Domingo, 28 de Fevereiro de 2010

PALAVRAS DE YOGANANDA

Reparem como soam atuais as palavras desse sábio guru indiano, escritas em 1938!





 

PALAVRAS DE YOGANANDA

6-março de 1938

 

 

 

Os cataclismas que subitamente ocorrem no seio da natureza, provocando devastações e danos em massa , não são
"obras de Deus".

Essas catástrofes resultam dos pensamentos e ações dos homens.

 

Onde quer que o equilibrio vibratório do mundo entre o bem e o mal seja perturbado por um acúmulo de
vibrações nocivas, resultantes de pensamentos e procedimentos errôneos do homem,
veremos destruições como as que experimentamos recentemente
(1938)

 

O mundo continuará a ter guerras, calamidades naturais até que todos os povos corrijam seus erros de pensamento
e de comportamento. As guerras ocorrem não por uma ação divina fatal, mas pela
disseminação do egoismo natural. Elimine-se o egoismo- individual-
industrial, politico, nacional e não haverá mais guerras.

 

Quando a materialidade predomina na consciência do homem, há uma emissão de raios negativos sutis, seu poder
cumulativo perturba o equilibrio elétrico da natureza , e então ocorrem
terremotos, enchentes e outros desastres. Deus não é responsável por
eles!

 

O homem tem que controlar seus pensamentos antes de poder controlar a natureza


 

(do livro A ETERNA BUSCA DO HOMEM , PAG. 304)

 

publicado por luzdecuraeamor às 22:42
link do post | comentar | favorito
|

Tambores de Angola




 




Com a cabeça a rodopiar, Erasmino sente lhe faltar o chão ao sair do trabalho. Aconselhado por 'amigos', avança sobre bebidas e mulheres. Insônia e tonteira instaladas, passa a
ouvir vozes e grunhidos.

É mais um caso de obsessão.
Em busca da cura, visita uma tenda de umbanda, onde o medo e o preconceito o paralisam.
Contudo, ao entender que umbanda é lei de caridade, aprende a respeitar pretos-velhos e caboclos.
Convocado pelo próprios espíritos, é no trabalho espírita, porém, que Erasmino encontra sua cura definitiva, já que nunca apreciou defumações, velas e gongás.
Será?
Neste livro conheça a origem histórica e as diferenças entre umbanda e espiritismo, vistas com profundo respeito.

 

 http://livrosespiritasonline.…

publicado por luzdecuraeamor às 22:38
link do post | comentar | favorito
|

Pensamento de 28/02/2010‏

"Define-se geralmente o silêncio como a ausência de barulho, de
agitação. Não, o verdadeiro silêncio é muito mais do que uma
ausência de barulho, ele está mesmo acima da palavra, acima da
música, é um mundo de luz, um centro poderoso de onde jorram
todas as criações.
O silêncio é a verdadeira expressão de Deus. Mergulhai-vos nele
esforçando-vos por deter o vosso pensamento. Sentireis uma tal
harmonia expandir-se em vós que pode suceder, nesse momento, que
Deus comece a falar-vos, pois só no seio do silêncio e da
harmonia é que Deus aceita fazer ouvir a Sua voz."


Omraam Mikhaël Aïvanhov

 

publicado por luzdecuraeamor às 22:36
link do post | comentar | favorito
|

O Guardião da Meia Noite




Este é um romance de luz,
psicografado por Rubens Saraceni, inspirado por Pai Benedito de
Aruanda. 
A obra propõe um mundo a ser sentido,
explorado e vivido e que tem a intenção de fazê-lo evoluir na sabedoria
do conhecimento Divino. 
A narrativa é sobre um nobre rico e
poderoso, mas extremamente cruel, que paga pelos seus atos - seu corpo
na morte se convertem em sua prisão, julgado pelos vivos e condenado
pelos mortos.
Mas das trevas nasce a luz... O
Guardião, sentinela da meia-noite, torna-se por seus méritos um servidor
da Lei Divina.

http://livrosespiritasonline.…

tags: , , , ,
publicado por luzdecuraeamor às 00:27
link do post | comentar | favorito
|

