Terça-feira, 9 de Março de 2010

A dieta de Jesus e de seus discípulos


R i o d e J a n e i r o , 2 0 0 6
Don Colbert, médico - A dieta de Jesus e de seus discípulos
Título original: What would Jesus eat?
Copyright © 2006 by Don Colbert
Edição original por Thomas Nelson, Inc. Todos os direitos reservados.
Copyright da tradução © Thomas Nelson Brasil, 2006.

1. Nutrição - Aspectos religiosos - Cristianismo. 2. Hábitos
alimentares. 3. Dieta de emagrecimento. 4. Hábitos de saúde. I. Título.
06-3838. CDD 241.689
CDU 241.72
Todos os direitos reservados à Thomas Nelson Brasil
Rua Nova Jerusalém, 345 – Bonsucesso
Rio de Janeiro – RJ – CEP 21402-325
Tel.: (21) 3882-8200 Fax: (21) 3882-8212 / 3882-8313
www.thomasnelson.com.br
Este livro é dedicado a meu pai, Don Colbert Senior,pelo amor e disciplina que me transmitiu. Ele também foi fundamental para que eu me encaminhasse a uma relação pessoal com Jesus.

S u m á r i o
Introdução: Qual era a dieta de Jesus? 9
1. Investigue sempre o que você come 17
2. O alimento que Jesus comia com mais freqüência 35
3. Um item básico na dieta de Jesus 53
4. As carnes que Jesus comia 67
5. Outras formas de proteína que Jesus comia 91
6. Os vegetais que Jesus comia 101
7. As gorduras que Jesus comia 131
8. O que Jesus bebia 143
9. O que Jesus comia na sobremesa? 169
10. Jesus fazia exercícios? 191
11. Usando a dieta de Jesus para emagrecer 207
12. O estilo mediterrâneo de saúde 221
13. Um plano de alimentação diária e um
cardápio para a semana 235
Notas 249
Bibliografia 257

Que Jesus faria?
Essa pergunta tem sido formulada muitas e muitas vezes nos últimos anos. Costumo lê-la em vários lugares, desde adesivos de automóveis até pulseiras.
A maioria dos cristãos que conheço quer verdadeiramente saber o que Jesus faria em cada momento, e quer verdadeiramente seguir o seu exemplo em qualquer situação de vida.

Certamente desejamos amar e honrar nosso Pai celestial assim como fez Jesus. Queremos obedecer aos Dez Mandamentos como ele obedeceu.
Queremos aprender a amar como Cristo amou e a ajudar as pessoas tanto no sentido espiritual quanto no sentido material.

Queremos seguir os ensinamentos de Jesus no que se refere ao uso do nosso tempo, dos nossos talentos e dos nossos recursos financeiros.

I n t r o d u ç ã o
Qual era a dieta de Jesus?

A dieta de Jesus e de seus discípulos
Mas também queremos comer como Jesus comia?
Por que não? Nós procuramos seguir Jesus em todas as esferas de nossa vida. Então, por que não em nossos hábitos alimentares?

Jesus cuidava da saúde das pessoas. Certamente seus muitos milagres de cura testemunham esse fato. Ele desejava que as pessoas fossem íntegras, e isso incluía o aspecto físico, assim como o mental e o espiritual.
Mas será que Jesus ensinou alguma coisa sobre nutrição ou sobre como devemos comer?
Minha opinião é que ele ensinou, não necessariamente através do que disse, mas através do que fez. Há centenas de exemplos na Bíblia de práticas relacionadas à alimentação saudável.

Jesus incorporou-as plenamente ao seu estilo de vida.
Mesmo leitores casuais da Bíblia sabem de muitas histórias que se referem a alimentos ou em que os alimentos têm um papel de destaque. Jesus ensinou princípios espirituais fundamentais usando uma variedade de analogias com o que comemos.
Ele também participava de festas bíblicas e refeições comemorativas. Na Última Ceia, instituiu um ritual em que os alimentos são a mais sagrada recordação da sua morte.

A medicina e a ciência confirmam isso. Se comermos como Jesus comia, seremos mais saudáveis. Ele é nosso exemplo com relação a bons hábitos alimentares e disciplina, para que vivamos uma vida mais sadia e equilibrada.
“Mas”, talvez você diga, “os tempos mudaram desde que Jesus viveu neste mundo há dois mil anos. A tecnologia progrediu. Temos muitos alimentos novos que Jesus desconhecia. Nossos padrões alimentares são muito diferentes hoje.”

