Sábado, 21 de Agosto de 2010

O Caminho de Cura - Jamie Sams

 
Segundo a Tradição Nativa Americana a cura significa tudo aquilo que possa vir a ajudar o indivíduo a se sentir mais integrado e harmonizado com a natureza e com todas as formas de vida.
 
Tudo aquilo que cure o corpo, a mente e o espírito é considerado Medicina.
 
Para encontrar a forma de cura especial, que pudesse responder a um desafio ou a um problema pessoal, nossos Ancestrais caminhavam com frequência pelas florestas ou sobre rochedos das montanhas em busca de indicações ou sinais que pudessem auxiliá-los na cura e na sua busca de Sabedoria.
 
Esta Caminhada de Cura constituía um meio de restabelecer os laços com seus Guias ou Auxiliares de Cura.
 
Mesmo em nosso mundo agitado de hoje é possível encontrar esse Caminho de Cura, se o buscador se dispuser a ler e a entender os sinais da natureza.

O Povo Vermelho vem utilizando há séculos os sinais da natureza.
 
Baseado neles, tem tomado decisões que já afetaram Nações inteiras.
 
As criaturas vivas possuem suas próprias mensagens de Cura, e estão dispostas a partilhá-las com todos aqueles que se dispuserem a aprender a sua linguagem.
 
A Linguagem do Amor é a forma pela qual Todos os Nossos Parentes se comunicam conosco.
 
É através dessa Linguagem que nossos corações podem sentir as respostas recebidas através do Caminho da Sabedoria, e que o processo de Cura pode começar a se manifestar.

Os Seres Humanos são as únicas criaturas em nosso mundo que não vêm retribuindo ao Grande Mistério o Amor que já receberam.
 
A linguagem do Amor pode ser compreendida toda vez que a compaixão e o respeito mútuo se complementam, fechando um círculo, e são redistribuídos entre todos aqueles que partilham o nosso mundo.
 
Enviar amor a um lindo pôr-do-sol, a um salgueiro, a um gavião que corta o céu, admirando a beleza de cada um deste seres, já constitui um bom começo.
 
Cada ser vivo e cada forma de vida representam mestres e amigos em potencial.
 
Cada um deste mestres da natureza possui um profundo amor pelo Grande Mistério e saberá levar suas mensagens a todos aqueles que buscam o mistério da Vacuidade.
 
O desconhecido é constituído por estas lições que nos indicam quais os papéis que devemos desempenhar dentro da Criação e nos indicam também os papéis dos outros indivíduos.
 
Hey...
tags: , , ,
publicado por luzdecuraeamor às 22:12
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Julho de 2010

O CAMINHO DA CONSCIÊNCIA QUÂNTICA

6:6 O CAMINHO DA CONSCIÊNCIA QUÂNTICA
Uma mensagem de Kuthumi, canalizada por Michelle Eloff
10 de Junho de 2010, na África do Sul

Eu sou Kuthumi-Agrippa e venho nos raios do Amor e da Sabedoria saudá-los neste momento e lhes trazer as bênçãos da compreensão, da fé, do riso e da alegria. Saudações, Amados.

E é com grande alegria e prazer em nossos corações que podemos nos reunir com cada um de vocês nesta noite, enquanto os mantemos firmemente dentro do coração de Cristo e seguramente nas mãos de Deus.

Amados, este alegre evento de associar as energias e unir a sua consciência como uma comunidade de luz, está apoiando a integração das assinaturas mais elevadas da alquimia, que a humanidade está aprendendo a receber agora de um novo modo e em um nível mais elevado.

As experiências do seu passado determinaram a realidade que vocês experienciam agora, a qual em seu passado era o seu futuro. Agora vocês estão em um ponto de um nível de escolha mais elevado, tornando-se mais conscientes dos aspectos quânticos do ser, compreendendo que ao se concentrar nos aspectos subatômicos da vida, se contribui para a grandiosa revelação da cena maior da vida, de um modo inteiramente novo.

Muito tem sido dito sobre a ciência quântica nos últimos anos. Entretanto, quando muitos vêem a ciência do mundo, há um aspecto do ser que parece desligado, imaginando fórmulas complicadas que se precisa para compreender, a fim de apreender a informação e a mensagem que está sendo apresentada através de um ramo chamado ciência.

A ciência quântica, entretanto, é como um aspecto da grade coletiva da ciência e é basicamente a ciência das possibilidades. A ciência quântica se foca em pequenos aspectos da vida, nas partículas subatômicas que existem dentro de vocês, que contêm consciência. Por muitos ciclos, os indivíduos tiveram a sua concentração projetada no mundo externo. Distraídos pelos grandes acontecimentos da vida, pelas rupturas caóticas que favorecem a desatenção, de se concentrar no ser e de se tornar mais consciente dos detalhes mais corretos do verdadeiro ser.

A humanidade está agora no ponto de travessia da ponte para um novo modo de desenvolver os seus sentidos, e de se tornar mais consciente dos pequenos aspectos do ser, que compõem a cena coletiva maior ou mais grandiosa do seu verdadeiro e íntegro ser. A fim de ser capaz de contribuir com uma mudança completa no mundo exterior que vocês vêem como uma grande comunidade da humanidade precisa-se compreender que os pequenos gestos da vida é o que leva ao maior gesto, chamado mudança. Nada na vida permanece igual, como todos vocês vieram a compreender; vocês também precisam compreender que o seu foco deve estar neste momento atual, nos detalhes mais delicados de sua vida, e da vida em geral.

A humanidade se esqueceu do impacto de um pequeno gesto como um sorriso gentil, de uma palavra gentil, e de um pensamento que envie luz e amor a alguém que esteja verdadeiramente precisando dele. A humanidade observa o outro a partir de uma perspectiva desconectada, imaginando todos como separados de si mesmos, todos vivendo uma vida muito diferente por si só. Entretanto, abaixo da superfície do mundo, todos nós estamos conectados, e embora pareçam como indivíduos, vocês não são ilhas, vocês são uma fonte de luz alimentando uns aos outros, baseado naquilo em que se focam.

Porque a humanidade está tão dispersa pela energia caótica do mundo exterior, tem levado tempo para se re-conectar com a qualidade do ser interior. Levou tempo para as pessoas se lembrarem que a concentração nas pequenas coisas realmente intensifica a qualidade da cena maior, e a revelação mais grandiosa do Plano Divino coletivo. Portanto, neste dia desta ativação, nós estamos pedindo que todos vocês reservem algum tempo para se conscientizarem das pequenas coisas da vida. Honrem as criaturas minúsculas em seu mundo, honrando e se conscientizando do valor de gestos pequenos, gentis, compassivos e alegres, o que faz uma diferença nas vidas das pessoas; ainda que no momento vocês estejam inconscientes do seu impacto como resultado do seu pequeno gesto.

Pensem nisto; talvez haja um momento na vida, e isto aconteceu em seu passado, onde vocês cruzaram o caminho de um indivíduo, de quem nada conheciam, a quem encontraram apenas em um momento em sua vida, entretanto, neste momento, um gesto gentil foi compartilhado. Este gesto pode ter elevado a sensação de leveza que a pessoa precisava, simplesmente através de uma palavra gentil, uma troca de humor, um olhar ou um sorriso afetuoso. Nunca subestimem estes gestos, pois isto é o que os aproxima mais de refinar a sua relação com o mundo subatômico.

O foco nos detalhes maiores, não é onde a sua energia deve estar agora concentrada. É no pequeno mundo, nos aspectos micro-cósmicos da vida, tendo em mente que vocês são uma energia micro-cósmica dentro do coletivo macro-cósmico, tanto quanto são um ser macro-cósmico em relação às criaturas micro-cósmicas que existem em seu mundo, às ações micro-cósmicas que são conduzidas em uma base diária, das quais muitos estão inconscientes e de realizarem inconscientemente.

Quando estes pequenos gestos, ou estes pequenos pensamentos e atividades passam pela sua mente como pensamentos ao acaso, fluindo através de vocês, cruzando a sua mente em uma fração de segundo, estes pequenos pensamentos, especialmente se forem negativos, causam um impacto na cena maior do que vocês estão tentando criar. E isto é porque neste momento, nós ativamos o projeto de “Pacotes de Luz”.

Este novo projeto foi designado para acelerar a sua habilidade de se elevar acima dos seus medos e assumir a grandiosa arte de criar as suas vidas a partir de uma consciência menos tóxica, associando as suas energias às sementes de outra alma dentro de seu Pacote de Luz. Os Pacotes de Luz que estão sendo ativados em todo o mundo contêm sementes, portanto, vejam a semente dentro de um átomo maior de luz, chamado Pacote. Quando cada uma destas partículas subatômicas, aqueles que são as sementes, trabalham juntos e unem as suas energias com um foco combinado, e esforço associado para se apoiarem com os aspectos mundanos e mais complicados da vida; vocês começam a associar as suas energias de um modo inteiramente novo. Esta associação de energias cria uma expansão maior, chamada de Oceano de Luz, através do qual fluem as Águas Sagradas da Vida, iniciando a cura mais profunda e uma limpeza mais expandida para o Plano Astral da Consciência Coletiva. Isto também se manifesta na oportunidade enquanto iniciada pelo Grande Conselho da Luz, para que abramos uma janela de oportunidade para trabalharmos com vocês em uma base um a um; ajudá-los a compreender em que precisam focar a sua energia agora, a fim de ter em mãos aquelas partes do inconsciente, que estão batendo à porta da mente consciente, buscando a sua atenção, de modo que possam progredir para o próximo nível de seu projeto interior divino, e manifestar o seu destino de um modo mais consciente, mas também mais acelerado.

Este momento é uma oportunidade fantástica para vocês se moverem além da confusão de serem bombardeados pela Consciência Coletiva, que está cheia de consciência tóxica, e os ajudando a separar os seus problemas pessoais dos do coletivo. Isto foca e concentra as suas energias naquelas energias subatômicas de vocês, que os estão evocando.

Quando se trata de compreender a física quântica é preciso saber que, segundo a ciência, a consciência impacta o resultado do assim chamado experimento. Ela diz, a física quântica, que o observador determina o resultado do experimento baseado no nível de consciência mantido pelo observador.

Por isto, vamos agora nos concentrarmos especificamente nesta idéia, de que a consciência determina o resultado, o nível de consciência do observador, especificamente. Isto significa que se o seu nível de consciência estiver contaminado por crenças e atitudes tóxicas, os seus aspectos inconscientes, que incorporam as partículas subatômicas, aqueles aspectos muito delicados do ser, dos quais vocês como um ser humano consciente, desconhecem, por causa da projeção externa em vocês, vocês são então continuamente motivados por um mundo muito sutil, um mundo do qual estão inconscientes, o qual neste exemplo, nós estamos chamando de sua “consciência subatômica”.

Ao compreenderem que o seu nível de consciência está determinando o resultado de sua percepção do seu experimento chamado sua vida, isto os inspira a sondar mais profundamente, a fim de se tornarem mais conscientes destes detalhes menores, mais delicados, que são parte da sua criação humana, também chamada de sua consciência.

A consciência é um reservatório infinito, expansivo, de energia. A energia nunca pode ser destruída, ela se moverá na direção onde a maior parte da energia estiver concentrada. Isto é porque, preciosos, se tornou tão vitalmente importante para vocês se conhecerem, além da apresentação superficial de sua personalidade humana. Ao longo dos últimos anos, nós estivemos sutilmente os dirigindo na direção para se conhecerem. Nós liberamos centenas de transmissões apresentando ferramentas e processos, os quais fossem capazes de utilizar para sondarem nos recessos daquelas suas partes ocultas.

Os Portais do Fogo, os Portais do Ar, os Portais da Água, estão associados às Leis Cósmicas que consistem de algumas destas ferramentas muito poderosas, para informá-los do que vocês são como um ser grandioso, e do que compreendem como um ser humano que busca aquelas possibilidades que refresquem a sua memória em relação a quem vocês são como um ser grandioso. Estas polaridades existem de um modo paralelo, portanto, vocês experienciam a dualidade dos sentimentos e emoções, pensamentos e atitudes. Estas polaridades lhes mostraram os dois lados da moeda da experiência humana na Terra.

Nós dissemos anteriormente que vocês dominaram a arte da dor e do sofrimento. Agora vocês têm a oportunidade de ver o outro lado disto, seu igual, mas oposto, que é a prosperidade, a paz ou a serenidade. Entretanto, não se podem atingir os níveis máximos da paz e da serenidade, até que se compreenda plenamente o que a dor e o sofrimento lhes trouxe, em outras palavras, reconhecendo, aceitando ao reconhecer a dádiva que veio através destes processos. Muito freqüentemente, as suas experiências mais traumáticas na vida lhes liberam algumas de suas maiores dádivas. Alguns dos seus gênios mais conhecidos em seu mundo experienciaram traumas severos nos primeiros anos de sua vida. Este trauma despedaçou aspectos da dimensão coletiva que mantém a personalidade no lugar, o que ironicamente abriu vias, garantindo o acesso às dimensões que normalmente não são alcançadas. O que queremos dizer com isto é, quando um trauma severo ocorre e há uma fragmentação da alma, a retirada desta alma como resultado do choque e do trauma, encontra um lugar fora do espaço e do tempo, em um reino muito mais elevado do que o ego humano, ou a percepção humana da vida, entretanto, o ego inferior se liga aos aspectos negativos deste trauma, o que é completamente natural e normal. Esta experiência traumática, independentemente da forma como foi iniciada, resulta em uma revelação da vida. Este trauma em particular prepara para outros aspectos, ou outros ciclos de vida no futuro.

A razão pela qual estamos lhes dizendo isto é porque estamos lhes pedindo, por um momento, que se afastem do aspecto de vítima de ter experienciado um trauma. Para alguns de vocês, o seu trauma pode não ter sido tão grave como o abuso sexual, físico, emocional ou um abuso violento. Talvez o seu trauma fosse simplesmente estar em um lar de pais ausentes, não tendo determinadas necessidades satisfeitas. Tudo isto é relativo. O que estamos dizendo é que o trauma vivenciado, criou uma paralisação em um determinado nível, mas ao mesmo tempo, ele deixou interiormente um portal secreto para os reinos mais elevados, o qual vocês acessam através do mundo quântico, interiorizando-se profundamente no ser, a fim de compreender as suas pequenas partes, que remontam a sua criação anterior que mantém chaves para o seu futuro, mantém as chaves para a maior expansão da sua vida.

Este despertar das sementes, adormecidas dentro de vocês, ativa as suas partes que não incorporam a consciência neste momento. Agora vocês podem perguntar, como é que, se somos seres conscientes e tudo incorpora consciência, como é que há partes nossas que não incorporam consciência? Estas partes são os aspectos adormecidos, os aspectos latentes também conhecidos como o refugo do seu DNA, aqueles dez filamentos que parecem estar pendurados no espaço, sem fazer absolutamente nada. O segredo é, que estes dez filamentos contêm as partículas subatômicas da consciência coletiva da humanidade, assim como as partículas subatômicas do super Universo macro-cósmico.

Vocês estão tendo agora que compreender como o mundo é infinito, e ter que mudar as suas perspectivas e a sua consciência, a fim de ver os outros aspectos das dicotomias da vida, e as revelações que existem interiormente, abrindo a sua mente para observar além da extensão limitada, e a prisão muito limitada em que vocês se encarceraram, como resultado de ser criado dentro de uma caixa estruturada, chamada de sua vida.

Enquanto estas poderosas energias são manifestadas sobre vocês pelo seu eu superior,autêntico, há um rasgar daqueles véus da ilusão, o que freqüentemente os deixam surpreendidos e aterrorizados, sem serem completamente capazes de digerir tudo o que está se revelando ao seu redor. Mas, lembrem-se de que o seu mundo está no centro de sua maior revolução espiritual já experienciada na vida. Esta revolução não é uma experiência de um círculo fechado em torno de um problema específico. Esta revolução é uma evolução, uma ascensão, um movimento contínuo ao longo da espiral da ascensão. A escadaria para o Céu.

Vocês percorreram esta espiral da evolução, se pudermos chamá-la assim. Vocês foram classificados como “caídos”, porque caíram da graça. Vocês caíram dos níveis mais elevados da consciência em um mundo denso, onde assumiram a oportunidade de experienciar a densidade da matéria. Vocês alcançaram a bifurcação na estrada agora, onde têm a oportunidade ou de continuar a explorar o mundo da densidade e da matéria como no passado, ou escolherem o caminho onde estão vivendo simultaneamente dentro do mundo denso da matéria e se conectando com os mundos superiores da luz.

