo, além de nossas manipulações conscientes, algo que constantemente nos envia pistas sobre os problemas de maior significado para nosso crescimento presente e quão profundamente devem ser sondados tais problemas."
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)


 


"Quando permitimos, as metáforas do sonho nos ajudam a objetivar emoções inaceitáveis de maneira a que possam ser discutidas e mesmo ridicularizadas como absurdamente humanas e, assim, contribuírem para a formação de relacionamentos mais afetuosos."
(Montague Ullman em "O Mistério dos sonhos", Ed Record)

"Tudo o que impressiona e ilustra traz em si o cunho da necessidade, porque indubitavelmente provém da fonte eterna da qual dimana a vida; mesmo a pequenina gota de orvalho sobre a pétala da flor brilha fúlgida aos clarões precursores da aurora."
(Irmãos Grimm em: "Contos e Lendas dos Irmãos Grimm", Coleção Completa)

"Todas as formas de interação com o inconsciente que alimentaram nossos ancestrais - sonhos, visão, ritual e experiência religiosa - estão em grande parte perdidas para nós, menosprezadas pela mente moderna como primitivas ou supersticiosas. Assim, cheios de orgulho e arrogância, com profunda crença em nossa razão inabalável, cortamos as nossas origens no inconsciente e nos desligamos da parte mais profunda de nós mesmos."
(Robert A. Johnson em: "INNERWORK: A chave do reino interior", Ed Mercuryo)

"Jung observou que os aborígines da Austrália gastam dois terços do tempo que passam acordados, em alguma forma de trabalho interior. Realizam cerimoniais religiosos, discutem e interpretam seus sonhos, consultam espíritos e ´vagueiam pelos bosques´. Todo esse esforço consistente é devotado à vida interior, ao reino dos sonhos, totens e espíritos - isto é, a fazer contato com o inconsciente. Nós, modernos, mal podemos dispor de algumas horas livres da semana para nos dedicarmos ao mundo interior. É por isso que, apesar de toda a nossa tecnologia, chegamos a saber menos sobre Deus e sobre nossas almas do que os povos aparentemente primitivos."
(Robert A. Johnson em: "INNERWORK: A chave do reino interior", Ed Mercuryo)

"A reputação de equilíbrio psicológico atribuída aos senois vem do seu trabalho com os sonhos, cujo significado os orienta nas decisões relativas à vida tribal. (...) Se uma criança senoi sonha que está sendo atacada, a família a encoraja a voltar ao sonho e enfrentar o agressor. (...) Eles acreditam que ´lutando até a morte´ num sonho, libera-se uma energia positiva da parte da consciência que formou aquelas imagens."
(Soozi Holbeche em: "Como os sonhos podem nos ajudar", Ed Cultrix)

"Um bom exemplo de uma cultura baseada no sonho é a dos senois - uma tribo primitiva que vive na Malásia. (...) Também li o livro ´Creative Dreaming´, de Patrícia Garfield, no qual ela descreve os encontros que teve com eles. (...) disseram-lhe que os senóis viviam em tamanha harmonia uns com os outros, e também com as tribos vizinhas, que nunca se teve notícia de que tenham guerreado."
(Soozi Holbeche em: "Como os sonhos podem nos ajudar", Ed Cultrix)

"Os senoi (...) ensinam as crianças, desde pequenas, a contar seus sonhos. Eles são discutidos e interpretados tanto na família como na tribo. A vida social e o comportamento do grupo baseiam-se nos sonhos."
(Marie-Louise Von Franz em: "O caminho dos sonhos", Ed Cultrix)

"Na China sempre houve intérpretes de sonhos. Mesmo atualmente, nas ruas da China comunista há especialistas a quem se paga por uma interpretação; as que li eram bastante modernas. Esses intérpretes são psicólogos muito bons com intuições acerca dos sonhos que correspondem de perto àquilo que teríamos para dizer."
(Marie-Louise Von Franz em: "O caminho dos sonhos", Ed Cultrix)

"O termo ´fantasia´ deriva da palavra grega ´phantasía´. O sentido original desta palavra é revelador: ela significava ´tornar visível, revelar´. A correlação é clara: a função psicológica de nossa capacidade para a fantasia é tornar visível a dinâmica invisível da psique inconsciente"
(Robert A. Johnson em: "INNERWORK: A chave do reino interior", Ed Mercuryo)