Pensamento de 27/02/2010‏

"A justiça não é uma virtude que os humanos pratiquem
espontaneamente; por isso, quando Moisés pôs a tónica nesta
virtude, ele levou-os a fazer grandes progressos. Em seguida,
Jesus veio ensinar-lhes o amor, o perdão. Mas dever-se-á ficar
por aí? Não, há que alcançar outro degrau, pois, na realidade,
perdoar não resolve todos os problemas. Se alguém vem atacar-vos,
será proibido ser mais forte do que ele, erguê-lo no ar e
dizer-lhe: «Então, queres que eu te atire ao chão?» Mas vós não o
atirais, colocai-lo de novo com os pés na terra. E ele
compreendeu. Evidentemente, isto é simbólico; o que eu pretendo
dizer é que é preciso ser mais forte do que os seus inimigos,
imobilizá-los com um gesto, uma palavra, um olhar. Vós não os
maltratais, até os ajudais, dando-lhes uma lição magnífica.
Para obterdes esta força espiritual, deveis orar, meditar,
exercitar-vos, tomando o sol como modelo. Então, ao contactar com
o vosso calor e a vossa luz, quem poderá tocar-vos sem se
queimar? Os inimigos manter-se-ão longe, não ousarão
aproximar-se. Diante do poder espiritual, é-se sempre obrigado a
capitular. Depois da justiça, depois do amor e do perdão, o ser
humano deve agora adquirir a verdadeira força."
 
Omraam Mikhaël Aïvanhov

publicado por luzdecuraeamor às 00:24
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

FÍSICA QUÂNTICA PARA LEIGOS - A Física Quântica: o que é, e para que serve

A Física Quântica: o que é, e para que serve


 

Almir Caldeira


Já faz cem anos que Planck teve de lançar mão de uma expressão inusitada para explicar os seus resultados da medida da intensidade da radiação emitida por um radiador ideal - o corpo negro - levando-o assim a estabelecer o valor de uma nova constante universal que ficou conhecida como a constante de Planck. A partir daí, e também em função de outras experiências que apresentavam resultados igualmente surpreendentes no contexto da mecânica de Newton e do eletromagnetismo de Maxwell, os pesquisadores do começo do século passado se viram obrigados a formular hipóteses revolucionárias que culminaram com a elaboração de uma nova física capaz de descrever os estranhos fenômenos que ocorriam na escala atômica; a mecânica quântica.

Esta teoria, com a sua nova conceituação sobre a matéria e os seus intrigantes postulados, gerou debates não só no âmbito das ciências exatas mas também no da filosofia, provocando assim uma grande revolução intelectual no século XX. Obviamente que, além das discussões sérias e conceitualmente sólidas, as características não cotidianas dos fenômenos quânticos levaram muitos pesquisadores, e também leigos, a formular interpretações equivocadas da nova teoria, o que infelizmente, ainda nos nossos dias, atrai a atenção das pessoas menos informadas.

Mas, no final das contas, quais são estes efeitos tão estranhos dos quais estamos falando e qual é a sua relevância para o nosso cotidiano, se existe alguma? Bem, para provar que não estamos falando de coisas inúteis, comecemos pela segunda parte desta pergunta.

O leitor certamente se surpreenderia se disséssemos que sem a mecânica quântica não conheceríamos inúmeros objetos com os quais lidamos corriqueiramante hoje em dia. Só para se ter uma idéia podemos mencionar o nosso aparelho de CD, o controle remoto de nossas TVs, os aparelhos de ressonância magnética em hospitais ou até mesmo o micro-computador que ora usamos na elaboração deste artigo. Todos os dispositivos eletrônicos usados nos equipamentos da chamada high-tech só puderam ser projetados porque conhecemos a mecânica quântica. A título de informação, 30% do PIB americano é devido a estas tecnologias.

Esperando ter convencido o leitor de que estamos longe do terreno da especulação, vamos, então, abordar a primeira parte da pergunta acima lançada. O que é a mecânica quântica?

A mecânica quântica é a teoria que descreve o comportamento da matéria na escala do "muito pequeno", ou seja, é a física dos componentes da matéria; átomos, moléculas e núcleos, que por sua vez são compostos pelas partículas elementares. Muito interessante mas…o que isto nos traz de novo?

A fim de podermos apreciar as novidades que a física quântica pode nos proporcionar, vamos estabelecer alguns conceitos clássicos que nos serão muito úteis adiante.