Sim... e não. Os tempos mudaram e nossos padrões alimentares são diferentes, mas isso não é necessariamente positivo!
Hoje em dia, comemos gordura demais. Bife na manteiga, ovo frito, batatas fritas, cebola e outros vegetais fritos. Acrescente-se a isso biscoitos com alto teor de gordura cobertos com manteiga, e purê de batatas preparado com leite gordo.

Quando pensamos em uma refeição completa, o que nos em à mente? Em geral, na nossa cabeça, uma boa refeição é aquela que inclui sobremesa. Muita gente acha que uma refeição não é adequada ou completa sem alguma coisa doce no final.

Nossa alimentação atual segue padrões muito diferentes dos de Jesus, fazendo-nos contemplar muito rápido o declínio de nossa saúde.
Em 1901, os Estados Unidos eram considerados a nação mais saudável do mundo, entre cem nações estudadas. Por volta de 1920, o país caiu para o segundo lugar. Em 1950, estava em terceiro. Chegando a 1970, estava em quadragésimo primeiro lugar. E, em 1981, desceu para o nonagésimo quinto!

Como pode uma nação descer do quadragésimo primeiro lugar na área da boa saúde para o nonagésimo quinto em apenas onze anos? E de primeiro para nonagésimo quinto em exatamente um século? A resposta pode ser resumida em duaspalavras: fast-food. A cultura americana do fast-food se expandiu por todo o mundo, chegando ao nosso país na década de 50 e
se consolidando definitivamente na década de 70.

Em 1999, quando a rede McDonald’s completava 20 anos de Brasil, o número de restaurantes havia aumentado dez vezes, 400 unidades em todas as regiões brasileiras, com 36 mil funcionários no total. De 2000 para 2002, o faturamento passou de R$1,46 bilhões para R$ 1,70 bilhões, e só em 2003 foram atendidos, em média, 1,5 milhões de clientes a cada dia. Isto, só com relação a essa cadeia de restaurantes. Infelizmente, verificamos que a saudável combinação bem brasileira de arroz e feijão tem sido cada vez mais substituída pelos hambúrgueres e batatas fritas.

O motivo pelo qual a popularidade da fast-food cresceu de modo tão impressionante é simples: nosso ritmo de vida a torna quase obrigatória. As pessoas acham que estão muito ocupadas para preparar refeições tradicionais e vêem a fast-food como uma alternativa para poupar tempo. Além disso, muitas vezes fica mais caro preparar uma refeição tradicional por pessoa do que comprar uma porção individual numa loja de fast-food.
Isto porque não mais costumamos preparar rotineiramente as refeições em casa, e assim acabamos desperdiçando grande parte dos alimentos que compramos na feira.

Em nossa cultura, os anúncios constantemente nos bombardeiam e com freqüência estimulam nosso desejo por fast-food. Incentivos são oferecidos às crianças sob a forma de brinquedos incluídos na refeição e de playgrounds do lado de fora do restaurante. Além disso, há sempre um restaurante de fast-food a menos de um quilômetro das nossas casas. O resultado final é que a nutrição saudável é sacrificada à facilidade, ao custo e à acessibilidade.

A fast-food é planejada para atrair quatro sentidos: visão, olfato, sabor e tato ou textura. Uma das maneiras mais simples de adicionar sabor e textura a um alimento é adicionar gordura.

Uma das maneiras básicas de adicionar sabor a um alimento é adicionar açúcar. Alimentos que têm um brilho por cima –– desde roscas até glacê de bolo –– contêm grande quantidade de gordura. Além de não terem praticamente qualquer valor nutritivo, as fast-foods costumam ter muito sal e poucas fibras. Comer uma dieta rica em sal, baixa em fibra, rica em
gordura e em açúcar e praticamente isenta de nutrientes não é seguir a dieta de Jesus.

Seríamos mais sadios se nossa dieta fosse mais primitiva – o tipo de dieta adotada por Jesus?
A medicina diz que sim.
Há um relato científico surpreendente de quase sete décadas atrás que ainda é válido. O Dr. Weston A. Price, dentista, estudou povos primitivos que viviam isolados da civilização ocidental, inclusive comunidades na Suíça e na Escócia em vilarejos e aldeias afastadas do centro da sociedade de suas nações.
Algumas das culturas que ele estudou consumiam dietas que incluíam peixe, frutos do mar e caça; outras culturas adotavam uma alimentação que incluía carne e laticínios produzidos a partir de animais domésticos. Algumas tinham dietas que incluíam frutas, cereais, legumes e vegetais; outros grupos quase não consumiam alimentos que precisavam ser plantados. Algumas culturas primitivas tinham o hábito de comer alimentos crus, enquanto outras consumiam basicamente alimentos cozidos.