A fim de compreenderem como a luz e a matéria estão conectadas, como interior e exteriormente são uma, e como tudo que vocês vêem que está separado de vocês é uma ilusão, porque vocês são criados da mesma fonte. As partículas subatômicas que vibram dentro do seu corpo, estão vibrando dentro de cada alma em seu planeta, porque a Consciência Coletiva os une. As partículas subatômicas do universo no qual vocês vivem, é uma ressonância pela qual vocês são afetados. As transmissões se expandem continuamente, explorando,expondo, progredindo, transmitindo e projetando em nano segundos (bilionésimo de segundo) entre absolutamente todos os aspectos vivos de energia. No entanto, como vocês experienciam está baseado em seu nível de consciência, portanto, se permanecerem fixos em sua vida, se permanecerem presos e ligados as suas crenças como resultado de sua educação, estão inibindo o seu progresso. Vocês estão limitando a sua experiência de vida, e, muito tristemente, estão se privando da jornada mais extraordinária da experiência da humanidade em toda a história da Terra.

Vocês ouviram histórias da Atlântida, da Lemúria, de Mu. Há muitas histórias escritas sobre os mistérios e o antigo misticismo de todas as culturas antigas ao redor do seu mundo. As tradições, as verdades, a sabedoria, tudo está lá. Mas tudo isto está no intelecto. São palavras escritas no papel que vocês podem ler, ou podem nem passar em toda a sua vida. Mas, porque não a leram, porque não cruzaram com elas, significa que estão privados disto. Não, porque a jornada da vida não se limite a um processo intelectual de ter que depender do material escrito para despertá-los para o que existe além do mundo que vocês vêem como matéria tangível.

Sua jornada alcançou um ponto em que a sua habilidade de perceber o seu mundo ao seu redor, os está impulsionando para outra esfera de experienciar a vida sem ter que depender puramente do intelecto para dirigi-los. Este é o momento onde a intuição os está envolvendo. Sua compreensão inerente das origens da verdade, que está lhes falando, comunicando-se com vocês, inspirando-os a se moverem em determinadas direções. Onde estes aspectos subconscientes e inconscientes estão lhes dizendo: “Pelo amor de Deus, preste atenção a mim.” Observem as pequenas coisas e deixem de se afundar na dor, no sofrimento e nos disparates de vítima do seu passado. Prestem atenção e observem agora. Onde vocês estão? Para onde vão? Onde estiveram? E por que estão onde estão agora?

Esta questão os ajudará a ver que o seu mundo baseado no intelecto, criou um mundo de isolamento, de elitismo e de separação, porque os intelectuais do seu mundo menosprezam aqueles que são, talvez, mais criativos, mais baseados nos sentimentos, e estas separações privaram cada partido elitista, por assim dizer, da sabedoria contida em outros mundos, e em outros ramos da descoberta. E, tudo, seja a arte, seja um esporte, seja uma ciência, é na verdade, uma ciência na natureza, porque cada expressão criativa da luz, da verdade, de energia, seja na matéria física ou nos reinos da luz, é uma ciência em si mesma. É uma força contínua de energia, criando consciência e jogando com aqueles observadores, aqueles co-criadores dentro deste reino, que está em uma partida de tênis, sendo a bola, as partículas subatômicas.

É por isto que a vida é chamada de jogo. Há muitos jogos diferentes sendo jogados. Há um número infinito de regras, mas há sempre a definição das regras que definem a qualidade de vida. Estas vocês estão atualmente aprendendo através das Leis Cósmicas, mas há sempre uma verdade essencial que rege tudo na criação, e esta é a energia chamada Amor. O Amor é a consciência mais grandiosa e mais poderosa que existe. Mas cada ser humano tem a sua definição de amor, baseada em sua educação, em sua experiência e em suas percepções e atitudes, criadas como resultado destas experiências.

Então, preciosos, este é o seu chamado agora para voltar a sua atenção para o seu interior, sem se retrair do mundo, sem se isolar dos outros, mas para mudar a sua atenção e o seu foco para uma ajustagem diferente. Observem o seu mundo de dentro para fora, não de fora para dentro. Esta é a sua oportunidade de ver da madeira para as árvores dentro de si, e ver que há mais vida do que o seu passado. E que no presente, as extraordinárias chaves da transformação e da reforma, existem, dirigindo um impulso inteiramente novo para a liberdade, um impulso inteiramente novo para unir mais e mais Trabalhadores da Luz e comunidades, a fim de garantir que a luz continue a crescer, que a luz se acelere, o que reforça e fortalece a sua posição de poder durante este momento crucial de mudanças e de transição, para vocês e a humanidade como um todo.

Esta janela de oportunidade está lhes mostrando que vocês são apoiados. Nós avançamos de um modo inteiramente novo para estarmos diante de vocês, para falarmos com vocês em uma base um a um, e para lhes entregar a verdade se estiverem dispostos a ouvi-la, e se estiverem preparados para receber a verdade e transformar a sua vida. A cada um de vocês que ouve estas palavras, e a todos aqueles que ouvirão estas palavras em um momento diferente, e lerem estas palavras no futuro, suas preces foram atendidas. Esta é a sua confirmação a um nível físico que os ouvimos. Suas preces, seus pedidos de ajuda não caíram em ouvidos surdos. Aqui estamos, nós abrimos estas janelas de oportunidades, e falaremos com vocês. Mas o seu chamado também lhes trouxe a necessidade de assumir a responsabilidade, de empreender e de concordar que ao aceitarem a ajuda que oferecemos, vocês precisam aceitar que estão agora entrando em um reino que nunca entraram antes. Que vocês estão trabalhando agora com energias muito mais avançadas a que já estiveram expostos. Estas são as energias que estiveram em seu pico durante a Atlântida, a Lemúria, Mu e muitas outras civilizações antigas. Esta é a oportunidade para vocês, como um corpo coletivo de luz, como um grupo de Trabalhadores da Luz de assegurar que a humanidade se mova além destes pontos de destruição que foram experienciados no passado. Vocês têm o poder de mudar o poder espiritual da Terra agora, escolhendo se virar e olharem para si mesmos, permitindo que as vendas caiam dos seus olhos, para que se tornem o líder de sua vida, independentemente do que foi o seu passado, e de fato, quanto mais traumático foi o seu passado, mais direitos vocês têm de se posicionar e reivindicar o seu direito de liderar, de ser uma voz para o mundo, porque o seu trauma lhes mostrou como a escuridão é intensa, mas também está lhes mostrando o oposto, como a luz pode ser poderosa.

Assim, através do meu raio dourado de luz, através da minha presença como o Rei dos Arcanjos Solares, dos Arcanjos Solares da Luz, a Fonte da Vida, a fonte de apoio, estamos diante de vocês. Estamos aqui em nossa plenitude, todos nós, e estamos focados em vocês. Estamos afinados com vocês. Vocês pediram isto. Houve um número suficiente de vocês para tornar isto possível. Então não recuem agora. Não tenham os pés frios agora. Agora é o momento de crise. Vocês precisam mostrar o seu valor e provar, não para nós, mas para si mesmos, do que realmente são feitos.

Há muitos anos, começamos as ativações para dissolver a consciência de pobreza, a consciência de vítima, a consciência do amor condicional e lhes pedimos que aceitem aquelas partes suas a fim de entrarem na consciência de vitória, na consciência de prosperidade e na consciência do amor incondicional. Isto resultou na manifestação do que todos vocês estão vivenciando neste momento, independentemente de se estiveram seguindo ou não os nossos ensinamentos durante anos. Nós somos apenas um Pacote de Luz do projeto macro-cósmico de luz, onde todos nós trabalhamos juntos como uma equipe de Mestres, de Guardiães, de Anjos, de Arcanjos e dos muitos Elohins que estão com vocês, trabalhando através de suas assinaturas energéticas, que melhor ressoem conosco ou com outros grupos, ou outros Pacotes, como os chamamos. Isto cria o mel da vida e o raio dourado de mel, que é a doçura da vida que está retornando.

O destino da humanidade está chegando a um ponto decisivo, onde aqueles que pagaram as suas dívidas podem se elevar acima do seu destino. Elevarem-se acima do seu Karma e entrar no destino e viver o seu bom Karma, por assim dizer. Assim, reservem este momento, abracem esta oportunidade com cada fibra do seu ser, porque agora é o momento onde vocês estão criando o mais inacreditável impacto na assinatura coletiva da vida.

Em muitas ocasiões eu disse que não há mais espaço, não há mais tempo a perder em ser uma vítima, afundando-se na auto-piedade, absorvidos nos traumas do seu passado. Pelo amor de Deus, o que vocês estão fazendo se concentrando nisto, quando sabem que no que focam cria o seu futuro? Eu estou lhes dizendo como é, e aqueles que me conhecem sabem que eu não me calarei, vocês querem conhecer a verdade, então aqui está. E é a verdade que os liberta. Negar o seu passado não lhes dará um atalho para mudar. Isto não quer dizer que porque estarão revendo o seu passado, que ficarão traumatizados novamente. Pelo amor de Deus, vocês estão se tornando Trabalhadores da Luz habilitados. Vocês têm a força interior e a coragem para rever aqueles momentos e ver o seu propósito, tirar o presente dele e avançar, deixá-lo no passado e criar um futuro melhor para vocês. Do que se trataram os ensinamentos? O que estiveram fazendo com a sua vida até este ponto, Preciosos? Venham agora, vamos todos crescer e sermos maduros aqui.

Vocês sabem que há mais na vida do que dor e sofrimento. Vocês o sabem, no âmago do seu ser, vocês sabem que há mais na vida do que o que vivenciaram. Assim parem de se esconderem de si mesmos, deixem de correr do seu passado, deixem de ignorar os assim chamados demônios que se escondem na escuridão, à espreita nas sombras, esperando para lhes dar o bote e os comerem vivos. Esta é a sua sombra que lá está, chamando-os, dizendo “aproxime-se”. Aventurem-se na escuridão de si mesmos. Reconheçam o que se esconde lá, sejam corajosos. Olhem na escuridão, pois a sabedoria de sua alma mantém uma chama de luz que lhes mostrará a verdade, e lhes revelará os tesouros ocultos, à espreita na ilusão das trevas. Pois é somente com a idéia dos monstros na escuridão que vocês fogem, o que muito habilmente os distrai e os afasta dos tesouros que se encontram por trás destes monstros.

Pensem em todos os contos de fadas e as histórias que muitos escreveram, e quantas vezes estas histórias apresentaram a mensagem que quando vocês entrassem nestes reinos secretos e perigosos, em cavernas secretas, em ilhas remotas, tendo que abrir caminho através das selvas, tendo que derrotar os demônios nas florestas e nas selvas, entretanto, quando vocês mantiveram a verdade e mataram aqueles demônios, subitamente se encontraram em uma magnífica caverna, cheias de infinitas quantidades de tesouros. Pensem que Indiana Jones toca uma campainha para todos vocês. Percebam como até os contadores de histórias do seu mundo, estejam eles conscientes disto ou não, estiveram dizendo a mesma coisa por eons de tempo. Enfrentem os seus demônios. Olhem na escuridão. Enfrentem a escuridão e a luz se revelará.

As doze cavernas do submundo são os doze caminhos do destino. As doze cavernas do submundo, o seu destino, é o seu projeto. É a jornada que vocês percorreram como um humano na carne, onde tiveram que lidar com os doze caminhos de sua vida, o que resultou em sua experiência chamada vida. Estes são conhecidos como os doze aspectos, as doze casas do seu projeto natal astrológico, portanto, aquelas doze cavernas do submundo, e muito brevemente iremos explicar o que são.

Aquelas doze cavernas do submundo estão, em primeiro lugar, direcionadas a vocês, ao seu corpo físico, sua inteligência e os seus talentos.

A segunda caverna está relacionada as suas finanças, a sua habilidade de manifestar e trabalhar com a riqueza móvel em seu mundo.

A terceira caverna do submundo está relacionada com a sua consciência, com a sua habilidade de comunicação, seus irmãos, seus vizinhos e os seus contratos com indivíduos em sua vida.

A quarta caverna do submundo está ligada ao seu pai, as assim chamadas autoridades em sua vida, ao seu lar físico, seu mundo fixo, por assim dizer.

A quinta caverna do submundo está ligada aos seus filhos (se estiverem destinados a ter filhos), a sua criatividade, ao seu amor verdadeiro, aos prazeres da vida, como experienciam o processo do sexo, da sexualidade e desenvolvem a sua criatividade com os amantes e o verdadeiro amor, o que envolve o amor ilícito também.

A sexta caverna do submundo está ligada a sua saúde e a sua cura, aos seus rituais diários, rotinas e serviços para o mundo.

A sétima caverna está ligada as suas parcerias, suas parcerias legais, românticas e onde estão os seus inimigos evidentes.

Sua oitava caverna está ligada aos processos de morte, a caverna da reforma e da transformação. Sua ligação com os recursos de outras pessoas e como é experienciado no mundo exterior, em termos de seus impostos, heranças, etc...É também a caverna do ocultismo e do mistério, que está ligado à nona caverna, onde vocês entram no mundo do desenvolvimento de seu relacionamento com Deus e Deusa; o reino espiritual do ocultismo, sua ligação com estrangeiros, com países estrangeiros, com os seus aspectos exteriores, com os seus professores, com os seus professores espirituais e o seu relacionamento com a religião como tal.

A décima caverna mantém a energia de sua mãe, a sua carreira, seu destino, sua reputação e como vocês se assumem na vida.

A décima- primeira caverna está ligada aos seus amigos, as suas esperanças, seus sonhos, seus desejos, os grupos e organizações através dos quais vocês trabalham e como as crianças se conectam com vocês através da sociedade, como a sociedade os impacta, mas é também a caverna que começa a lhes mostrar a felicidade na vida. Ela lhes mostra a felicidade, antes que entrem na última caverna, a décima - segunda. E esta é onde os reinos secretos se escondem. É o reino dos seus inimigos ocultos, de seu inconsciente e onde residem todos os aspectos subconscientes que levam a sua própria ruína.

Quando vocês viajam por estas doze cavernas, o que vocês fazem todos os dias, quando entram nestas cavernas de um modo mais consciente, e compreendem como estes doze ciclos se movem através de sua vida, a cada doze horas de cada dia, a cada doze horas de cada noite, a cada doze meses de cada ano, e a cada doze anos, um novo ciclo se inicia, e trabalham com isto conscientemente, queridos, vocês se elevarão acima do seu destino de modos nunca antes imaginados, porque agora vocês estão vendo a sua vida com olhos abertos, não mais encobertos pela ilusão do submundo.

Quando as coisas estão ocultas, elas estão inconscientes, estão escondidas na escuridão. Assim, quando vocês se compreendem, quando estão preparados para assumir a verdade, e superar a sua culpa, a sua vergonha, o seu medo do fracasso, ou seja o que for, o medo de encarar a verdade de si mesmo, então vocês entram no submundo de um modo diferente. Desta vez vocês estão carregando uma tocha de luz com vocês, e aí se tornam o Indiana Jones, e descobrem o tesouro, e se elevam do submundo daquelas doze cavernas para as doze mansões sagradas, que contêm os tesouros do seu destino.

Então, meus queridos, estas energias que vocês estão integrando neste momento no tempo, estão acelerando o desdobramento e a expansão da consciência da humanidade, retornando a sua atenção para o mundo interior, tornando-se conscientes das pequenas coisas que criaram esta grandiosa experiência, que vocês chamam de vida em seu mundo. Isto também está ativando as energias que serão trazidas com as que ancoraremos na Turquia, no mês de Outubro de 2010. Portanto, o que estamos ativando agora no dia 6 de Junho, trará então um nível de sua energia manifestada no período de 10 de Outubro, e isto prepara as energias para a vinda dos próximos portais da ascensão. Acreditem, a vida está mudando. Acreditamos que este ponto decisivo está mudando o eixo da consciência da humanidade, e isto é o que queremos dizer, que a vida como a conhecem, mudará. É por isto que estamos lhes mostrando como, e como lhes revela o porquê.