O primeiro conceito é o de partícula. Para nós este termo significa um objeto que possui massa e é extremamente pequeno, como uma minúscula bolinha de gude. Podemos imaginar que os corpos grandes sejam compostos de um número imenso destas partículas. Este é um conceito com o qual estamos bem acostumados porque lidamos diariamente com objetos dotados de massa e que ocupam uma certa região do espaço.

O segundo conceito é o de onda. Este, apesar de ser também observado no nosso dia a dia, escapa à atenção de muitos de nós. Um exemplo bem simples do movimento ondulatório é o das oscilações da superfície da água de uma piscina. Se mexermos sistematicamente a nossa mão sobre esta superfície, observaremos uma ondulação se afastando, igualmente em todas as direções, do ponto onde a superfície foi perturbada.

O caso particular aqui mencionado é o de onda material, ou seja, aquela que precisa de um meio material para se propagar (a água da piscina no nosso caso). Entretanto, esse não é o caso geral. Há ondas que não precisam de meios materiais para a sua propagação, como é o caso da radiação eletromagnética. Aqui, a energia emitida por cargas elétricas aceleradas se propaga no espaço vazio (o vácuo) como as ondas na superfície da piscina.

Apesar da sua origem mais sutil, a radiação eletromagnética está também presente na nossa experiência diária. Dependendo da sua frequência ela é conhecida como: onda de rádio, FM, radiação infravermelha, luz visível, raios-X e muito mais.

Pois bem, até o final do século XIX tudo o que era partícula tinha o seu movimento descrito pela mecânica newtoniana enquanto que a radiação eletromagnética era descrita pelas equações de Maxwell do eletromagnetismo.

O que ocorreu no primeiro quarto do século XX foi que um determinado conjunto de experiências apresentou resultados conflitantes com essa distinção entre os comportamentos de onda e de partícula. Estes resultados podem ser resumidos em uma única experiência que passamos a descrever, em seguida, na sua versão clássica.

Imagine que uma onda, material ou não, incida sobre um anteparo opaco onde haja duas fendas (ver figura abaixo). Cada uma das fendas passa então a ser fonte de um novo movimento ondulatório. Uma característica fundamental deste movimento é o fenômeno de interferência, que reflete o fato das oscilações provenientes de cada uma das fendas poderem ser somadas ou subtraídas uma da outra. Colocando-se agora um segundo anteparo, distante do primeiro, onde iremos detetar a intensidade da onda que o atinge, observaremos como resultado uma figura que alterna franjas com máximos e mínimos da intensidade da onda. Esta é a chamada figura de interferência.


a) arranjo experimental


b) visão frontal do segundo anteparo


Vamos agora repetir a mesma experiência com a diferença que, ao invés de ondas, incidimos partículas sobre o primeiro anteparo. O que ocorre nesta nova situação é a presença de duas concentrações distintas de partículas atingindo o segundo anteparo. Aquelas que passam por uma ou outra fenda, como mostra a figura abaixo.



Este seria, portanto, o resultado esperado pela física clássica. Entretanto, quando esta experiência é feita com partículas como elétrons ou nêutrons, ocorre o inesperado: forma-se no segundo anteparo uma figura de interferência na concentração de partículas que a atingem, como mostramos em seguida.



Ainda mais estranho é a repetição desta mesma experiência com apenas uma partícula.
Ela passa pelo primeiro anteparo e atinge o segundo em apenas um ponto. Vamos, então, repetir esta mesma experiência um número enorme de vezes. O resultado é que em cada experimento o ponto de deteção no segundo anteparo é diferente. Entretanto, sobrepondo todos os resultados obtidos nos segundos anteparos de cada experiência obtém-se, novamente, a mesma figura de interferência da figura anterior!

Assim, mesmo falando de apenas uma partícula, nos vemos obrigados a associá-la a uma onda para que possamos dar conta da característica ondulatória presente no nosso exemplo. Por outro lado, devemos relacionar esta onda à probabilidade de se encontrar a partícula em um determinado ponto do espaço para podermos entender os resultados de uma única experiência de apenas uma partícula. Este é o chamado princípio da dualidade onda-partícula.