As dietas de todas essas culturas, entretanto, tinham certas características em comum: nelas não havia alimentos refinados, desvitalizados, tais como açúcar branco ou farinha de trigo branca; não havia leite pasteurizado ou homogeneizado, alimentos em lata, óleo hidrogenado ou refinado. Todas essas dietas incluíam alguns produtos animais, e todas incluíam sal.

Esses grupos isolados preservavam seus alimentos usando sal,fermentação e métodos de secagem, processos que conservam em grande parte o valor nutritivo do alimento. Ao todo, o Dr. Price investigou cerca de dezessete culturas, entre elas a dos esquimós do Alasca, tribos africanas, aborígines
australianos, índios tradicionais americanos, povos das ilhas dos mares do Sul, habitantes de remotas aldeias suíças e de ilhas distantes da costa da Escócia.

Depois de analisar as dietas desses grupos isolados, o Dr. Price comparou-as com a dieta americana atual. Repare que ele realizou essa pesquisa nas décadas de 1930 e 1940, quando o valor nutricional da dieta americana era muito mais alto do que é hoje.

Eis o que o Dr. Price descobriu:
• todas as chamadas dietas primitivas continham uma quantidade de minerais e vitaminas hidrossolúveis pelo menos quatro vezes maior que a dieta americana;

• todas essas dietas continham uma quantidade de vitaminas
lipossolúveis pelo menos dez vezes maior que a dieta americana;

• nessas culturas isoladas, as pessoas praticamente não apresentavam
perda de dentes e tinham uma alta resistência a doenças. Em alguns casos, o Dr. Price teve oportunidade de estudar pessoas que pouco tempo antes tiveram acesso a alimentos processados, ocidentalizados. Ele descobriu que, quando a civilização ocidental alcançou essas áreas remotas e a dieta passou a incluir alimentos processados e açucarados, o número de cáries aumentou rapidamente. Não só a perda de dentes se acentuava, como as doenças em geral começaram a aumentar. Crianças nascidas de pais que haviam consumido alimentos processados tinham maior incidência de deformações de face e mandíbula. Um alto percentual de anomalias congênitas começou a ocorrer, e doenças agudas e crônicas foram registradas em números
crescentes. Quanto mais refinada era a comida, mas depressa declinava a saúde dessas pessoas.

O Dr. Price concluiu que a perda de dentes decorria principalmente de deficiências nutricionais e que as mesmas condições que provocavam a perda de dentes também causavam as doenças em geral. Ele se tornou então um forte defensor da mudança dos hábitos alimentares do povo americano, propondo o seguinte:
• que se escolhesse alimentos não manipulados, com seus nutrientes compactos;
• que se evitasse alimentos processados ou refinados;
• que se preferisse alimentos frescos, em seu estado natural.

Esses são os mesmos hábitos alimentares que formavam a base da dieta de Jesus!
A dieta apresentada neste livro aborda um plano alimentar que privilegia basicamente:
1. alimentos integrais;
2. alimentos frescos;
3. água pura e alimentos sem pesticidas, fungicidas ou qualquer
outro tipo de aditivos;
4. alimentos que não tenham sido misturados com açúcar
ou impregnados com gordura, sal, aditivos ou conservantes
químicos.

Este livro apresenta “o modo como Jesus comia”. Se você quer de fato seguir Jesus em todas as áreas de sua vida, não pode ignorar os hábitos alimentares adotados por ele. Esta é uma área em que você pode segui-lo diariamente e colher grandes recompensas. Seguir Jesus em sua dieta requer
um compromisso de mudança, o compromisso de sermos tudo aquilo para o que Deus nos criou e o compromisso de entregar nossos desejos aos ensinamentos de Deus. Em troca, Deus irá honrar essa decisão, dando-nos mais energia, melhor saúde e uma sensação maior de bem-estar.

Você quer seguir o exemplo de Jesus e comer como ele comia?
Então vire a página e vamos começar.
Talvez o passo mais importante para aprender a seguir o exemplo de Jesus e comer como ele comia possa ser resumido em duas perguntas.
Faça a si mesmo estas duas perguntas-chave a respeito de
tudo o que você comer hoje:

1. Por que devo comer isto?
2. Jesus comeria isto?


Se você fizer estas duas perguntas em relação a cada bocado de comida que introduz em seu organismo, e se as responder honestamente, será forçado a se defrontar com duas verdades fundamentais sobre seu modo de vida:

Verdade 1 – A maior parte daquilo que comemos resulta de escolhas mal fundamentadas, equivocadas e quase sempre inconscientes.

Verdade 2 – A maior parte do que comemos em um dia pode não ser o que Jesus comeria se estivesse em nosso lugar. Desafio você a examinar seriamente os motivos que o levam a comer o que come.