Então, vocês estão prontos para embarcar em uma extrema aventura da alma de se conhecer a si mesmo, experienciar e curar aquelas pequenas partes suas que os incomodam, que os corroem, que vocês não sabem que os estão importunando e irritando, mas tudo o que vocês sabem é que estão tendo um péssimo dia. Para alguns, tem sido uma vida muito amaldiçoada, mas a luz no final do túnel, é a luz de Deus Pai/Mãe que chega para saudá-los, e não um trem bala que dispara sobre vocês, como alguns de vocês têm dito.

Assim, aproveitem esta oportunidade, imaginem o favo de mel da vida cheio daqueles Pacotes de Luz, contendo aquelas partículas subatômicas, as sementes de luz – vocês é que são as partículas subatômicas do favo de mel, da luz dourada da doçura da vida, e entram em um novo mundo de experiência, de modo que os desafios que chegarem em seu futuro, não estarão lá para debilitá-los, mas simplesmente para alertá-los para outro processo subatômico, que vocês são capazes de visitar, de entrar e de transformar.

A jornada da vida se refere à transformação. A jornada da ascensão se refere à transformação, de reforma, de morrer para os velhos modos e ascender como a Fênix e entrar em um novo mundo. Esta é a crise do meio da vida para a humanidade, para lhes dar outra descrição. Então, receba-a com as duas mãos. Não há mais espaço, e nem desculpa ao dizer que as suas preces não foram ouvidas, dizer que estão sozinhos neste mundo. Seu apoio nem sempre vem de fontes físicas, façam a paz com isto. Portanto, caso se percebam como estando sozinhos no mundo, bem, então, talvez este seja sua sina agora, mas vocês não estão sozinhos, vocês se têm, têm a Mãe Natureza, têm Deus/Deusa, e têm o mundo subatômico em sua presença durante todo o tempo. Não limitem que a sua expectativa de apoio venha de fontes físicas externas. Não esperem que a sua felicidade venha de pessoas físicas. Não avaliem a qualidade do seu valor ou de sua felicidade baseada em como os outros lhes tratam. Avaliem-na, baseada em como vocês se tratam e quanto esforço vocês estão dispostos a colocar para se elevarem acima do seu destino e assumirem o seu destino. Abram os seus olhos para a verdade sobre si mesmos, se elevem como a Fênix e vivam a sua jornada autenticamente.

Queridos, estou cheio de grande entusiasmo, pois sei que todos vocês estão sendo motivados a partir de uma perspectiva diferente agora. Sua energia os está motivando e os inspirando a se ver através de olhos diferentes, e nós nos alegramos, nós celebramos.

Preciosos, recebam a nossa mensagem, compartilhem-na com outros, ouçam as nossas palavras novamente e, saibam, que este é ainda outro nível da virada das marés, outro modo de se perceber, outro portal além do paradigma da paralisia, da ilusão, da debilidade, e agora é a sua chamada. Enquanto isto, continuem a saber que os muitos braços invisíveis que os apóiam estão sempre presentes. Os muitos corações invisíveis que os amam são incondicionais, pois estamos com vocês de todos os modos, sempre, e vocês nunca estão sozinhos, pois somos todos um. Possa a luz da verdade continuar a abrir os seus olhos para si mesmos, e que possam estar em paz.

Eu sou Kuthumi-Agripa, Rei dos Arcanjos Solares.

Adonai.


Esta informação pode ser compartilhada com outras fontes em condições estritas de que nenhuma informação seja alterada, suprimida ou usada para ganho monetário, e que a fonte da informação seja reconhecida. Para obterem mais informações sobre Michelle & The Lightweaver, por favor, visitem: www.thelightweaver.org

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

publicado por luzdecuraeamor às 21:52
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Maio de 2010

**O CAMINHO DO CORAÇÃO** - RAM - AutresDimensions

 

 

Eu sou RAM.

Amados Irmãos em encarnação nesta densidade, por favor, aceitem meus cumprimentos e minhas bênçãos.

Alguns de vocês já me conhecem, através de uma série de ensinamentos que eu dei, já há quase um ano de seu tempo, para permitir-lhes, no caminho da simplicidade e no caminho do Coração, encontrar o significado de sua Essência, a via do seu Coração.

Eu sou Mestre Instrutor do Ar.

Como tal, me foi pedido intervir neste período final do que foi chamado pelos Arcanjos de Núpcias Celestes.

No decorrer das semanas que se aproximam de vocês, vocês devem aprender a centrar-se, a recentrar-se e a viver a Vibração do Coração, de maneira simples.

O Coração, como eu já disse, é uma Fonte de Alegria, é uma Fonte de contentamento.

No Coração, e na Vibração do Coração, não há lugar para o medo, não há lugar para dúvidas, não há espaço para a razão.

Há apenas lugar para a evidência, para a Verdade, para a simplicidade.

Hoje, mais do que nunca, reencontrar o Coração é primordial e essencial para encontrar a calma e a Vibração necessária para permitir ao seu Ser ultrapassar a dualidade na qual vocês vivem, de se reaproximar da Unidade, de se reaproximar do que os Arcanjos chamaram de Ser, desta dimensão sublime onde o Ser humano descobre o significado do que ele é, o sentido de suas vidas e o verdadeiro significado do seu porvir.

Eu lhes dei um protocolo, um exercício extremamente simples, permitindo-lhes, se assim o desejarem, realizar a Vibração do Coração, a Vibração da Unidade, a Vibração da paz e a Vibração da Alegria [‘Meditação Direcionada para o Coração’].

Cabe a vocês, e lhes cabe cada vez mais, recarregar suas baterias nesta Vibração, será como um bálsamo que irá lhes consolar e lhes permitir viver, na íntegra, a dimensão do Espírito e da Verdade, a dimensão total do seu Ser.

A Vibração, na Essência do Coração, é percepção e sensação, na área deste chakra, desta roda de energia.

À medida que a sua alma, seu corpo e seu espírito recebem e acolhem as energias do cosmo em sua totalidade, e à medida que seu Ser acolhe as vibrações elevadas da Terra, como resposta a estas vibrações do cosmos, lhes pertencerá conduzir essas Vibrações e estas Luzes, em seu Coração, porque é neste lugar, e somente neste lugar, que se encontrará a paz, a segurança, a dimensão da Alegria que lhes permitirá, reencontrando-a, fazê-la irradiar, fazê-la retransmitir em torno de vocês, em seus lugares de vida, com seus próximos, e assim, criar uma dimensão específica dentro de seu círculo.

A Paz, a Alegria, a Vibração do Coração, a Vibração que vocês chamam de Amor, deve tornar-se um Fogo.
Um Fogo que não queima, mesmo se ele queima.

O Fogo do Amor é atiçado pelo ar.

O ar da Vibração e da rotação do seu Coração será o combustível do Fogo.

O Fogo que é a realidade do abrasamento do Amor no seio da dimensão espiritual, no seio da dimensão eterna, lhes permitirá, então, transcender as emoções e as agitações deste mundo, e lhes permitirá, então, mostrar o rosto e a energia da paz, o rosto e a energia da Alegria, que será um bálsamo para aqueles de vocês que não o conhecerão, mas que, ainda assim, reconhecê-los-ão através de sua Presença, através de sua Radiância, através de seu Ser.

Assim como o Arcanjo Miguel lhes disse, em numerosas ocasiões, encarnando esta Luz, encarnando em vocês esta nova Vibração da Essência, vocês permitem àqueles que os rodeiam e àqueles que encontram, de perceberem, além do véu da Ilusão de sua encarnação, a Imanência e a Permanência da Alegria, através de sua Presença.

Não há nada para entender a este nível.

Há simplesmente que estar na Vibração e na Presença.

Amados Irmãos Humanos em encarnação nesta densidade, esta densidade que é a sua deve vibrar, ela também, ela deve se transformar em algo mais luminoso, em algo menos pesado, em algo mais harmonioso.

Vocês estão agora no limiar da Revelação, nesta densidade, da Verdade e da Realidade da Luz e da Vibração, da realidade do Amor que inspira toda vida, mesmo a mais corrompida.

Na afirmação da sua Presença, centrada na Vibração do seu Coração, vocês aprenderão a viver na Unidade, além das emoções, além da razão, na permanência da Unidade, na permanência de Luz e na permanência da Verdade.

Os dias que se abrem à sua frente são dias novos, dias de esperança, dias em que a paz pode ser vislumbrada no seio da desordem.

Vocês são, vocês todos que acolheram, em seu interior, em níveis diferentes e em intensidades variadas, os Transmissores desta Luz, e além desta Luz, vocês precisam tornar-se Transmissores da paz, Transmissores da Alegria, para que seu estado de Vibração torne-se contagioso, de modo que a desordem não possa se instaurar, para que a liberdade floresça em cada Ser, de modo que a abertura da Consciência ligada à Revelação da Luz e da Verdade permita a seus irmãos e a suas irmãs apreender, sentir esta nova Vibração, esta nova Consciência.

Na medida em que vocês vibrarem no seu Coração,
vocês se tornarão seres cada vez mais lúcidos,
Seres calmos,
Seres que não sofrem mais,
Seres não mais afetados pelo que vem do seu passado distante, ou de seu passado mais recente.

Sua condição se tornará independente do seu passado, sua condição se tornará independente de sua projeção no futuro, porque estando centrado na Vibração do Coração, o momento presente mostrará, em vocês, a sua Majestade, mostrará, em vocês, a intensidade da sua Alegria e a intensidade deste Amor atemporal e incondicional que vocês conseguirão, naquele momento, não mais esperar, mas realmente viver e manifestar.

Como eu já disse, em diversas ocasiões,
o caminho do Coração é o caminho da evidência,
o caminho do Coração é o caminho da simplicidade.

O Caminho do Coração não tem o que fazer com as técnicas e os preconceitos dos ensinamentos.
O Caminho do Coração é ensinamento.

Quando vocês vivem na integração do Coração, vocês se tornam Uno com a Fonte, você se tornam Uno com o Cristo, vocês se tornam Uno com a Verdade.

Vocês escapam, assim, dos condicionamentos da dualidade que lhes afetaram.

Esta etapa, que está agora aberta para vocês, está ligada
ao seu esforço de Luz,
ao seu esforço de probidade,
ao seu esforço de integridade e
ao seu esforço de transparência,
ao qual responde o derramamento das Vibrações da Luz, das Vibrações galácticas, das Vibrações Solares e das Vibrações dos Grandes Seres que estão debruçados por cima de sua Consciência e que esperam, com paciência e humildade, o seu Despertar.

O Despertar do qual eu estou falando é simplicidade.

O Despertar do qual estou falando é a Verdade e Unidade.

Como é meu costume, depois de expressar este conceito do Caminho do Coração, através das palavras, lhes proponho vivê-lo, antes de dar-lhes a palavra, pela Vibração e pela Energia.


... Efusão de Energia ...


Antes de lhes dar a palavra para seus questionamentos, eu terminarei com estas poucas palavras:
na medida em que vocês engajarem a totalidade da sua Consciência,
no seio do caminho do Coração,
vocês descobrirão coisas nunca imaginadas sobre o que vocês são,
sobre o que eu chamo de sua filiação espiritual, suas linhagens, suas origens estelares.

Vocês descobrirão, pelo caminho do Coração e da simplicidade, que vocês são, definitivamente, desde já, Seres de Perfeição, Seres de pura Luz.

É de sua responsabilidade acolher as revelações vindas da ativação do caminho do Coração, com humildade, e persistindo no cerne da simplicidade.

Não há nenhuma glória a ser adquirida do que vocês são, para levar para seus irmãos e irmãs, porque eles são o mesmo que vocês, ainda em um estágio diferente da revelação desta Glória e da Luz.

Hoje, as portas se abrem, vocês descobrem, alguns de vocês de forma muito avançada, a Vibração da Essência e a Vibração da Luz.

Vocês descobrem que vocês funcionam em outros níveis do que os habituais e normais da sua Consciência dissociada e separada.

Obviamente, alguns de vocês estão com dificuldade para coincidir e fusionar o aspecto da Luz Unitária que vocês são e o aspecto dissociado e separado que percorre a sua Consciência, ainda por certo tempo.

Eu gostaria de lhes dizer:
não se preocupem com esta distância porque ela vai desaparecer por si só,
à medida que a sua Consciência aceitar as informações vindas de seu Ser,
vindas da Luz e da Vibração,
sem questionar, mas acolhendo, respeitando a entrega para a Inteligência da Luz.

Tudo isso será facilitado, em uma aprendizagem acelerada, porque isto, para vocês, não é novidade, mesmo se vocês esqueceram.

Mas a reconexão permitirá despertar em vocês a Verdade do seu Ser.

Vocês permitiram, em qualquer lugar deste planeta, através do seu trabalho de Vibração e de aspiração à Luz e à Unidade, a possibilidade de tocar, pela Consciência, a sua dimensão de Eternidade.

Nesse sentido, e independentemente da fase que vivem hoje, vocês permitiram ao conjunto de se aproximar do instante em que o véu da Ilusão, o véu de separação, se rasgará e se deslocará, permitindo assim que a explosão da Verdade, a explosão da Luz, invadam a totalidade da sua Consciência.

Neste momento, vocês voltarão ao seu padrão de pura Luz e vocês compreenderão, então e só então, e não antes; vocês poderão, somente nesse momento, compreender o alcance e a intensidade do que ocorreu no cerne deste período, no âmago de suas vidas, no interior mesmo desta densidade.

Mais uma vez (e eu deixo vocês falarem) aqui estão as mesmas palavras, ditas em Vibração e em Luz e em silêncio.


... Efusão de Energia ...


Caros Irmãos Humanos, eu lhes dou a palavra para suas perguntas relacionadas com o caminho do Coração. Se eu puder esclarecer mais ainda, farei com Alegria.

 

***





PERGUNTA: SE É IMPORTANTE, HOJE, DEIXAR DE LADO OS RITUAIS, O QUE FAZER COM AS PRÁTICAS COM AS QUAIS ESTAMOS ACOSTUMADOS?

O importante, amado irmão humano, é viver na Verdade.

Se a intenção é justa, se a intenção é luminosa, se a intenção é Unitária, então vocês não precisam se carregar com rituais, a partir do momento que vocês conectarem a Luz e a Vibração, que vocês conectarem a Inteligência Suprema que age por ela mesma, na Virtude das leis do Amor, das leis da atração e das leis Unitárias, sem fazer uso de qualquer poder.

A entrega para a Luz que vocês captam é o inverso da vontade, da direção a ser dada para a Luz.

A Luz sabe.
A Luz é Amor.
A Luz é Vibração Inteligente.

Se vocês estiverem conectados a ela, ela vai agir através de vocês, sem qualquer vontade própria.
Assim, neste contexto de religação com a Unidade, não há necessidade, efetivamente, de preocupar-se com outra coisa que Ser, de alguma forma, o canal da Vibração da Essência e da Verdade.

A partir desse momento, vocês descobrirão a confiança na Vida, a confiança na Luz, e não mais numa técnica, tenha sido ela comprovada, tenha sido ela importante.

A época e os momentos em que vocês vivem hoje são momentos que transcendem as barreiras do tempo e as barreiras da aprendizagem, como foi ensinado desde tempos imemoriais.

Isto não corresponde tanto à transformação das leis existentes, mas ao cumprimento da Verdade e da Luz, na sua dimensão, e a Luz, lembrem, é simples, a Luz é inteligente, muito mais do que jamais o será sua razão ou sua mente.

A partir desse momento, e a partir do momento em que vocês estiverem conectados, vocês devem entregar-se para a Inteligência da Luz e, nesse momento, efetivamente, vocês não precisam de mais nada, porque vocês se tornaram Verdade, Unidade e simplicidade.

 

***





PERGUNTA: ISTO VALE TAMBÉM PARA O USO DE FERRAMENTAS COMO CRISTAIS OU PÊNDULOS?

Amado Irmão Humano, se você estiver conectado à Luz e à Verdade, a Luz e a Verdade o libertarão de qualquer sistema de conhecimento.

Na verdade, a partir do momento em que a Consciência tem acesso, na humildade e simplicidade, à Luz, ela trabalha, e as ferramentas, sejam elas quais forem, não têm razão de ser porque o Espírito torna-se o condutor da Luz.

Esta trabalha na inteligência para compensar qualquer desequilíbrio ligado à Presença da dualidade, à Presença da Sombra e da Luz, na sua dimensão dissociada.

Transcendendo-a, então sim, neste momento o Milagre pode tornar-se diário e permanente.
O Milagre é somente a emergência, dentro da sua densidade, da Luz.