Um outro fato intrigante ocorre quando tentamos determinar por que fenda a partícula passou. Para resolver esta questão podemos proceder fechando uma das fendas para ter certeza que ela passou pela outra fenda. Outra surpresa: a figura de interferência é destruida dando lugar a apenas uma concentração bem localizada de partículas, a daquelas que passaram pela fenda aberta! Portanto, ao montarmos um experimento que evidencia o carater corpuscular da matéria, destruimos completamente o seu carater ondulatório, ou seja, o oposto ao caso com as duas fendas abertas. Este é o princípio da complementaridade.

De uma forma geral podemos interpretar os resultados do experimento aqui descrito como os de um sistema sujeito a uma montagem na qual o seu comportamento depende de alternativas A e B (no nosso caso, a passagem da partícula por uma das fendas). Enquanto que na mecânica clássica o sistema escolhe A ou B, aleatoriamente, na mecânica quântica estas duas alternativas interferem. Entretanto, ao questionarmos, ou melhor, medirmos, por qual alternativa o sistema opta, obteremos o resultado clássico.

Um sistema quântico, ao contrário do clássico, só pode ser descrito através das possíveis alternativas (não necessariamente apenas duas) que a nossa montagem apresente para ele. A onda associada ao sistema carrega a possibilidade de interferência entre as diferentes alternativas e é a informação máxima que podemos ter sobre o sistema em questão.

A aplicação desta teoria a problemas nas escalas atômicas e sub-atômicas apresenta resultados como a quantização da energia ou o tunelamento quântico que, por si só, já mereceriam a elaboração de um outro artigo para que o leitor pudesse apreciá-los.

O mais interessante é que a mecânica quântica descreve, com sucesso, o comportamento da matéria desde altíssimas energias (física das partículas elementares) até a escala de energia das reações químicas ou, ainda de sistemas biológicos. O comportamento termodinâmico dos corpos macroscópicos, em determinadas condições, requer também o uso da mecânica quântica.

A questão que nos resta é então; por quê não observamos estes fenômenos no nosso cotidiano, ou seja, com objetos macroscópicos? Bem, há duas razões para isso. A primeira é que a constante de Planck é extremamente pequena comparada com as grandezas macroscópicas que têm a sua mesma dimensão. Baseados neste fato, podemos inferir que os efeitos devidos ao seu valor não nulo, ficarão cada vez mais imperceptíveis à medida que aumentamos o tamanho dos sistemas. Em segundo lugar, há o chamado efeito de descoerência. Este efeito só recentemente começou a ser estudado e trata do fato de não podermos separar um corpo macroscópico do meio onde ele se encontra. Assim, o meio terá uma influência decisiva na dinâmica do sistema fazendo com que as condições necessárias para a manutenção dos efeitos quânticos desapareçam em uma escala de tempo extremamente curta.

Entretanto, as novas tecnologias de manipulação dos sistemas físicos nas escalas micro ou até mesmo nanoscópicas nos permitem fabricar dispositivos que apresentam efeitos quânticos envolvendo, coletivamente, um enorme número de partículas. Nestes sistemas a descoerência, apesar de ainda existir, tem a sua influência um pouco reduzida, o que nos permite observar os efeitos quânticos durante algum tempo.

Uma aplicação importante para alguns destes dispositivos seria a construção de processadores quânticos, o que tornaria os nossos computadores ainda mais rápidos. Nesta situação a minimização dos efeitos da descoerência é altamente desejável pois, em caso contrário, estes processadores de nada iriam diferir dos processadores clássicos.

Como podemos ver, tudo indica que a mecânica quântica seja a teoria correta para descrever os fenômenos físicos em qualquer escala de energia. O universo macroscópico só seria um caso particular para o qual há uma forma mais eficiente de descrição; a mecânica newtoniana. Esta pode ser obtida como um caso particular da mecânica quântica mas a recíproca não é verdadeira.

Muitos autores, por não se sentirem confortáveis com a chamada interpretação ortodoxa ou de Copenhagen da mecânica quântica, tentam criar teorias alternativas para substituí-la. Entretanto, cabe notar que, apesar da sua estranheza, a mecânica quântica não apresentou qualquer falha desde que foi elaborada na década de 20, o que não nos proporciona evidência experimental que aponte para onde buscar as questões capazes de derrubá-la.