"Se todos agem da mesma maneira, ninguém pensa que está doente. Esta é a razão de os sonhos auxiliarem na terapia, porque uma relação consciente com nossos sonhos liberta-nos da identificação inconsciente com os outros e cria em nós atitudes individuais."
(John A. Sanford em: "Os sonhos e a cura da alma", Ed Paulinas)

"Por ironia, muita gente que hoje rejeita os sonhos como algo sem sentido, sem saber aceita e segue valores espirituais, crenças e tradições que se originam diretamente dos sonhos de indivíduos que viveram há milhares de anos."
(Marie-Louise Von Franz em: "O caminho dos sonhos", Ed Cultrix)

"Devido ao fato de que, com freqüência, reprimimos as melhores partes de nós mesmos e as consideramos como qualidades "negativas", algumas das partes mais ricas do Self - até mesmo a própria voz de Deus - só conseguem participar de nossas vidas ´roubando´ nosso tempo, roubando nossa energia através de compulsões e neuroses, infiltrando-se em nossa vida por lugares desprotegidos, onde falha a nossa defesa."
(Robert A. Johnson em: "INNERWORK: A chave do reino interior", Ed Mercuryo)
Postado por Dream Yoga
http://yogadossonhos.blogspot.com/




O Mundo dos Sonhos

 
Há uma tendência, bastante generalizada entre os psicanalistas, de que todo sonho tem origem na infância (ou ligações sexuais, como acreditava Freud). Outra corrente defende a idéia de que os sonhos são manifestações noturnas do inconsciente e que, por isso, são impossíveis de serem controlados. Em que pese os avanços tecnológicos e das inúmeras pesquisas e estudos realizados, principalmente nos EUA, acerca do sono e dos sonhos, o fato é que os psicólogos, cientistas e outros estudiosos que seguem a metodologia, os conceitos e as bases e premissas acadêmicas, universalmente aceitas, praticamente nada sabem acerca dos sonhos e do sono. No fundo, o que falta aos homens de ciência é um pouco de humildade e uma visão holística, pois, cada qual possui um fragmento da verdade. Platão dizia que um homem pode se conhecer pelos seus sonhos. Freud reconheceu que nos sonhos residem toda espécie de impulsos, como fome, sede, cobiça, impaciência, temor, paixão, luxúria, etc.. Bismark, o chanceler de ferro, só atacou a Aústria depois de ter sonhado sair vencedor. Descartes formou sua doutrina com elementos decisivos extraídos de seus sonhos. Niels Bohr construiu sua teoria sobre a nuvem atômica a partir de uma série de sonhos. José, no antigo Egito, chegou ao posto de Primeiro Ministro porque soube decifrar o sonho do faraó. Jesus deixou de ser morto por Herodes porque um Anjo avisou, em sonhos, a José para fugir da cidade.

- Seriam estes homens sérios o bastante para acreditarmos na verdade dos sonhos? Teria a Bíblia e outros livros sagrados se equivocado sobre a credibilidade e validade dos sonhos? Podem os sonhos serem controlados e dirigidos?

Postado por Dream Yoga
http://yogadossonhos.blogspot.com/





 
publicado por luzdecuraeamor às 13:47
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

Princípios do Reiki: Hoje eu abandono a raiva----- Hoje eu abandono as minhas preocupações------ Hoje eu conto com todas as minhas bênçãos------ Hoje eu honro os meus pais, o meu próximo, os meus mestres e os meus alimentos------ Hoje eu ganho a minha vida honestamente------ Hoje eu sou gentil com todas as criaturas vivas------

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Transe e êxtase - O Poder...

. SONHOS E VISÕES. TIPOS DE...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. -

. 2010

. a

. anael

. anjos

. arcanjo

. as

. através

. autres-dimensions

. benção

. canalização

. canalizada

. com

. da

. de

. deus

. do

. dos

. e

. em

. fevereiro

. hilarion

. janeiro

. luz

. mãe

. maria

. marlene

. meditação

. mensagem

. mensagens

. mestre

. mestres

. miguel

. o

. oração

. os

. para

. pensamento

. por

. salusa

. todas as tags