O que era ontem, raro, extremamente raro, vai se tornar importante no seu modo de funcionamento.
Assim, a Luz se revelando, é capaz, com toda Inteligência, pela sua Presença e por sua qualidade de Vibração de Amor, de transcender todo sofrimento presente no seu mundo, porque ela dissolve, literalmente, a dualidade.

Obviamente, isto requer, no âmago da sua Consciência, uma confiança, uma forma de aprendizagem, um abandono total da sua vontade própria.

Isso não significa tornar-se sem vontades, mas de se remeter ao princípio Unitário, se remeter à simplicidade e, sobretudo, à humildade.

A humildade de aceitar que a Inteligência da Luz vai trabalhar com muito mais precisão, muito mais poder, mais simplesmente que todas as técnicas, as mais elaboradas.

Então, isso pode acontecer em um instante.

Isso, para a maioria de vocês, levará, no entanto, certo tempo, porque vocês têm que aprender a desaprender, vocês devem aprender a confiança, vocês viveram antes num mundo em que a confiança era dependente do princípio da causalidade, do princípio de ação / reação e do princípio de discernimento.

Hoje, abrem-se, para vocês, dimensões desconhecidas em seus mecanismos de funcionamento e, no entanto, eles são a sua Essência e a sua imanência.

É de sua responsabilidade deixá-los se expressar para reencontrá-los na totalidade.

Isto passa pelo caminho do Coração, o caminho da humildade, e pelo caminho da simplicidade.

Na medida em que vocês aceitarem a simplicidade e o Coração, vocês descobrirão o poder e a Glória da Luz e da Vibração, mas isso requer o que o Arcanjo Anael expressou longamente: uma entrega total e plena fé nas possibilidades da Luz e da Vibração.

Isso, novamente, é aprendizagem mais ou menos longa de acordo com os caminhos que vocês percorreram nesta densidade, nesta vida e em outras vidas.

É de sua responsabilidade experimentar, manifestar as Vibrações do Coração e tentar, pedindo à Inteligência da Luz (ou a seus representantes, Anjos, Arcanjos e Seres de outras dimensões), manifestar a sua Luz, a fim de iluminar a sua Vida, seu corpo, para iluminar o que vocês chamam de problemas, e fazê-lo com fé, com probidade e integridade.

Vocês observarão, então, muito rapidamente, e de forma, eu diria, instantânea, os efeitos em sua Consciência e no curso de sua vida.

 

***





PERGUNTA: COM O QUE SE ASSEMELHARÁ A TERRA QUANDO NÓS PASSARMOS DA 3ª. PARA A 5ª. DIMENSÃO?

A pergunta que você está me fazendo, amado Irmão Humano, exige uma resposta especial.

O que vocês concebem do que vocês chamam Terra, não é a Terra, no cerne da Nova Dimensão.

A transformação que vocês vivem, pela Luz e pela elevação de suas Vibrações, afeta positivamente, também, a Terra.

Ela também vive, à sua própria maneira, as Núpcias Celestes.

Não é possível discutir o esboço da nova Terra, porque, certamente, é uma nova Terra.
As palavras de hoje seriam muito pálidas e só poderiam levá-los a um erro sobre a qualidade e a quantidade vibratória da Luz e do Amor que se tornará a Terra, no âmago de sua dimensão sagrada, no seio da sua Ascensão.

Numerosos itens serão transmutados.

Eu não posso dizer mais, mas vocês vão descobrir, na medida em que vocês entrarem no cerne desta simplicidade, no âmago do momento presente, vocês descobrirão a visão de um futuro provável e real.
Cabe-lhes tirar suas próprias conclusões sobre o que vocês vão perceber e sentir.

A Terra ascensionada é Vibração e Luz.

A Terra antiga será, de alguma forma, uma concha, uma memória, da mesma forma que hoje, vocês, enquanto entidades, são o resultado, é claro, do que vocês viveram.

Mas, hoje, podem dizer que vocês têm a mesma forma e o mesmo pensamento que vocês tinham algum tempo atrás?

E, portanto, vocês se reconhecem como sendo os mesmos e vocês são muito diferentes.

É o mesmo para a Terra.

 

***





PERGUNTA: COMO VIVER A ALEGRIA SEM EMOÇÃO? QUAL É A DIFERENÇA ENTRE OS DOIS?

A Alegria não é prazer. A Alegria não é emoção.

Alegria é um estado de Ser, no âmago mesmo da Vibração do Coração.

Vivendo na Vibração do Coração, a Alegria sem motivo floresce naturalmente.

A Vibração do Coração conduz, inevitavelmente, se vocês a deixarem agir em vocês, nessa Alegria; essa Alegria que pode invadir e se tornar Samadhi.

Samadhi de diferentes formas e diferentes manifestações, como foi mostrado em todas as correntes tradicionais, pelos Seres Despertos no nível de seu Coração.

O Coração é Alegria.

O Coração, o Amor, a Vibração da Vida, é Alegria.

Assim, a Alegria não pode ser condicionada pela satisfação de um desejo fugaz, qualquer que seja, mesmo espiritual.

A Alegria é realmente um estado de Ser onde a Consciência se estabelece no íntimo da Vibração do Coração e nada mais.

É um estado que se cultiva e que se mantém.

Cultivar a Alegria, cultivar o riso, sem motivo, permite realmente acender a dimensão de Ser porque vocês são seres de Alegria, mesmo se vocês ainda não têm, totalmente, a Consciência e integrado a dimensão.

Quando vocês descobrem os espaços interiores ligados ao Coração da Luz e da Vibração, vocês percorrem a Alegria e se tornam a Alegria.

Olhem como alguns seres (tanto na sua tradição, como nas tradições orientais, como entre os Soufis, como em outras tradições ditas primitivas) que atingiram o Ser e a Eternidade, se transformaram em Seres de Alegria.

A Alegria era o seu Ser.

A Alegria era a sua manifestação porque eles eram a Alegria.

A Alegria não pode ser equiparada a uma satisfação.

A Alegria não pode ser equiparada a alguma coisa que vocês devem procurar fora.

A Alegria vem do seu Ser, quando vocês o encontram, quando vocês o deixam florescer, quando a emoção fica de fora, quando a mente está em silêncio.

Assim, se expressar sobre a Alegria não é a Alegria.

A Alegria é, tão simplesmente, uma Vibração
onde há coincidência entre o Ser e a personalidade,
onde não há mais distância entre o que vocês são, na Verdade, e o que vocês manifestam nesta dimensão.

 

***





PERGUNTA: PODE NOS FALAR DE CRISTO NOS ASPECTOS LIGADOS A ENERGIAS DE CURA?

Cristo não poderia ser melhor definido, e não pode ser melhor definido, hoje, como sendo a Via, a Verdade e a Vida.

Descobrir Cristo é, certamente, afiliar-se e religar-se a uma Entidade histórica e mítica, ao mesmo tempo, também é mostrar o Caminho, a Verdade, a Vida e, portanto, a Unidade.

Na Unidade, não há lugar para a doença.

A cura é instantânea.

Refiro-me ao que pertence à sua história e algumas passagens históricas onde Cristo disse: "Vai e não peques mais", ele disse também: "A tua fé te salvou", ele também disse: « Quem me alcançou? »
Cristo é a Fonte de água Viva.

Cristo é a fonte de Fogo, Fogo Redentor e Fogo do Amor, Fogo que consome e queima, literalmente, as Sombras, ou o que vocês teriam uma certa tendência a chamar, para alguns de vocês, os pecados, as Sombras ou as doenças.

Cristo é a dimensão de Ser, plenamente recuperada e manifestada, na sua totalidade, no seio desta densidade.

Cristo é um estado de Ser.

Percorrer o caminho de Cristo consiste em dar-se a si próprio para a Luz, consiste em dar-se para a Inteligência de Luz e consiste, portanto, em manifestar o sentido mais absoluto do Serviço.

Serviço para a Vida.

Serviço para o outro.

Serviço e Doação, não há alternativa para reencontrar Cristo e reencontrar a cura.

 

***





PERGUNTA: O QUE SÃO O DESPERTAR E A ILUMINAÇÃO NO CAMINHO ESPIRITUAL?

O Despertar corresponde ao processo no qual vai se manifestar a prova, para vocês, da Verdade da Luz, mesmo que ela não esteja estabelecida de forma estável e definitiva em vocês.

A Iluminação corresponde ao reencontro, na Verdade, com a Luz.

A Realização corresponde à conclusão dos trabalhos da Luz.

Na Ressurreição, está o reencontro com o seu Veículo de Ser e com o Fogo do Amor.

Assim, como foi ilustrado, de forma muito adequada pelo o desenrolar da Vida de Cristo, da qual você falava.

Há Nascimento, há Batismo, há Transfiguração, há Crucificação e há Ressurreição: cinco etapas iniciáticas pertencendo ao seu caminho, para o seu reencontro com vocês mesmos, não nesta dimensão limitada, mas no âmago de seu Ser.

Isto é hoje oferecido ao conjunto da Humanidade de uma forma acelerada, devido às características específicas dos tempos em que vocês vivenciam, nesta densidade.

Na minha última encarnação, isto ainda não era possível.

Estávamos sujeitos a leis antigas e imemoriais, estávamos sujeitos a limitações que desapareceram.
Hoje, é claro, muitos seres humanos ainda não podem acreditar que são seres ilimitados, tendo percorrido tantas e tantas vezes os caminhos da limitação.

No entanto, isto se revela para vocês, mais e mais.

Cada um do seu jeito, vocês descobrem novos espaços, novas Luzes, novas Vibrações que concorrem para torná-los Seres Despertos, Seres que estão a caminho da Verdade do que são, de modo a permitir para um maior número, acessar, na hora certa, este Estado de Ser, esta dimensão de Ressurreição que fará vocês passarem, diretamente, do Despertar à Ressurreição, sem mesmo passar, para a maioria de vocês, pela Crucificação ou pela Transfiguração.

Este é o Milagre dos tempos que vocês vivem, tempos, chamados pelos Arcanjos, de reduzidos.

Tempos particulares também chamados pelos Arcanjos e por São João, de ‘Apocalipse’, que significa simplesmente Revelação: o que estava escondido e sombrio deve apagar-se frente à grandiosidade da Luz.

Amados Irmãos Humanos encarnados, transmito-lhes minhas bênçãos mais fraternas, a minha homenagem e meu Amor. Eu vos abençôo.



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

 

 

Mensagem do Amado e Venerável RAM de origem francesa
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=420
26 de Setembro de 2009

 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


Tradução para o Português - Nicole Contrain

Postado por Nicole Contrain, em 11 de Outubro de 2009.

Transcrição e edição – Zulma Peixinho

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

publicado por luzdecuraeamor às 22:00
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Março de 2010

Ensinamentos de Sai Baba - Parte Um – O Caminho da Devoção - 2º Capítulo: Entrega - A Transformação do Homem em Deus

Capítulo 2


 
O Universo
O Caminho da Devoção
Seu Ser Superior é Deus
O Poder Ilimitado de Deus
O Devoto é Maior até mesmo do que Deus
Você Pode Atar Deus Com o Poder do Amor
Da Dualidade a Não-Dualidade
Perto e Querido
Não Demonstre Ódio a Ser Algum



Krishna declarou na Gita: "Se você entregar-se completamente a Mim, e refugiar-se em Mim; você será protegido por Mim. Eu eliminarei seus pecados e irei guiá-lo à auto-realização." Você deve ter este ensinamento como um tesouro em seu coração. Firmemente, siga o caminho da entrega ao Senhor; e Ele cuidará de você, e levará você até Ele.

Encarnações do Amor,

O poder de Deus é incomensurável e ilimitado. A grande diversidade que você percebe quando observa o universo é resultado do poder divino de iludir. O universo físico visível aos olhos humanos é apenas uma parte muito pequena do infinito poder de Deus. Todos os mundos podem ser cobertos por apenas uma fração do pé do Senhor. É impossível entender a grandeza do Senhor. Ele permeia todo o universo, grosso e sutil. Não há lugar onde Ele não esteja.

O Universo

O universo é o corpo de Deus. Ele encarnou-se na criação. Para entender o princípio divino no qual repousa o universo, você pode começar considerando o tamanho, a vastidão do universo. A Lua está a centenas de milhares de milhas da Terra. O Sol está a dezenas de milhões de milhas. Até mesmo a estrela mais próxima está a milhões e mais milhões de milhas; e, além disso, nos limites mais longínquos do universo visível, há estrelas que estão bilhões de vezes mais longe. Mas tudo isso que constitui o universo físico e que para nossa visão limitada é tão infinitamente vasto, é apenas uma minúscula parte do universo sutil. Comparado a este universo sutil, todo o grande universo físico não é maior do que o tamanho de um átomo.

O universo sutil, que é tão indescritivelmente grande quando comparado ao universo físico, é apenas uma parte microscópica de um aspecto muito, muito mais vasto que pode ser exposto como o universo causal. Este é conhecido como universo causal por ser desse finíssimo aspecto que se originam os mundos físico e sutil. Todos estes três mundos, o físico, o sutil (ou mental) e o causal são tão incrivelmente grandes que as escrituras declaram que estes não podem ser entendidos pela mente humana ou descritos em palavras. Esses mundos estão além da imaginação, além da habilidade mental de entendimento. Ainda assim, além de todos esses, transcendendo o físico, o sutil e o causal, está o princípio divino, a causa fundamental de tudo.

O Caminho da Devoção

Deus está além do físico, do sutil e do causal. Mas, como Soberano, Ele governa todos estes. Ele é o Senhor do tempo: passado, presente e futuro. Aos seres humanos foram dadas capacidades limitadas, assim, é muito difícil entender o princípio divino. Nesse caso, o caminho mais fácil a seguir é o caminho da devoção. Esse foi o quê Krishna ensinou a Arjuna. Krishna descreveu o caminho devocional em três etapas.

A primeira e mais importante é:

Trabalhe para Deus! - Você pode não se dar conta, mas cada pequena parte de seu trabalho seu já é feita para Deus. Ele é o supremo Senhor deste mundo, e tudo aqui pertence a Ele. Sabendo disso, conscientemente, faça de cada ação que você executa uma oferta a Deus. Devote todos os seus trabalhos a Ele, lembrando-se sempre de que Deus não está fora de você.

A segunda etapa é:

Por Deus e nada mais! - Até esta etapa, você só pensou em si mesmo. Mas, quem é você ? Quem é esse "eu" que você usa para se referir a si mesmo ? Krishna disse: "Sou Eu quem resplandece em você." Este "eu" emana do ser supremo, do ser imortal, o atma. Este "eu" não deveria ser igualado ao corpo, ou à mente, ou à faculdade intuitiva, ou a qualquer outro aspecto do indivíduo. Ele transcende o pequeno ‘eu’ particular do indivíduo. Este "eu" se relaciona apenas ao ilimitado, ao ser impessoal, ao ser divino, que é o verdadeiro ser de cada um.

O limitado ser pessoal, chamando a si mesmo de "eu", associou-se ao universal. Mas o ser pessoal não é o ser real. Trata-se apenas de um reflexo do ser divino uno e imortal. Tudo que você tem feito tem sido para a satisfação do ser divino somente. Não percebendo esta sagrada verdade, você tem sido pegado e arrastado pela ilusão. Krishna disse a Arjuna: "O que quer que você faça, faça para satisfazer a Mim; faça por Mim. Faça tudo para Mim. Execute todas as suas ações em Meu benefício. Aja como Meu agente." Esse "Mim", "Meu" ou "Eu" que Krishna fala, não se refere a Deus fora de você. Refere-se ao atma, seu ser divino. Faça tudo, seja lá o que for, por Deus e mais nada, que não é outro senão o seu ser mais elevado.

A terceira etapa é:

Devote-se apenas a Deus! - Entenda o segredo interno desta diretiva. Devoção é a expressão do amor; e a emoção chamada amor emana de Deus, seu ser superior. O amor vem de Deus e é dirigido a Deus. O amor não tem relação alguma com sentimentos mundanos ou coisas profanas. Amor, que é apenas outra palavra para devoção, é o verdadeiro nome de seu ser mais elevado. Este princípio do amor, emanando do âmago de seu coração, deve saturar cada ação, palavra e pensamento. Isto acontecerá quando você considerar que tudo o quê faz, diz ou pensa é para a satisfação de Deus e mais nada.