Amir O. Caldeira é professor do Instituto de Física Gleb Wataghin da Unicamp.
FONTE:
http://www.doutrina.linear.nom.br/cientifico/F%EDsica/A%20F%EDsica%...

publicado por luzdecuraeamor às 22:09
link do post | comentar | favorito
|

LIVRO: FISICA QUANTICA E ESPIRITUALIDADE


LIVRO: FISICA QUANTICA E ESPIRITUALIDADE
Este livro apresenta uma profunda teoria criada pelo professor Laércio, utilizando-se dos conceitos da física quântica para explicar a espiritualidade e seus fenômenos, visto até agora como assuntos meramente religiosos.

O livro traz em seus primeiros capítulos conceitos e teorias da física quântica, desenvolvidas por Einstein, Born, Schoedinger, para que os leigos no assunto possam ter uma base de como funciona os princípios atômicos, possibilitando uma melhor compreensão dessa inovadora teoria.

Alguns dos conceitos abordados são:
- Postulado de Planck;
- Efeito fotoelétrico;
- A dualidade partícula-onda;
- O principio da incerteza;
- O modelo atômico;
- Os postulados de Bohr;
- Mecânica quântica;
- A teoria da relatividade de Einstein.

A teoria criada pelo professor mostra a consciência humana como sendo uma quinta partícula atômica assim como o elétron, o próton, o nêutron e o fóton.
Partindo desse principio o professor aplica à consciência as leis que regem os objetos atômicos e consegue explicar de forma bem clara fenômenos desacreditados pela ciência, tais como a mediunidade, materializações, telepatia, projeção da consciência fora do corpo, incorporação e vida após a morte.

O livro traz também uma explicação para assuntos como buracos negros e portais quânticos de transporte de matéria e fenômenos ufológicos.
Para os leigos em física, o livro traz uma linguagem bem simples. E para os cientistas há no final do livro um apêndice matemático com todas as formulas utilizadas para a elaboração da teoria.
O objetivo aqui é acrescentar à discussão sobre a espiritualidade è classe cientifica, elevando o nível de tais discussões ao patamar de ciência e entre os espiritualistas agregar o conhecimento cientifico aos argumentos até então classificados como religiosos, místicos ou esotéricos.

fonte:
http://pt.shvoong.com/books/1758438-fisica-quantica-espiritualidade/


Livro FÍSICA QUÂNTICA E ESPIRITUALIDADE
Uma abordagem altamente científica sobre os fenômenos paranormais e espirituais.

Autor: Prof. Laércio Fonseca
Físico formado pela Unicamp com especialização em Astrofísica e Cosmologia

Sinopse:
Introdução a Física Quântica / Modelo Quântico de Consciência / Consciência Fora da Matéria / A Nova Física e a Ciência do Terceiro Milênio / Fenômenos Paranormais Explicados pela Física Quântica

O professor Laércio B. Fonseca, físico e especializado em astrofísica, acaba de concluir seu mais recente livro sobre ufologia: FÍSICA QUÂNTICA E ESPIRITUALIDADE. Essa obra contém uma análise extremamente científica dos fenômenos paranormais e espirituais.
Utilizando as mais modernas teorias científicas da atualidade o professor desenvolve modelos, capaz de explicar com clareza esses fenômenos, bem como funcionam os mecanismos mediúnicos. Temos a certeza que esse livro trará para todos uma nova vertente de pesquisa e estudo bem como levando esses assuntos, pela primeira vez, a um status científico dessa natureza.
O professor Laércio pretende demonstrar quantitativamente todas essas questões e abrir um campo, pela primeira vez, de se discutir espiritualidade dentro de parâmetros altamente técnicos e dentro de modelos científicos aceitáveis a toda ciência atual. Queremos inaugurar, com isso, uma nova fase da parapsicologia mundial que está sendo incorporada a ciência moderna. Essa Nova Ciência está fundamentada em uma corrente científica nos meios da física denominada NOVA FÍSICA. A Nova Física é uma vertente dentro da física atual que leva em consideração a consciência como parte integrante das teorias físicas, ou seja, é imprescindível que a vida, a consciência integre daqui para frente qualquer modelo científico para explicar qualquer fenômeno no universo.