Nossa memória tende a trabalhar contra nós quando se trata de escolher nossa alimentação com sabedoria. As preferências de uma pessoa se formam de fato durante os primeiros quatro ou cinco anos de vida. Em outras palavras,o que papai e mamãe nos dão de comer quando somos criancinhas será provavelmente o que preferiremos pelo resto da nossa
vida. Em geral, gostamos que nossa comida tenha a cor, a textura, o cheiro e o sabor das comidas que comíamos na infância.

É possível que associemos subconscientemente aquelas comidas à alegria, a uma época despreocupada em que nos sentíamos seguros e tínhamos poucas inquietações.

Na idade adulta, as pessoas relembram o aroma ou o sabor do bolo, do sorvete, das barras de chocolate, pizzas, hambúrgueres, cachorros-quentes e outras coisas que comiam habitualmente quando crianças. E podem ser irresistivelmente atraídas para essas coisas quando o cheiro delas está no ar. Basta dar uma olhada nas comidas oferecidas nas feiras de produtores
e nas pessoas que enfrentam longas filas para comprá-las.

Comemos principalmente por uma questão de hábito. E muitos dos nossos hábitos relacionados à comida são maus hábitos.
Temos o mau hábito de comer alimentos altamente processados.

Nós dizemos que eles são “alimentos práticos”. Mas praticamente todos os “alimentos práticos” são altamente processados. Aproximadamente dez mil novos alimentos processados são introduzidos a cada ano nos Estados Unidos. Cerca de nove em cada dez desses novos produtos alimentícios fracassam – não porque são inferiores do ponto de vista nutritivo, mas
porque lhes faltou uma campanha publicitária bem-sucedida.
Em outras palavras, provavelmente comeríamos ainda mais alimentos
altamente processados se o que soubéssemos sobre eles nos despertasse a vontade de experimentá-los.

Como médico, tenho uma forte convicção de que a alimentação fast-food e sua dependência de alimentos processados são a principal razão da epidemia de doenças graves e difundidas que vemos hoje em nossa sociedade. Essas condições adversas para a saúde incluem a lista das “quinze mais”: obesidade,
doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, hipertensão, colesterol alto, distúrbios de atenção, refluxo gastroesofágico, doença da vesícula biliar, diverticulose, diverticulite, artrite, síndrome de fadiga crônica, fibromialgia e alergias. Quase todas as demais doenças degenerativas podem ser incluídas nessa lista. É difícil encontrar uma família que não tenha casos de uma ou mais dessas doenças. Também é difícil encontrar uma família que não
consuma uma quantidade significativa de fast-food ou um alto percentual de alimentos processados. Como médico não vejo isso como uma simples coincidência.

Os americanos provavelmente são o povo mais superalimentado do mundo, e também o mais subnutrido: os três alimentos mais consumidos nos EUA são pão branco, café e cachorro-quente. As estatísticas mostram que aproximadamente metade de todos os americanos que estão vivos hoje morrerá de doenças cardiovasculares e que cerca de uma terça parte deles
desenvolverá câncer em algum estágio de sua vida.


fonte:
www.thomasnelson.com.br/arquivos/livros/Capitulo_3_1.pdf

continua aqui:
http://portaldosanjos.ning.com/group/sadeebemestar/forum/topics/con...

publicado por luzdecuraeamor às 21:40
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

Princípios do Reiki: Hoje eu abandono a raiva----- Hoje eu abandono as minhas preocupações------ Hoje eu conto com todas as minhas bênçãos------ Hoje eu honro os meus pais, o meu próximo, os meus mestres e os meus alimentos------ Hoje eu ganho a minha vida honestamente------ Hoje eu sou gentil com todas as criaturas vivas------

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Pensamento de 3 de Janeir...

. Energia e Astrologia do d...

. CHEQUES DA ABUNDÂNCIA - F...

. Pensamento 2 de Janeiro d...

. Pensamento 1 de Janeiro d...

. Mensagem de Mãe Maria

. SUA CENTELHA DE DIVINDADE...

. ATIVAÇÃO para 10.10.2010 ...

. Corrente Portal de 10 de...

. Por que a arruda funciona...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008


.tags

. -

. 2010

. a

. anael

. anjos

. arcanjo

. as

. através

. autres-dimensions

. benção

. canalização

. canalizada

. com

. da

. de

. deus

. do

. dos

. e

. em

. fevereiro

. hilarion

. janeiro

. luz

. mãe

. maria

. marlene

. meditação

. mensagem

. mensagens

. mestre

. mestres

. miguel

. o

. oração

. os

. para

. pensamento

. por

. salusa

. todas as tags

.recomendados

DominiodosAnjos