Seu Ser Superior é Deus

No estado de vigília, você pode pensar que está fazendo tudo por causa do seu corpo e da sua mente. Mas, em sono profundo, você não está consciente de seu corpo ou de sua mente. Então, por quem você aproveita o descanso e a paz do sono? É por você mesmo. Dormir, alimentar-se, todas as várias atividades de sua vida diária são feitas apenas pelo amor que você tem a si mesmo. Você acredita que está fazendo tudo isso para seu ser pessoal, que você experimenta como sendo separado de Deus. Mas o "eu" que você chama a si mesmo, na verdade, emerge de seu ser mais elevado, que não é diferente de Deus. Tudo que você faz por amor a si mesmo chega a seu ser mais elevado e, assim, chega a Deus. Dessa forma, você deve fazer tudo com a consciência de que qualquer ação que você faça, boa ou má, certamente atingirá a Deus. Devoção significa tornar todas as suas ações sagradas e dedicadas apenas a Deus.

Nas antigas escrituras, nós encontramos a conversa entre um sábio e sua esposa na qual ele explica este significado interno a ela. Ele disse: "Pelo bem de quem você me ama? Caso você examine suas intenções mais profundas, você descobrirá que é por seu próprio bem. A esposa não ama o marido pelo bem do marido. É pelo bem dela mesmo que o marido é amado. E este ser dela é o verdadeiro ser, o ser superior. Você pode pensar que a mãe ama a criança pelo bem da criança, mas não é assim. É pelo bem dela mesmo que ela ama a criança. Novamente, pelo bem de seu ser mais elevado. Você pode sentir que o professor ama o aluno pelo bem do aluno, mas é por seu próprio bem que ele ama o aluno. De igual maneira, o devoto não ama a Deus pelo bem de Deus; é realmente por seu próprio bem que ele ama a Deus."

Quando o devoto sente a profunda alegria do amor por Deus, ele acredita que seu ser pessoal é quem sente esta alegria. Assim, seu amor por Deus apresenta traços de egoísmo. Mas o amor de Deus pelo devoto é completamente diferente. O amor de Deus pelo devoto não é egoísta. É somente pelo devoto. Nesse ponto, encontra-se uma verdade escondida muito importante, a qual pode ser encontrada por trás de cada prática espiritual: Deus não possui sentimento de individualidade ou separação. Ele não sente que algumas coisas pertencem a ele, outras não. Quando há o sentimento de diferença e individualidade, surgem o egoísmo e os sentimentos de "eu" e "meu". Mas Deus não se limita a alguma forma em particular. Ele não sente a separação do "meu" e "seu". Ele não possui egoísmo. Essas três regras: "Trabalhe para Deus...! Por Deus e nada mais...! Devote-se apenas a Deus...!" são dadas para o seu bem. Elas não são prescritas para beneficiar a Deus, mas para beneficiar você. Essas regras pretendem ajudá-lo a perceber seu verdadeiro ser removendo todos os traços de egoísmo e separação que encobrem a sua verdade e não permitem a você se tornar um com Deus.

O Poder Ilimitado de Deus

Caso você precise de um pouco de brisa, você pode pegar um leque e abanar-se. Assim, você obtém um pouco de ar. Por outro lado, quando há um poderoso tufão, você encontra grandes ondas quebrando na costa e árvores, até mesmo as grandes, sendo arrancadas pela raiz. A brisa de seu leque é muito limitada, mas o poder de Deus é tremendo; é ilimitado. Considere outros exemplos. Quando você tenta tirar água de um poço, você só pode tirar uma pequena quantidade. Mas quando há um pesado dilúvio, pequenas correntezas tornar-se-ão rios caudalosos que formarão um único grande fluxo de água. Um vem do poder limitado do homem; outro, do poder ilimitado de Deus.

Considere o exemplo em que há necessidade de luz em sua casa. Você poderá ascender uma vela ou ligar uma lâmpada elétrica. Mas, na alvorada, quando o Sol nasce, toda cidade e a floresta serão inundadas com a luz do sol. A pequena luz da sua lâmpada é muito fraca quando comparada ao esplendor do sol, que brilha magnificamente em toda parte. Novamente, este é o poder ilimitado de Deus comparado ao limitado poder do homem. Como você pode alcançar este poder ilimitado de Deus? Como pode a limitada capacidade do ser humano transformar-se na capacidade ilimitada de Deus? O modo é a entrega.

O Senhor declarou na Gita: "Eu destruirei todos os seus pecados e o elevarei à suprema posição que é a Minha própria." Como isso pode acontecer? O mundo físico que você vê com os seus olhos é o aspecto mais denso do universo. Quando esse aspecto mais denso assume uma forma mais sutil, na mente, você tem o universo sutil. E quando o aspecto sutil assume uma forma ainda mais sutil, no coração, você tem o universo causal. O Senhor infinito está além de todos estes aspectos. Ele é maior do que tudo que é grande, mas Ele assume uma forma menor do que tudo que é pequeno e se instala no próprio coração do devoto, nas profundezas do aspecto causal. A maravilhosa verdade é que o vasto, o ilimitado e poderoso Senhor se permite ser aprisionado no coração do devoto. Aqui está uma estória que ilustra isso.

O Devoto é Maior até mesmo do que Deus

Uma vez o sábio Narada veio à presença do Senhor. O Senhor perguntou: "Narada, em todas as suas viagens pelo mundo, você foi capaz de descobrir o principal segredo do universo? Você foi capaz de entender o mistério por trás deste mundo? Onde quer que você olhe, você vê cinco grandes elementos: terra, água, fogo, ar e éter. Qual você pensa ocupar o primeiro lugar? De tudo que pode ser encontrado no universo, o quê pode ser considerado o mais importante de todos?"

Narada pensou um instante e então respondeu: "Senhor, dos cinco elementos, o mais denso, o maior e o mais importante é certamente o elemento terra." O Senhor respondeu: "Como pode o elemento terra ser o maior quando três quartos da Terra são cobertos pela água e apenas um quarto é terra? Essa terra toda está sendo engolida pela água. O quê é maior: a coisa que está sendo engolida ou aquilo que esta engolindo?" Narada reconheceu que a água era maior por ter engolido a terra.

O Senhor continuou seu questionamento. Ele disse: "Mas, Narada, nós temos o antigo conto no qual, quando os demônios se esconderam nas águas, a fim de encontrá-los, um grande sábio veio e engoliu o oceano inteiro num só gole. Você acha que o sábio é maior ou o oceano é maior?" Narada teve de concordar que, sem dúvidas, o sábio era certamente maior do que a água que tinha engolido. "Mas," continuou o Senhor, "é dito que quando ele deixou seu corpo terreno, este mesmo sábio se tornou uma estrela no firmamento. Esse grande sábio está aparecendo, agora, somente como uma pequena estrela na vasta extensão do céu. Então, o que você acha que é maior: o sábio ou o céu ?" Narada respondeu: "Swami, o céu é certamente maior do que o sábio." Então o Senhor perguntou: "Ainda assim, nós sabemos que, uma vez, quando o Senhor veio como avatar e encarnou num corpo de anão, Ele se expandiu tão enormemente que era capaz de cobrir ambos, a terra e o céu, só com um de Seus pés. Você acha que o pé de Deus é maior, ou o céu?" "O pé de Deus certamente é maior," Narada respondeu. Mas o Senhor perguntou: "Se o pé do Senhor é tão grande, então... e sua forma infinita?

Nessa hora, Narada sentiu que havia chegado à conclusão final. "Sim," disse exultante, "o Senhor é maior do que tudo. Ele é infinito, além das medidas. Em todos os mundos, não há nada maior do que Ele." Mas o Senhor tinha ainda mais uma pergunta. "E o devoto que foi capaz de prender este Senhor infinito dentro de seu próprio coração? Diga-me agora, Narada, quem é maior: o devoto que tem o Senhor preso ou o Senhor que é preso pelo devoto?" Narada teve de admitir que o devoto era maior até mesmo que o Senhor e que, conseqüentemente, o devoto deve vir primeiro em importância sobre tudo, ultrapassando até mesmo o Senhor.

Você Pode Atar Deus Com o Poder do Amor

Um poder enorme, que pode atar até mesmo Deus, está ao alcance de cada devoto. Seja qual for a imensidão e a capacidade de qualquer poder, quão magnífico possa ser, se for limitado por algo mais, então aquilo que vincula deve ser considerado mais poderoso. O temeroso poder de Deus foi limitado pelo poder do amor; conseqüentemente, neste caminho da devoção, você pode amarrar o Senhor e mantê-Lo preso em seu coração. Se você pegar uma gota da água do oceano e a mantiver na palma de sua mão, comparada ao oceano a gota parece muito, muito pequena. Mas coloque a mesma gota d’água de volta ao oceano e ela se torna parte do oceano infinito. Se sua pequenez de ser humano for unida ao vasto poder do Senhor, você se torna infinito e todo-poderoso; você se torna um com Deus. Nas escrituras é dito: "O conhecedor de Deus realmente se torna Deus." Ou seja, o processo de conhecer a Deus o funde na unidade com Deus. Esse processo que une Deus e você é chamado caminho da devoção.

Infelizmente, muitas pessoas hoje preferem não reconhecer nem mesmo a Deus; ao contrário, preferem confiar somente em sua própria força limitada e se impressionam somente com façanha humana. Eles estão preparados para inclinar-se diante de um oficial da vila ou de um ordinário oficial de governo, mas se recusam mostrar humildade e obediência à personalidade cósmica todo-poderosa, que é o Senhor do universo. Deus, que é a origem e causa de tudo que é visível e invisível, está sendo ignorado. A razão para este estado lamentável é que muito poucas pessoas são capazes de compreender a verdade subjacente a este vasto universo manifestado. Se eles pudessem ver que tudo é apenas um reflexo da divindade una, nunca seguiriam o caminho errado.

Se você tem uma árvore dos desejos em seu quintal, por que buscar por frutos selvagens na floresta? Se você tem a generosa vaca celestial em sua casa, por que perambular pelo mercado a procura de leite para comprar? Se reconhecesse os benefícios sem limites que você obtém tendo a vaca celestial, você não buscaria mais e não seria pego na busca do insignificante. Para mentes estreitas, mesmo coisas pequenas parecem muito grandes. Você tem o que merece; pense pequeno e você se torna pequeno. Os pensamentos pequenos produzem qualidades pequenas. Você é atraído por coisas pequenas por pensar que seu poder é limitado. Mas, na verdade, seu poder é ilimitado.

Da Dualidade a Não-Dualidade

Você permanece pequeno identificando-se com o corpo. Você pensa: 'Eu sou o corpo'. Este pensamento o mantém em um estado de insignificância. Não obstante, expanda sua visão do estágio 'Eu sou o corpo' ao estágio 'Eu sou a alma, a centelha da divindade.' Dessa maneira, eleve-se do estágio de dualismo ao estágio intermediário de não-dualismo qualificado. Em seguida, você deve se expandir além do 'Eu sou a alma, uma parte da divindade' ao estágio 'Eu sou a própria divindade, eu não sou diferente de Deus. Deus e eu somos sempre um.' Este é o estágio espiritual mais elevado, o estágio da completa não-dualidade. O sentimento com o qual você começa , aquele em que você é o corpo, é baseado na dualidade; trata-se exatamente do local onde nasce a tristeza. Enquanto você estiver imerso na dualidade, tudo é tristeza e aflição. Se você se identificar com o ser supremo, tudo será felicidade e alegria.

Você deve elevar seu pensamento e sempre se identificar com seu ser mais elevado, desistindo, assim, da falsa identificação com o corpo. Esta é a atitude apropriada à adoração. A adoração em sânscrito é chamada upasana, que significa sentar-se próximo a Deus. Mas não é suficiente apenas sentar perto e estar próximo. A rã senta-se no lótus, mas ela se beneficia do doce néctar que está no lótus? Apenas estar perto do Senhor não é de qualquer utilidade; você também deve ser querido a Ele. Você deve ser capaz de provar o mel.

Seus vizinhos podem estar muito próximos de você; no entanto, você não fica muito afetado por quaisquer problemas ou dificuldades pelos quais eles possam estar passando. Comparando assim, se seu marido ou filho estiver meio mundo longe e você ficar sem receber uma carta, mesmo que por uma semana; você já começa a se preocupar. Neste caso, o corpo está distante, mas o amor mútuo torna-os próximos e queridos. Seu relacionamento com os seus vizinhos não é carregado com o mesmo amor, embora estejam muito próximo. Considere um outro exemplo. Em uma casa pode haver alguns ratos e formigas perambulando. Você os chama de "amigos"? Juntamente com a presença física, deve haver também estima. Um sentimento profundo de amor deve se desenvolver e permear o relacionamento. Você deve estar próximo e ser querido ao Senhor.

Perto e Querido

Que benefício você obtém estando próximo e sendo querido? Se você se sentar próximo a uma lâmpada, você obtém a luz; com a ajuda da iluminação, você pode fazer algumas atividades úteis a noite. Se você se sentar sob um ventilador, você recebe a brisa fresca e o calor que lhe causava desconforto será eliminado. Durante a estação fria do ano, se você se sentar perto de um fogo, você será protegido do frio que poderá estar incomodando. Em cada caso, uma qualidade é removida e outra toma o seu lugar.

De igual maneira, se você está perto do Senhor, se você se torna querido a Ele; então, você terá o amor dEle. Em breve, todas as más qualidades em você desaparecerão e serão substituídas pelas qualidades boas que Deus encarna. Desenvolva o seu amor de forma que você possa estar cada vez mais perto e mais perto, e ser mais querido e mais querido a Deus. A maneira a mais fácil estar perto de Deus é lembrar-se dEle no que quer que você veja, no que quer que você diga e no que quer que você faça. Pense somente em Deus e em como estar mais próximo e ser mais querido a Ele.

No caminho da devoção, não é suficiente amar a Deus. Você deve também engajar-se em atividades que são agradáveis ao Senhor; assim, você poda evocar o amor de Deus e sentir amor dEle por você. Há várias características que um devoto deve possuir que irão torná-lo querido ao Senhor. Trate a censura ou o elogio, o calor ou o frio, lucro ou perda, alegria ou tristeza, honra ou desonra, ou quaisquer outros pares de opostos com uma mente igual. Não se sinta triste quando criticado ou exaltado quando elogiado. Não se sinta alegre demais pelo lucro ou triste quando há uma perda. Trate calor e frio com uma atitude igual, ambos podem ser uma fonte de alegria para você.

Durante o inverno, a roupa quente será desejável e estar perto de uma fonte de calor dar-lhe-á conforto contra frio. Mas, durante o verão, você desejará roupa leve e dará boas-vindas ao frio. O calor proporciona contentamento algumas vezes, o frio proporciona contentamento outras vezes; a forma como você os utiliza determina se você experimenta este contentamento ou não. Calor e frio, lucro e perda, de fato, todos os vários pares de opostos e tudo mais no mundo têm a sua utilidade. Tudo foi criado com um propósito; contudo, você precisa usá-los de maneira apropriada a sua vida e a seu estágio de desenvolvimento.

Não Demonstre Ódio a Ser Algum

Seria completa insensatez dar um cálice de ouro a uma criança ou dar uma espada a um homem louco. Um cálice de ouro, que é altamente valioso, deve ser dado somente a uma pessoa que aprecie seu valor. Tal pessoa obterá grande prazer e saberá usá-lo. Da mesma forma, aquele que conhece o valor da devoção irá usá-la para preencher a si mesmo e aos outros de pura alegria.
O amor verdadeiro nunca dará problema a quem quer que seja, nunca levará uma pessoa a odiar outra. No décimo segundo capítulo da Gita, as qualidades desejáveis de um devoto são enumeradas. Essas qualidades começam assim: 'Possa não haver inimizade dirigida a qualquer criatura no mundo.' Repetir como papagaio: "Senhor, eu te amo", "Senhor, eu te amo", enquanto, ao mesmo tempo, se causa problemas aos outros...; isso não pode ser considerado devoção.

Você se torna um devoto cheio de amor e devoção ao se render completamente e estar pronto para realizar qualquer comandamento do Senhor. Arjuna, por orgulho e egoísmo, estava se sentindo abatido; mas, após escutar o Senhor, Arjuna caiu aos pés divinos e disse: "Senhor, eu sou teu discípulo. Ensina o que é bom para mim. Eu me rendo completamente a Ti." Até aquele momento, eles se tratavam como cunhados. Arjuna era casado com a irmã de Krishna. Mas, uma vez que Arjuna disse: "Eu farei como Tu dizes. Eu cumprirei Teus comandos", ele se tornou um devoto. A transformação ocorreu na mente de Arjuna assim que ele mudou o relacionamento de cunhado para aquele de um discípulo, com o Senhor como seu professor. Essa transformação mental é absolutamente essencial para um devoto. Sem ela, seja qual for nível de proximidade que você sente que possa ter desenvolvido com o Senhor, sua devoção permanecerá infrutífera e inútil.