ÍNDICE DO LIVRO

INTRODUÇÃO À FÍSICA QUÂNTICA

1-O postulado de Planck
2-A teoria quântica de Einstein sobre o efeito fotoelétrico
3-O efeito Compton
4-Estados ondulatórios da matéria
5-A dualidade partícula-onda
6-O princípio da Incerteza
7-O modelo atômico – Espectros atômicos
8-O postulado de Bohr – O modelo do átomo de hidrogênio de Bohr
9-Níveis de energia e estados quânticos
10-Saltos quânticos
11-A mecânica quântica e a teoria de Schöedinger
12-A interpretação de Born para a função de onda – Densidade de probabilidade
13-Núcleo atômico – Forças nucleares
14-O caráter quântico de prótons e nêutrons
15-Níveis quânticos nucleares

INTRODUÇÃO À RELATIVIDADE DE EINSTEIN

1-Relatividade galileana
2-A teoria da relatividade de Einstein
3-Modificações gerais na relatividade galileana
4-Novos conceitos de tempo e espaço
5-Mudanças nos conceitos de massa e energia
6-Teoria da relatividade e espiritualidade
7-Teoria da relatividade geral de Einstein
8-Um novo conceito sobre gravitação
9-Novos modelos em geometria do espaço-tempo
10-Linhas curvas são distâncias mais curtas entre dois pontos
11-Catástrofes gravitacionais e buracos negros
12-Estrelas de nêutrons, supernovas, buracos negros
13-Sistemas estelares candidatos a buracos negros
14-Buracos brancos e buracos de minhocas – Modelos alternativos para deslocamentos interestelares

O paradoxo Einstein-Podolsky-Rosen ( EPR )

1-Eventos locais e não-locais. Localidade e não-localidade (eventos com velocidades acima da luz)
2-Teoria das supercordas e universos paralelos. Teorias das multidimensões
3-Teoria dos campos unificados – A unificação da física
4-A teoria da supercordas e a ufologia
5-A experiência de Aspect com fótons singlet (evento significativo para compreendermos fenômenos ufológicos)
6-Estados quânticos da matéria – Uma porta para compreendermos os ufos e os seres extraterrestres
7-Teoria de campo de Einstein (conceitos importantes para compreendermos a consciência quântica)
8-Energia de campo oscilante (novo modelo sobre a estrutura da matéria)
9-A quantização do campo de energia oscilante (modelo para explicar o estado da matéria em outras dimensões)
10-Universos quânticos múltiplos (Universos paralelos a N dimensões)
11-Barreiras quânticas entre subuniversos (Distâncias energéticas entre os universos paralelos)
12-Radiação de transição entre saltos quânticos entre subuniversos (novo conceito de radiação quântica)
13-O fenômeno da consciência e da vida nos múltiplos universos (modelo para explicar a vida como um fenômeno que habita em todos os níveis do universo)
14-Física quântica e a nova Física ( Nova vertente da física moderna que incorpora a consciência como parte integrante de seus modelos físicos)
15-A nova física e o modelo da consciência quântica (Modelo quântico da consciência para explicar os fenômenos paranormais e atividades extraterrestres)
16-Através do modelo da consciência quântica poderão ser explicados vários fenômenos paranormais tais como: telepatia, visão à distância, consciência extrafísica, projeção astral, imagens pré-cognitiva, enfim muitos fenômenos paranormais ligados a fenomenologia ufológica.
17-Estados singlet da consciência (Como consciências podem interagir à distância, e como seres extraterrestres podem comunicar-se telepaticamente conosco amplificando sinais telepáticos)
18-Consciências individualizadas e consciência cósmica. (Teoria de campo da consciência)
19-Consciência fora da matéria (Modelo para explicar a existência de vida fora do corpo e para demonstrar a origem extrafísica de nosso espírito e de nossa consciência)
20-Níveis quânticos da consciência (Consciente, subconsciente e inconsciente)
21-Iluminação e saltos quânticos da consciência (Estados elevados de consciência explicado através do modelo quântico)
22-Estados ondulatórios da consciência (Modelos matemáticos para explicar como funciona nossas consciências e como mudar seus estados vibratórios e atingir estados elevados de consciência)
23-Expansão da consciência e mudanças na freqüência cerebral (como modificar a estrutura da consciência para expandir nossas capacidades mentais)
24-O experimento de interações não locais da consciência realizadas por Grimberg-Zylberbaum (Experiência pratica realizada por cientistas para comprovar o modelo quântico da consciência)
25-Comunicação quântica. Comunicação interestelar e interdimensional sem delay (Comunicação a distância sem utilização de sinais eletromagnéticos)
26- Experiências fora do corpo e o modelo da consciência quântica (viagens astrais e contatos com espíritos fora do corpo)