Estando ciente destes princípios elevados, cumpra seu dever na vida. Mantenha uma mente equilibrada e certifique-se de que o trabalho que você faz é bom e sempre apropriado à ocasião. Estes versos da Gita não devem ser meramente memorizados, mas devem ser postos em prática. Quando você entender completamente seus significados e praticá-los em sua vida diária, suas preocupações brevemente irão deixá-lo e todos os seus pesares desaparecerão.


fonte:
http://www.sintoniasaintgermain.com.br/capitulo02.htm

http://portaldosanjos.ning.com/group/angelbooklivroscomoterapia/for...

publicado por luzdecuraeamor às 21:11
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 12 de Março de 2010

Introdução — o Caminho do

O movimento buddhista do Grande Veículo (sânsc. Mahayana) surgiu na Índia por volta do século II. Este movimento é baseado em diversos textos, que teriam sido registrados a partir de discursos (sânsc. sutra) proferidos pelo próprio Buddha Shakyamuni (século VI a.C.) e então preservados no reino dos nagas — dragões aquáticos com corpo de serpente e cabeça humana — até que os discípulos se tornassem aptos a recebê-los. Uma dessas pessoas aptas a receber os ensinamentos Mahayana teria sido o monge indiano Nagarjuna (século II-III), cujos trabalhos deram origem à escola filosófica do Caminho do Meio (sânsc. Madhyamaka). Nagarjuna não tinha a intenção de criar uma filosofia, mas sim de elucidar os ensinamentos dos Discursos sobre a Perfeição da Sabedoria (sânsc. Prajnaparamita Sutra), um conjunto de textos Mahayana que ele teria recebido diretamente dos nagas.


Nagarjuna recebendo
textos dos nagas

Em termos históricos, este textos apareceram da seguinte forma:

* Entre os séculos I a.C. e I d.C., surgiram o Ratnaguna Samcharya Gatha e o Ashtahasrika Prajnaparamita Sutra (Discurso da Perfeição da Sabedoria em 8.000 Linhas);

*Entre os séculos I e III, surgiram sutras mais elaborados, como os de 18.000, 25.000 e 100.000 linhas. Provavelmente, foi nesta época que apareceu o Vajracchedika Prajnaparamita Sutra (Discurso do Lapidador de Diamantes da Perfeição da Sabedoria, mais conhecido como o Sutra do Diamante);

*Entre os séculos III e V, surgiram textos mais concisos, entre eles o Sutra do Coração, ou Bhagavati Prajnaparamita Hridaya Sutra (Discurso do Coração da Venerável Perfeição da Sabedoria);

*Entre os séculos V e X, surgiram textos com influência tântricas.

Segundo uma classificação tradicional, há 3 textos mãe (os discursos em 100.000, 25.000 e 8.000 linhas) e 17 filhos (incluindo os sutras do Coração e do Diamante).

Uma das ênfases dos textos Mahayana é o ideal do ser da iluminação, (sânsc. bodhisattva), alguém que está no caminho para alcançar o estado de Buddha, o estado de iluminação. Os bodhisattvas geram a mente da iluminação (sânsc. bodhichitta), que possui duas qualidades: a grande sabedoria (sânsc. maha-prajna), que transcende a existência cíclica (sânsc. samsara) e percebe a verdadeira natureza da realidade, ou vacuidade (sânsc. shunyata); e a grande compaixão (sânsc. maha-karuna), que transcende o estado de liberação (sânsc. nirvana) com a intenção de ajudar todos os seres sencientes a atingir a iluminação. Por isso, a bodhichitta relativa manifesta-se através da aspiração e da ação.

A bodhichitta da ação (ou da aplicação) é realizada através das duas acumulações (sânsc. bodhi-sambhara): acumulação de mérito (sânsc. punya-sambhara) e acumulação de sabedoria (sânsc. jnana-sambhara), também conhecida como acumulação de conhecimento ou acumulação de estado desperto atemporal.

Prajnaparamita, a Perfeição da Sabedoria. Com as mãos dos braços inferiores, ela faz o gesto da meditação; com a mão do braço superior direito, ela segura um cetro vajra; e com o mão do braço superior esquerdo, ela segura os texto do Prajnaparamita Sutra

Prajnaparamita, a Perfeição
da Sabedoria


Ao reconhecer a impermanência de todas as coisas, e ao perceber que apenas um buddha — um ser totalmente iluminado — pode trazer benefícios permanentes, a bodhichitta relativa dá origem à bodhichitta absoluta, ou última, que manifesta a grande sabedoria (sânsc. maha-prajna). Esta grande sabedoria não é um conhecimento intelectual, mas sim a compreensão da verdadeira natureza dos fenômenos — a vacuidade (sânsc. shunyata). O vazio (sânsc. shunya) é a ausência de uma essência, entidade ou existência inerente (sânsc. svabhava). A ausência de uma essência não significa que os fenômenos não existam, mas sim que eles são destituídos de "existência própria," de uma "natureza própria", e que eles "existem" apenas relativamente, em dependência de causas, partes e condições. Por causa de nossos obscurecimentos, percebemos os fenômenos de forma errônea, distorcida ou exagerada.

A verdade relativa está relacionada ao samsara, aos cinco agregados da forma, sensação, percepção, vontade e consciência. Nesta experiência ordinária, há a ignorância, que gera os hábitos dualistas de "eu" e "outro", o apego e a aversão, e conseqüentemente o karma do sofrimento. Neste contexto, para beneficiar os seres que têm esta experiência, foram ensinadas as quatro nobres verdades sobre o sofrimento, a causa, a cessação e o caminho. A verdade absoluta, entretanto, está relacionada ao nirvana, à vacuidade do agregados. Nesta experiência extraordinária, há sabedoria, destituída dos hábitos dualistas de "eu" e "outro", sem apego ou aversão, e conseqüentemente está além do karma, além do sofrimento. Neste contexto, os discursos sobre a perfeição da sabedoria apresentam a inexistência do sofrimento, da causa, da cessação e do caminho. Apesar de, em termos relativos, haver a experiência de samsara e nirvana, no nível da verdade absoluta não há essa dualidade ou separação; o nirvana é a verdadeira natureza do samsara.



Quando o Buddha ensinou as quatro nobres verdades, primeiro ele identificou os verdadeiros sofrimentos, causas, cessações e caminhos. Então ele disse: "Os sofrimentos são para serem reconhecidos, mas não há nada a ser reconhecido. As causas de sofrimento são para ser abandonadas, mas não há nada a ser abandonado. A cessação é para ser efetivada, mas não há nada a ser efetivado. O caminho é para ser meditado, mas nada há a ser meditado."
O significado é que, ainda que haja fatores para serem convencionalmente (e validamente) reconhecidos, abandonados, efetivados e meditados, nada há a ser reconhecido, abandonado, efetivado e meditado em última instância. Do ponto de vista da realidade última, todos esses estão além da atividade. Tudo tem o mesmo sabor no vazio da existência inerente. Desta forma, o Buddha especificou a perspectiva das duas verdades — relativa e absoluta.


(Dalai Lama, How to Practice)


O Sutra do Coração em sânscrito, escrito em caracteres siddham


Ao atravessar nossas versões conceituais do mundo com a espada da sabedoria, descobrimos shunyata — o vazio, a vacuidade, a ausência de dualidade e conceitualização. O mais conhecido dos ensinamentos de Buddha sobre o assunto é apresentado no Prajnaparamita Hridaya, também conhecido como o Sutra do Coração; mas, curiosamente, nesse sutra o Buddha pronuncia somente uma palavra. No fim do discurso, apenas diz "Bem dito, bem dito", e sorri. Ele criou uma situação em que o ensinamento de shunyata é exposto pelos outros ao invés de ele mesmo ser o verdadeiro intérprete. Ele não impôs sua comunicação, mas sim criou a situação em que o ensinamento pôde ocorrer, em que seus discípulos estavam inspirados a descobrir e experienciar shunyata. Existem doze estilos de apresentar o Dharma, e este é um deles.

Este sutra refere-se a Avalokiteshvara — o bodhisattva que representa a compaixão e os meios hábeis — e a Shariputra — o grande arhat que representa prajna, a sabedoria. Existem diferenças entre as traduções tibetana, [sino-]japonesa e o sânscrito original, mas todas as versões afirmam que Avalokiteshvara foi compelido a despertar para shunyata pela força avassaladora da sabedoria. Em seguida, Avalokiteshvara falou com Shariputra, que representa a pessoa de espírito científico ou de conhecimento preciso. Os ensinamentos de Buddha foram colocados sob o microscópio de Shariputra, o que quer dizer que esses ensinamentos não foram aceitos com fé cega, mas sim examinados, praticados, experienciados e postos à prova.




(Chögyam Trungpa, Cutting Through Spiritual Materialism)



Se você é poeta, vê claramente uma nuvem em um papel em branco. Se não existir a nuvem, a chuva não cai. Se não cair a chuva, a árvore não cresce. Se não cresce a árvore, não se faz papel. Então, podemos dizer que o papel e a nuvem se encontram em interexistência. Se observarmos mais profundamente o papel, veremos nele a luz do sol. Sem a luz do sol, o mato não cresce. Ou melhor, sem ela, nada no mundo cresce. Por isso, reconhecemos que a luz do sol também existe no papel em branco. O papel e a luz do sol encontram-se em interexistência. Se continuarmos observando profundamente, veremos o lenhador que cortou a árvore posteriormente levada à marcenaria.

Veremos também o trigo no papel. Sabemos que o lenhador não pode existir sem o pão de cada dia. Por isso, o trigo, a matéria-prima do pão, também existe no papel. Pensando desta maneira, reconhecemos que um papel branco não pode existir quando faltar qualquer um destes elementos. Não posso citar nada que não esteja aqui, agora. O tempo, o espaço, a chuva, os minerais contidos no solo, a luz do sol, as nuvens, os rios, o calor... tudo está aqui, agora. Não podemos existir sozinhos.

Este papel branco é totalmente constituído de "elementos que não são papel". Se devolvermos todos os "elementos que não sejam papel" à sua origem, o papel deixará de existir. O papel não existirá se forem tirados os "elementos que não sejam papel". O papel, em sua espessura fina, contém tudo do universo. Nele, não há nada que não exista em interdependência. A inexistência de elementos independentes significa que tudo é satisfeito por tudo.
Temos que existir em interexistência com os demais, assim como um papel que existe porque todo os demais elementos existem.




(Thich Nhat Hanh, citado em Caminho Zen)



Pense numa árvore. Ao pensar nela, você tende a pensar num objeto distintamente definido; e num certo nível [...] é isso mesmo. Mas quando você olha mais de perto para a árvore, percebe que em última análise ela não tem existência independente. Ao contemplá-la, verá que ela se dissolve numa rede extremamente sutil de relações que se estende por todo o universo. A chuva que cai em suas folhas, o vento que a balança, a terra que a alimenta e sustenta, todas as estações e o tempo, o luar, a luz das estrelas e o sol — tudo isso é parte dessa árvore.
À medida que você começa a pensar mais e mais sobre a árvore, descobre que tudo no universo ajuda a fazer parte dela o que é; que ela não pode em momento algum ser separada de qualquer outra coisa; e que é o significado que queremos dar quando dizemos que as coisas são vazias, que não têm existência independente.


(Sogyal Rinpoche, O Livro Tibetano do Viver e do Morrer)



Saiba que todas as coisas são assim: uma miragem, um castelo de nuvens, um sonho, uma aparição, sem essência mas com qualidades que podem ser vistas. Saiba que todas as coisas são assim: como a lua num céu brilhante, refletida em algum lago claro, ainda que para aquele lago a lua jamais se moveu. Saiba que todas as coisas são assim: como um eco que provém da música, sons e lamentos, embora nesse eco não haja melodia. Saiba que todas as coisas são assim: como um mágico que fabrica ilusões de cavalos, bois, carroças e outras coisas; nada é como parece.


(Samadhi-raja Sutra)



Quando dizemos que os fenômenos são vazios, isto não significa que eles são não-existentes [niilismo]. Quando batemos numa mesa, sentimos dor, e esta experiência de dor é prova suficiente de que a mesa existe [relativamente]; esta mesma experiência refutará e negará qualquer conceito errôneo de a mesa ser não-existente. Então qual é o significado de os fenômenos serem vazios? Os fenômenos são vazios no sentido de que eles não têm qualquer existência independente ou inerente.


(Dalai Lama, Dzogchen)



Para explicar estas duas verdades, pode-se usar como exemplo o corpo humano: o que é o "corpo"? É possível apontar a cabeça, o tronco, os membros etc., mas não o "corpo" em si; é possível analisar cada uma destas partes, até chegarmos às partículas da matéria, mas sem encontrar qualquer coisa que, sozinha, possa ser chamado "corpo". Até mesmo as partículas dependem de uma série de fatores interdependentes. Afirmar que o corpo "existe" por si mesmo seria contraditório, mas afirmar que ele "não-existe" também seria contraditório. Dizer que o corpo "existe e não-existe" ou que "não existe nem não-existe" seria apenas uma argumentação absurda.

Assim, poderia-se concluir que o "corpo" é apenas um nome (sânsc. nama), um conceito para designar uma determinada forma (sânsc. rupa) que, por sua vez, surge apenas em dependência de diversas partes, causas e condições — a cabeça, o tronco, os membros, o nascimento etc. Esses elementos, separadamente, não são o "corpo". Aqui, a verdade no nível relativo é que, convencionalmente, "existe" um corpo que surge em dependência das diversas causas, partes e condições. A verdade no nível absoluto é a impossibilidade de se fazer qualquer afirmação definitiva a respeito do "corpo", pois ele não existe por si mesmo, é destituído de existência inerente, nada mais que vacuidade (sânsc. shunyata). Esta lógica também pode ser usada para explicar o anatman, ou não-eu: o conceito de "eu" é vazio pois surge em dependência dos nossos cinco agregados (forma, sensação, percepção, vontade, consciência).



Cada um de nós possui um corpo físico, com o qual temos as experiências de céu e terra, amigos e inimigos, alegria e tristeza. Quando esse corpo se deita à noite para dormir, mesmo que não saia da cama, uma experiência totalmente diferente de corpo, céu, terra, amigos e inimigos aparece — o corpo do sonho, a fala do sonho e a mente do sonho. Quando acordamos, no dia seguinte, novamente temos as experiências do estado de vigília do corpo, fala e mente, que consideramos reais. Por ocasião da morte, quando temos uma outra experiência de corpo, fala e mente, no estado intermediário entre o final desta vida e o começo da próxima, uma experiência até certo ponto semelhante à do sonho, porém mais difícil e amedrontadora. Então, mais uma vez, renascemos com ainda um outro corpo, fala e mente. Se formos capazes de ter realização plena do caminho espiritual, quando da iluminação alcançaremos o corpo vajra ou o corpo de sabedoria, a fala de sabedoria e a mente de sabedoria.

Assim, há uma continuidade no princípio de corpo, fala e mente. No entanto, se pensarmos que ele é uma determinada "coisa", se tentarmos encontrá-lo, determinar seu tamanho ou formato, por mais inteligentes que formos, por mais poderosa a tecnologia que empregarmos, não encontraremos nada que possamos apontar como sendo a natureza do corpo, fala e mente. No entanto, não podemos negar a nossa própria experiência. Essa natureza está além dos conceitos, além da medida da mente ordinária: é aquilo que chamamos vacuidade. Ela não pode ser destruída, mudada nem interrompida — ela exibe as sete qualidades vajra.



(Chagdud Tulku Rinpoche, Portões da Prática Budista Budista)



As cores, os sons, os odores, os sabores e as texturas não são atributos inerentes ao mundo objetivo, não existem independentemente dos nossos sentidos. Os objetos que percebemos nos parecem completamente "exteriores", mas será que possuem características intrínsecas que definam a sua verdadeira natureza? Qual é a realidade do mundo tal como ele existe, independente de nós? É impossível saber, porque a única maneira de o apreender é através dos nossos conceitos. Por conseguinte, segundo o buddhismo, um "mundo" independente de toda a designação conceitual não tem sentido para ninguém.

Consideremos alguns exemplos: o que é um objeto branco? É um comprimento de onda, uma temperatura de cor, partículas em movimento? Essas partículas serão energia, massa, etc.? Nenhum desses atributos pertence intrinsecamente ao objeto; ele são simplesmente o resultado da sua exposição a modos de investigação particulares. Nos textos buddhistas, referem a história de dois cegos a quem explicavam as cores. A um, disse-se que o branco era a cor da neve; quando o cego pegou num pouco de neve, concluiu que o branco era "frio". Ao outro, disse-se que o branco era a cor dos cisne, e ao ouvir o som das asas de um cisne que voava, conclui que o branco fazia "fru.. fru..".

Em resumo, o mundo não pode se determinar sozinho. Se o fizesse, todos nós o perceberíamos da mesma maneira. Não está em questão negar a realidade observável ou dizer que não há realidade fora da mente, mas simplesmente que não há "realidade em si". Os fenômenos existem apenas em dependência de outros fenômenos, eles próprios interdependentes.




(Citado por Matthieu Ricard em Le Moine et le Philosophe)



Nós afirmamos o "eu", de novo e de novo, através da identificação. Nós o identificamos com um certo nome, uma idade, um sexo, uma habilidade, uma ocupação. "Eu sou um médico, Eu sou um advogado, Eu sou um contador, Eu sou um estudante". E identificamos as pessoas às quais estamos apegadas. "Eu sou um esposo, Eu sou uma esposa, Eu sou um pai, Eu sou uma mãe, Eu sou um filho, Eu sou uma filha." Agora, na maneira de falar, usamos o "eu" deste modo — mas não é apenas na fala. Realmente, acreditamos que o "eu" é quem somos. Quando qualquer destes fatores é ameaçado, se o "ser uma esposa" é ameaçado, se o "ser uma mãe" é ameaçado, se o "ser uma advogada" é ameaçado, se o "ser uma professora" é ameaçado — ou se perdemos as pessoas que nos permitem reter aquele "eu" —, que tragédia! [...]

A identificação com qualquer coisa é o que fazemos, e qualquer coisa é o que temos, posses ou pessoas que acreditamos ser necessárias para a nossa sobrevivência. Auto-sobrevivência [sobrevivência do "eu"]. Se não nos identificamos com isto ou aquilo, sentimos como se estivéssemos no limbo. Esta é a razão pela qual é difícil parar de pensar durante a meditação. É porque, sem pensar, não haveria identificação. Se o "eu" não pensa, com o que o "eu" se identifica? É difícil vir a um estágio de meditação no qual não há absolutamente qualquer coisa que se identifique com algo mais.

A felicidade também pode ser uma identificação, "Eu estou feliz", "Eu estou triste". [...] Esta identificação resulta, é claro, no desejo de possuir [felicidade, posses etc.]. E este [desejo de] possuir resulta em apego. [...] Cada momento passa, mas nos apegamos, tentando nos manter neles. Tentando fazer deles uma realidade. Tentando fazer deles uma segurança. Tentando fazer deles algo que não são. Veja como estão passando. [...]

Não há uma entidade específica em qualquer coisa. Isso é a vacuidade. Isto é a nulidade. Essa nulidade é também experienciada na meditação. É vazia, sem qualquer pessoa específica, sem qualquer coisa que a faça permanente, vazia de qualquer coisa a faça permanente, vazia de qualquer coisa que a faça mais importante. A coisa toda está em fluxo. Então, a vacuidade é isso. E a vacuidade deve ser vista em qualquer lugar, é para ser vista em si mesmo. E isso é o que chamado anatman, o não-eu. Vazio de uma entidade. Não há ninguém lá. É tudo imaginação.





(Ayya Khema, Meditating on No-self)


Já que o "eu" não pode ser observado como sendo alguma entidade que é separada da reunião dos cinco agregados e [o suposto "eu"] também não pode ser visto como sendo idêntico com eles [os cinco agregados], a existência de um "eu" não pode ser estabelecida. No primeiro exemplo, [é impossível] que o "eu" tenha existência separada dos agregados porque um sexto agregado adicional teria de existir, por que o apego ao ego aplica-se a mais nada que os agregados [mas este sexto agregado, de fato, não existe]. Além disso, como nenhuma coisa concreta existe separada das características dos agregados e como uma coisa inconcreta não pode realizar uma função, o "eu" não pode ser estabelecido como se existisse separado deles [dos cinco agregados].

Apesar de o "eu" não existir separadamente deste modo, sua existência não poderia ser estabelecida, de acordo com o segundo caso, como sendo idêntica aos agregados? Não, não pode porque suas características são incompatíveis. Em outras palavras, todos os agregados são condicionados e, portanto, provados como sendo impermanentes. Isto é contrário ao [suposto] "eu" que deveria ser permanente, como no caso de saber agora o que se viu antes. Além disso, os agregados são compostos por categorias com muitas divisões, tais como formas, sensações e assim por diante, enquanto se acredita que o "eu" é [supostamente] singular, como no pensamento "Eu sou!" E finalmente, os agregados dependem verificavelmente do surgimento e desaparecimento, enquanto o [suposto] "eu" é obviamente experienciado como sendo independente, como no pensamento "Eu sou!"



(Jamgön Kongtrül, The Light of Wisdom)



Se tudo é impermanente, então tudo é o que chamamos "vazio" [sânsc. shunya], o que significa ausência de qualquer existência durável, estável e inerente; e todas as coisas, quando vistas e compreendidas em sua verdadeira relação, não são independentes, mas interdependentes entre si. O Buddha comparou o universo a uma vasta rede composta por uma infinita variedade de jóias brilhantes, cada uma delas com um número incontável de facetas. Cada jóia reflete em si mesma toda outra jóia do conjunto, que é de fato una com toda as demais.

Pense numa onda no mar. Vista de um modo, parece ter uma identidade distinta, um fim e um começo, um nascimento e uma morte. Vista de outro modo, a onda não existe, mas é apenas o comportamento da água, "vazia" de toda identidade separada, mas "cheia" de água. Assim, quando você pensa a respeito da onda, vem a perceber que se trata de algo que se tornou temporariamente possível pelo fato vento e pela água, e que é dependente de um conjunto de circunstâncias permanentemente mutáveis. Você também percebe que cada onda está relacionada com todas as outras ondas.

Quando observamos atentamente, nada tem qualquer existência inerente e própria, e essa ausência de existência independente é o que chamamos "vacuidade" [sânsc. shunyata].




(Sogyal Rinpoche, O Livro Tibetano do Viver e do Morrer)



Se alguém pegar uma folha de papel e a rasgar, seu ato não perturbará ninguém. Mas se alguém pegar um pedaço de papel que seja uma nota de cem dólares e começar a rasgá-la, seu ato rapidamente se tornará algo importante. Mas, por que ficou importante, assim de súbito? Passou a importar porque todos concordam que uma nota de cem dólares é importante, embora seja somente um pedaço de papel. Por que algo assim é visto como importante pelas pessoas? Não há nenhuma razão especial, apenas ocorre que todos pensam que aquilo e importante. Então, isto é originação dependente: o valor das coisas é meramente dependente do que se pensa sobre elas. E tal não é verdade somente quanto a uma nota de dinheiro; todos pensam que o outro é mais valioso do que o ferro. Mas, por que o ouro é mais valioso? Simplesmente porque todos pensam que sim, pois o ouro por si mesmo não tem nenhum néctar milagroso jorrando dele, é apenas um metal.

Deste modo, a mente se apega às coisas, se apega às noções sobre as coisas, percebe algumas como sendo boas, outras como sendo más. Porém, em última análise, nada é bom por si mesmo. Trata-se apenas de uma elaboração mental. A natureza dos fenômenos, eventos e coisas é a vacuidade..

Tudo tem afloramento, tudo passa a ser, através da interdependência. Exemplificando, temos aqui dois pedaços de papel, sendo um pequeno e o outro grande. São "pequeno" e "grande" porque eles dependem um do outro. Se colocarmos um pedaço de papel maior próximo a eles, então o pedaço que era grande se torna agora um pedaço de tamanho médio. Por si próprio, ele não é um pedaço grande, nem um pedaço pequeno de papel. Grande ou pequeno, bom ou mau, bonito e feio, tudo é elaboração mental e não tem existência verdadeira.




(Thrangu Rinpoche, Meditação Budista)



Surgir, durar e desaparecer; existir e não-existir; inferior, médio e superior, não têm existência verdadeira. Estes termos são usados pelo Buddha de acordo com as convenções mundanas. Todo fenômeno deveria ter existência própria ou não-existência própria. Não há fenômeno que seja um destes dois, nem existem expressões que não venham sob estas duas categorias. Todo fenômeno [...] é similar ao nirvana, pois todo fenômeno é destituído de existência inerente. Qual é o motivo disto? É porque a existência dos fenômenos não é encontrada nas causas, condições, agregados ou partes. Assim, todo fenômeno é destituído de existência inerente e é vazio.


(Nagarjuna, Shunyata-saptati-karika)


Há duas linhas de raciocínio padrão pelas quais se cultiva um entendimento sobre a vacuidade. A primeira diz que nada tem auto-existência independente [existência inerente] porque tudo é feito de partes. Já que todas as coisas são dependentes de suas partes, elas não podem ter auto-existência independente. A segunda diz que um grupo de muitas coisas individuais não pode ser dito como tendo uma auto-existência independente porque, pela primeira linha de raciocínio, todas as partes componentes não têm auto-existência independente. Se as partes de um todo são dependentes de suas partes, então o todo não pode ser auto-existente independentemente.

Porém, a filosofia do Caminho do Meio não nega a existência das coisas no nível relativo. O mau entendimento dos ensinamentos do Caminho do Meio levaria a afirmar uma de duas posições errôneas. A primeira é o niilismo, no qual nada teria sido deixado no nível relativo da verdade, pelo qual se reconhece as coisas, o que negaria todos os conceitos ou entendimento das coisas no nível relativo como sendo não-verdadeiros. Isto poderia conduzir à conclusão de que própria vacuidade é incorreta, mal entendida ao afirmar a ausência de auto-existência independente, inerente, das coisas no nível relativo. [...]

A segunda posição errônea seria [o eternalismo,] aceitar a vacuidade no nível absoluto da verdade mas ver todas as coisas no nível relativo como meros conceitos mentais que são erroneamente tomados pela mente como sendo reais. Isto poderia levar a abandonar os ensinamentos e práticas do Dharma, tais como a meditação e a tomada do refúgio que traz bons efeitos kármicos. Ambas as posições são compreensões errôneas da vacuidade e levariam os indivíduos a acreditar que eles atingiram tudo, quando de fato não atingiram coisa alguma.

Um entendimento correto do ensinamento da vacuidade é a habilidade de manter na mente ambas as verdades, a relativa e a absoluta, ao mesmo tempo, sem ver qualquer contradição entre elas. Ashvaghosha disse, "Você nunca deve ignorar o nível relativo da verdade por causa da vacuidade. Ao invés disso, deve compreender que o nível relativo da verdade e a vacuidade no nível absoluto trabalham um com outro em harmonia." Por este motivo, a filosofia Madhyamika é dita como sendo um caminho intermediário ente o eternalismo e o niilismo.





(Brian T. Hafer, Is Deity Yoga Buddhist?)



Os fenômenos não surgem de si mesmos, nem dos outros, nem de ambos, nem do nada; então, de nenhum lugar as realidades compostas emergem. [...] Não existe qualquer coisa que não seja originada interdependentemente; portanto nada existe que não seja vazia [de auto-entidade]. [...] Afirmar [os fenômenos de maneira eternalista] é considerá-los eternos; negá-los é vê-los [de maneira niilista] como sendo o nada. Os meditadores hábeis não deveram nem afirmar, nem negar.


(Nagarjuna, Mulamadhyamikakarika)



Como não há partículas que existam como uma unidade inerente, nenhuma quantidade dessas partículas (não-inerentemente existentes) formará uma pluralidade, ou composto, inerentemente existente. Se um átomo de carbono não é uma entidade verdadeiramente existente, a bola de beisebol feita de átomos de carbono também deve ser não-inerentemente existente. Já que o "um" e os "muitos" exaurem as possibilidades (nada pode se menos do que "um" e mais do que "muitos"), a conclusão é que não há qualquer coisa que exista inerentemente. Todas as coisas são vazias de existência verdadeira.


(An Analisys of Madhyamike Particle Phisics)


Nagarjuna atacou a idéia de existência inerente, não a de existência convencional. O mundo convencional é real, não ilusório, mas é radicalmente impermanente (isto é, sem svabhava), e só pode ser descrito como convencionalmente verdadeiro. O conhecimento destas duas verdades, isto é, a paramartha-satya, ou verdade absoluta da ausência universal de svabhava, e a samvriti-satya, ou verdade relativa do mundo convencional, constitui o Caminho do Meio entre o eternalismo e o niilismo.


(Andrew Skilton, A Concise History of Buddhism)



Apesar de, no nível absoluto, todos os fenômenos não terem identidade, no nível relativo eles definitivamente existem. Se este não fosse o caso, como prevaleceria o relacionamento entre causa e efeito? O Buddha também disse, "As coisas são produzidas convencionalmente mas, fundamentalmente, elas não têm uma identidade inerente." Os seres sencientes com uma atitude infantil exageram os fenômenos, pensando neles como sendo dotados de uma identidade inerente, quando na verdade não são.


(Shantarakshita, Bhavanakrama)


Você tem um idéia do vazio e uma idéia do ser, e você pensa que o vazio e o ser são opostos. No entanto, no buddhismo, ambos são idéias do ser. O vazio que queremos expressar não é igula idéia que talvez você tenha. Não se pode alcançar a total compreensão do vazio com sua mente pensante ou com seu sentimento. Por isso é que praticamos a meditação. [...] Todas as descrições da realidade são expressões limitadas do mundo do vazio. Contudo, ligamo-nos às descrições e pensamos que são realidade. Isso é uma enganação, pois o que é descrito não é a realidadeee verdadeira, e quando você acredita que é realidade, sua própria idéia está presente. Essa é a idéia do eu.

Muitos buddhistas cometeram esse engano. E por causa disso estão presos às escrituras ou às palavras de Buddha. Eles acharam que suas palavras são a coisa mais valiosa e que o modo de preservar o ensinamento é relembrando o que Buddha disse. Mas o que Buddha disse foi apenas uma carta do mundo do vazio, apenas uma sugestão ou alguma ajuda dele. Se uma outra pessoa a ler, talvez não faça muito sentido. Essa é a natureza das palavras de Buddha. Para se compreender as palavras de Buddha, não se pode confiar nas nossas mentes pensantes de sempre. Se você quiser ler uma carta do mundo de Buddha, será preciso entender o mundo de Buddha.



(Shunryu Suzuki, Nem Sempre É Assim)



Acreditamos que os fenômenos são reais e esta crença é a causa de numerosos sofrimentos. Entretanto, é preciso evitar cair no extremo oposto que consistiria em pensar que tudo é vazio, no sentido de que nada existiria. [...] É preciso compreender que o Buddha ensinou a vacuidade com um objetivo preciso: neutralizar os conceitos que podemos ligar à verdade absoluta, impedir de considerá-la um objeto existente ou não-existente, uno ou múltiplo, provido de qualquer determinação que seja. Todavia, atribuir uma realidade à vacuidade é um erro ainda maior, que seja completamente as portas da liberação. Nagarjuna dizia que aqueles que acreditam na realidade do mundo são, de certa maneira, semelhantes aos animais, mas que aqueles que consideram a vacuidade real são ainda mais estúpidos. Diz-se também que a crença da realidade dos fenômenos é um erro grande como o monte Meru, mas que se apegar à vacuidade é um erro maior ainda. Enquanto não tivermos obtido a liberação, as aparências ilusórias da verdade relativa continuam reais para nós e devemos ter consciência disso. Enquanto estivermos aprisionados, não poderemos agir como se estivéssemos livres.


(Kalu Rinpoche, Ensinamentos Fundamentais do Budismo Tibetano)



Se analisarmos ou dissecarmos uma flor procurando pela flor entre suas partes, não iremos encontrá-la. Isso sugere que a flor não possui uma realidade intrínseca. O mesmo é válido para um carro, uma mesa ou uma cadeira. E mesmo gostos e odores podem ser separados analítica ou cientificamente a ponto de não mais podemos apontar um gosto ou um odor. Ainda assim, não podemos negar a existência das flores e de seu doce aroma. [...] Então o que é vacuidade? É simplesmente essa impossibilidade de encontrar. Quando procuramos pela flor entre suas partes, somos confrontados com a ausência de tal flor. Mas então a flor não existe? É claro que existe. Buscar o âmago de qualquer fenômeno é em última análise chegar a uma apreciação mais sutil de sua vacuidade, sua impossibilidade de ser encontrado. Contudo, não devemos pensar na vacuidade de uma flor simplesmente como a incapacidade de encontrá-la com que deparamos quando procuramos entre suas partes. Mais exatamente, a natureza dependente da flor, ou de qualquer objeto que você queira citar, é que define sua vacuidade. Isso é chamado de origem dependente.

A noção de origem dependente é explicada de vários modos por diferentes filósofos buddhistas. Alguns a definem simplesmente em relação com as leis da causação. Eles explicam que, uma fez que uma coisa como uma flor é um produto de causas e condições, ela surge de modo dependente. Outros interpretam a dependência de forma mais sutil. Para eles, um fenômenos é dependente quando depende de suas partes, do modo como nossa flor depende de suas pétalas, estame e pistilo. Existe uma interpretação ainda mais sutil da origem dependente. Dentro do contexto de um fenômeno único como a flor, suas partes — as pétalas, estame e pistilo — e o nosso pensamento reconhecendo ou nomeando a flor são mutuamente dependentes. Um não pode existir sem o outro. Eles também são fenômenos mutuamente exclusivos, separados. Portanto, ao analisar ou procurar uma flor entre suas partes, você não irá encontrá-la. Ainda assim, a percepção da flor existe apenas em relação às partes que a constituem. Dessa compreensão da origem dependente decorre a rejeição a qualquer idéia de existência intrínseca ou inerente.



(Dalai Lama, Um Coração Aberto)



Em poucas palavras, a verdade última da existência, segundo o buddhismo, é shunyata, ou a vacuidade. Porém, "vacuidade" não quer dizer [...] aquilo que é "oco", mas sim que todos os fenômenos, todas as coisas, existem sob dependência ou interdependentemente, e não por si mesmas. Por esse motivo, porque nada existe por si só mas sim por dependência, cada fenômeno, isoladamente considerado é, em última instância, vazio.


(Dalai Lama, citado na revista Bodisatva)
Fonte: http://www.dharmanet.com.br/prajna/intro.htm
publicado por luzdecuraeamor às 22:12
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

ABRINDO O CAMINHO PARA O FUTURO ATRAVÉS DAS FADAS Mensagem do Reino das Fadas canalizada através de Natalie Glasson



ABRINDO O CAMINHO PARA O FUTURO ATRAVÉS DAS FADAS
Mensagem do Reino das Fadas canalizada através de Natalie Glasson
22 de Fevereiro de 2010

Luzes multicoloridas se movem rapidamente e giram no ar, reunidas em uma vasta névoa de consciência ativa. As luzes individuais se tornam intensas, enquanto elas unem as suas energias como uma, construindo a sua energia e o seu poder com o propósito de comunicação. As fadas estão reunidas a fim de expressar a sua energia e a sua sabedoria a todos.

Nossa luz está mudando e se transformando, como está a sua luz, tudo na Terra está assumindo uma nova vibração, uma vibração que está gradualmente se tornando mais rápida e, conseqüentemente, mais poderosa. As transições que estão ocorrendo agora são de crescimento acelerado, mas muitos não podem compreender ou até verem isto, pois eles permanecem ligados às vibrações mais lentas de energia que se manifestam na Terra. Aqueles que estão se focando em seu desenvolvimento espiritual, já podem ter aceitado as vibrações mais elevadas ou mais rápidas da luz que são mantidas dentro de toda a consciência da Terra, enquanto outros estão existindo dentro de um período de transição de aceitação, portanto, eles estão desviando a sua atenção entre as vibrações de luz mais lentas e as levemente mais rápidas que a Terra mantém. Algumas pessoas permanecem concentradas nos aspectos mais lentos e mais sólidos da Terra, e, conseqüentemente, para elas o mundo está permanecendo o mesmo e em muitos casos pode estar se tornando até mais sólido ou negativo. Nós vemos que através da intenção a humanidade está aceitando diferentes vibrações da consciência da Terra e da velocidade da luz.

A intenção é a chave, porque em que nível de vibração vocês colocarem o seu foco, esta é a realidade que vocês perceberão, o que, de muitos modos, pode ser completamente diferente do seu vizinho de porta ou do seu amigo. Nossas intenções, focos e pensamentos, determinam se aceitamos uma velocidade de energia mais lenta, média ou mais rápida, absorvendo as influências em todo o nosso ser e a nossa existência na Terra.

Nós falamos da Terra sendo um plano físico, uma energia mais lenta ou mais sólida e, entretanto, há muitos níveis de energia para a existência da Terra, pois vocês mantêm muitos e diversos níveis de energia do seu corpo físico, mente, emoções, alma e corpos espirituais.

Imaginem por exemplo, que vocês viviam em um bloco de apartamentos no apartamento térreo. Este apartamento seria a sua única realidade, vocês estão familiarizados com o interior deste apartamento e não exploram realmente a extensão do bloco de apartamentos, porque vocês não têm nenhuma razão para reconhecer ou compreender qualquer coisa além deste primeiro apartamento térreo. Vocês podem ficar curiosos; desencorajados pelo interior do apartamento ou através de períodos de crescimento e de descoberta, vocês querem encontrar algo que estivesse fora do apartamento que vocês conheciam como a sua realidade. Vocês decidem subir ao próximo nível e entrar no apartamento acima do seu; vocês gostam dele instantaneamente, tudo o que não fazia sentido no apartamento abaixo parece evaporar e uma maior sabedoria e contentamento são adotados. É como se tudo em sua vida fizesse sentido ou se unisse neste novo apartamento. A mudança os deixa felizes por algum tempo e então, novos desafios chegam e vocês ficam curiosos, o apartamento parece aborrecido, insatisfatório, não mais lhes dando prazer. Novamente, vocês sobem ao próximo nível, encontrando um novo apartamento acima do seu anterior; este parece surpreendente, ele lhes dá uma maior compreensão da área e do mundo a sua volta. O mundo não mudou sob qualquer condição, e nem a visão de sua janela e, entretanto, vocês apreciam e reconhecem o mundo, vendo-o de um modo diferente. Esta é uma explicação muito simples dos muitos níveis de energia da Terra; o apartamento térreo mantendo a vibração de luz mais lenta, e o apartamento do alto mantendo a vibração de luz mais rápida que seja apropriada para a Terra.

Ainda que possamos descrever o nível mais elevado da energia da Terra como mais rápido, isto não significa que seja a vibração mais rápida da energia do Criador, que está simplesmente mais próxima à vibração dos planos internos. Ao experienciarmos a vibração mais rápida da luz, nós somos capazes de nos liberarmos, sentindo e aceitando um volume maior da energia e da verdade do Criador, o que nos permite descartar falsas crenças que parecem muito realistas com vibrações mais lentas da energia. Uma vibração mais rápida nos permite ver além das estruturas sólidas e rígidas da Terra e construirmos uma ponte para os mundos espirituais que traga iluminação e inspiração. A aceleração da sua energia também fará com que a nova consciência, talentos, habilidades e ativações ocorram dentro de vocês. Enquanto a vibração da humanidade está se acelerando, uma adoção do que é verdadeiro está ocorrendo, uma compreensão dos seus seres e das qualidades sagradas do Criador, tais como o amor, a paz e a bondade. Ao invés de estar ligada às vibrações mais lentas da Terra, a humanidade está começando a aceitar as vibrações mais elevadas da Terra, o que permite uma maior compreensão do propósito e das energias da Terra. Por estar a humanidade ligada aos diferentes níveis da Terra, aceitando estes níveis de energia como a sua realidade que a Terra está mudando em vibração e no volume da Luz que a Terra mantém. A Humanidade está criando a Terra que está alinhada com a vibração que eles mantêm, portanto, criando grande beleza, harmonia e amor em suas realidades. Nós veríamos isto se manifestar se a humanidade unisse os seus pensamentos como um e se ligasse à mesma vibração de energia, mas agora os indivíduos estão realmente experienciando diferentes realidades com outros na Terra, simplesmente por causa da velocidade em que pulsa a vibração que eles mantêm e por causa das suas intenções. Uma mente focada no amor verá e sentirá um mundo de amor. Uma mente focada no medo verá e sentirá um mundo de medo. Na verdade vocês estão vivendo dentro de sua própria e pequena bolha, mas esta bolha se expandirá e se desenvolverá quando vocês encontrarem outros com vibrações e intenções similares, até que a bolha se expanda por todo o mundo. Este é um símbolo de aceitação e de confiança. A humanidade deve aceitar as diversas energias e a consciência da Terra e do universo do Criador, portanto, compreender que a percepção da humanidade também pode ser diversa. Encontrar o ponto da consciência que seja similar e confiar no outro e no Criador, permitirá que uma harmonia se forme na Terra, e, portanto, uma nova perspectiva da Terra que se origine do Amor.

A Terra continuará a construir e a acelerar a vibração da energia porque a energia e a consciência da humanidade estão alterando constantemente. Naturalmente haverá alguma turbulência porque muitas pessoas estão se focando simultaneamente em diferentes níveis da energia da Terra, o que pode causar um atrito e um processo de liberação para a Terra. Nós começamos a compreender que duas pessoas que vivem juntas podem adotar vibrações diferentes de energia da Terra. Uma pode manter a vibração lenta da Terra, e, portanto, estar focada no aspecto material da Terra, onde a ação afete a sua realidade. A outra pessoa pode manter a energia vibracional da vibração mais elevada ou mais rápida que a Terra mantém, e estar, portanto, focada em sua evolução espiritual, compreendendo que é o poder da mente que determina ou cria a ação e as experiências na Terra. Ambas podem parecer como humanos e até existirem dentro da mesma casa com os mesmos objetos ao redor delas e, entretanto, as suas experiências seriam diversas, devido ao seu foco, intenções e pensamentos. Por exemplo, uma pode perceber a vista do seu quarto como aborrecida e chata, enquanto a outra pode ver o mesmo panorama e perceber a beleza da Terra, o milagre do reino da natureza e os espíritos da natureza em atividade. Na verdade, isto é ascensão; é ver além do físico ou das vibrações mais lentas da Terra e permitir que a sua vibração se acelere, o que lhes permite embarcar em uma transformação interior. A Terra é apenas uma realidade criada pela sua mente e pelos pensamentos do Criador. Perceber que a Terra mudará devido à ascensão ou aumentará em energia, é tanto verdadeiro quanto falso ao mesmo tempo. As transformações ocorrerão dentro da humanidade; esta transformação está ocorrendo agora. As mudanças dentro da humanidade influenciarão a realidade do indivíduo e a existência da Terra. Se vocês estiverem esperando que a Terra mude, tornem-se mais amorosos e em paz, então vocês poderão não estar compreendendo, as alterações que estão ocorrendo na Terra agora, estão ocorrendo por causa do despertar que está ocorrendo dentro da humanidade, da aceitação do Criador. Nós, as fadas, os anjos, os mestres ascensionados e o Criador, estamos vertendo luz à Terra e à humanidade, mas isto é somente com o propósito de apoio e de inspiração. Vocês estão no cerne da transformação, da aceleração e da ascensão da Terra.

Nós, as fadas, trabalhamos estreitamente com os diferentes níveis de energia da Terra, e especialmente com a vibração mais lenta, que é o ponto atual de manifestação na Terra. Nós trabalhamos com o reino físico da natureza e com os reinos espirituais da natureza, viajando através dos níveis da energia da Terra. Nós podemos sentir a mudança na energia da Terra. Nós podemos sentir e até ouvir os pensamentos positivos e os sentimentos de amor que a humanidade está carregando em seus corpos e na energia da Terra. É maravilhoso encontrarmos estas vibrações sagradas criadas pela humanidade dentro do reino da natureza; elas preenchem os nossos corações com alegria e nós podemos usar as intenções da humanidade, energizando-as para cultivar o reino da natureza. Enquanto nós lhes afirmamos que a transformação da Terra ocorrerá a partir de dentro de vocês, é importante apoiar a Terra e a Mãe Terra com a sua energia, pois esta permitirá à Mãe Terra uma alma semelhante a vocês para conseguir um processo de evolução comparável. Nós devemos sempre manter a energia da Terra ativa, vibrante e fluindo, ancorando a luz no reino da natureza e na estrutura da Terra. Isto permite que as vibrações de energia da Terra permaneçam estáveis e não se esgotem, pois isto significaria que a vibração mais elevada da Terra seria consideravelmente inferior.

Lembrem-se de que enquanto vocês existirem na Terra, as transições sempre ocorrerão dentro de vocês. Permitam que as vibrações superiores que vocês absorvem da Terra emanem para outros. Vocês podem enviar a vibração que vocês mantêm na Terra e em sua realidade para manifestá-la como a sua realidade.

Vocês podem nos invocar, o reino das fadas, para envolvê-los em nossa luz e para alinhá-los com uma nova vibração de energia da Terra, ajudando ao seu corpo físico e mente a existirem em uma vibração de luz mais rápida. Sentem-se em silêncio e vocês sentirão a energia da Terra envolvendo-os e fluindo em todo o seu ser. Ancorar a luz das fadas ou a luz dos planos internos pode também auxiliá-los na aceleração da vibração de sua energia e, portanto, permitindo-lhes adotar um novo nível de existência dentro da energia da Terra. Lembrem-se de que uma aceleração da vibração não significa que tudo se moverá rapidamente em sua vida. Em muitos casos, isto os ajudará a acessar uma sensação mais intensa de paz e de tranqüilidade dentro de vocês. Nós desejamos também torná-los conscientes de que ao aceitarem uma vibração mais elevada ou mais rápida de luz dentro de vocês, pode colocar inicialmente stress no corpo físico, pois ocorre uma conversão de energia. Vocês podem invocar o reino das fadas para auxiliá-los com isto, pois somos mestres em manifestar, ancorar e supervisionar o desenvolvimento da energia e da consciência. Permitam-nos trazer a nossa luz calmante e de cura para vocês.

Vamos nos unir agora a um ponto semelhante de consciência, a consciência do amor e da aceitação,

O Reino das Fadas


Natalie Glasson canaliza mensagens dos seres de luz que o Arcanjo Miguel orienta para vir comunicar a sua sabedoria e compartilhar a sua energia para o crescimento espiritual da humanidade. Estas mensagens canalizadas se concentram na energia que está vindo mais proeminentemente dos planos internos, enquanto oferece orientação espiritual e inspiração. Natalie é famosa pela variedade de Arcanjos, Mestres Ascensionados, Elohins, Fadas, Unicórnios e Elementais que ela canaliza, o que permite ao leitor se conectar e a compreender muitos seres de luz, que são aspectos do universo do Criador e estão auxiliando no processo da ascensão na Terra.Para maiores informações dirijam-se à:

adminc@wisdomofthelight.com

Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
FONTE:
http://www.luzdegaia.org/outros/diversos/abrindo_caminho.htm


 

publicado por luzdecuraeamor às 19:41
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

Princípios do Reiki: Hoje eu abandono a raiva----- Hoje eu abandono as minhas preocupações------ Hoje eu conto com todas as minhas bênçãos------ Hoje eu honro os meus pais, o meu próximo, os meus mestres e os meus alimentos------ Hoje eu ganho a minha vida honestamente------ Hoje eu sou gentil com todas as criaturas vivas------

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O Caminho de Cura - Jamie...

. O CAMINHO DA CONSCIÊNCIA ...

. **O CAMINHO DO CORAÇÃO** ...

. Ensinamentos de Sai Baba ...

. Introdução — o Caminho do...

. ABRINDO O CAMINHO PARA O ...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008


.tags

. -

. 2010

. a

. anael

. anjos

. arcanjo

. as

. através

. autres-dimensions

. benção

. canalização

. canalizada

. com

. da

. de

. deus

. do

. dos

. e

. em

. fevereiro

. hilarion

. janeiro

. luz

. mãe

. maria

. marlene

. meditação

. mensagem

. mensagens

. mestre

. mestres

. miguel

. o

. oração

. os

. para

. pensamento

. por

. salusa

. todas as tags

.recomendados

DominiodosAnjos