FONTE: http://www.conscienciacosmica.com.br/laerciofonseca-07.htm

O Livro também está disponível na Loja

http://www.conscienciacosmica.com.br/apresenta.htm

publicado por luzdecuraeamor às 22:04
link do post | comentar | favorito
|

Salmos de 2010


Salmo pessoal de 2010: Salmo 29

Este salmo:

* protege contra as maldades, principalmente contra animais;
* dá consciência para que os homens reconheçam seus próprios atos;
* ajuda a ter paz, boa saúde e longevidade;
* fortalece o amor paternal e filial, além de conferir respeito e obediência das crianças para com os mais velhos;
* fortalece contra a severidade, a crueldade, a violência e os vícios, como o da bebida;
* ilumina as pessoas desesperadas, com pensamentos suicidas, revelando um novo caminho.

Graças por escapar de um grande perigo

Salmo de Davi, cantado para a dedicação do templo

1. Eu exalto o nome do Senhor,
Porque me livrou e
Não permitiu que os maus
Se alegrassem a custa
De meu sacrifício.

2. Senhor, meu Deus,
Eu O chamei e me ajudou,

3. Fez com que meu espírito
Retornasse a meu corpo,
E antes que acreditassem
Ser meu fim,
Salvou-me.

4. Ao Senhor, com seus anjos,
Eu cantarei
Salmos e graças darei ao Seu
Santo nome.

5. Pois o Senhor
Não se zanga nem por um momento.
Sua bondade recebi minha vida inteira.
À tarde chorei, mas pela manhã
Senti alegria.

6. Então,
Certo por toda a segurança,
Meu coração dizia:
"Não vacilarei nunca!"

7. Por pura graça
O Senhor
Me deu honra e poder.
Quando senti que Ele
Não mais me protegia,
Me vi perturbado.

8. Ao Senhor
Eu clamo e peço
A compaixão, tão própria
De meu Deus.

9. Que utilidade terei eu
Do outro lado da vida?
Com certeza
O pó não louva nem
Proclama fidelidade ao Senhor.

10. Ouça Senhor,
E compadeça-se de mim.
Venha, Senhor,
Em meu socorro.

11. Transformei meu pranto
Em festa.
Foi tanta alegria
Que minhas vestes se rasgaram.
O Senhor me encheu de felicidade e Vida,

12. Para que minha
Alma cante.
E em tempo algum
Quero deixar de enaltecê-lo.
Senhor, meu Deus,
Direi para sempre
Seus louvores.





Salmo coletivo de 2010

Salmo 31

Este salmo era um dos preferidos de Santo Agostinho, pois representa a fraternidade entre os homens. Favorece os estudos, a perseverança e confere positivismo. Dá estabilidade e afasta as influências espirituais maléficas.

1. Feliz aquele que
Sua falta foi perdoada
E através do seu erro, obteve a remissão.

2. Feliz aquele em que
O Senhor não vê culpa alguma
E que não tem,
Presente no espírito
À vontade em lesar seu próximo.

3. Enquanto estive calado,
Perdi a fome e só chorei.

4. Dia e noite, senti sua Proteção
Fortificando meu vigor
Como se estivesse aquecido em
Pleno inverno

5. Contei meus erros
E não escondi mina culpa
Falei: "Senhor, cometi algumas faltas".
E o Senhor me perdoou.

6. Por isso, todo homem
Deve recorrer ao Senhor. Quando as
Águas transbordarem, o homem que
Crê no Senhor, não será atingido.

7. O Senhor é meu protetor.
Ele me preserva e envolve meu ser
Na alegria da libertação.

8. O Senhor falou:
"Vou instruí-lo sobre o caminho
Certo a seguir. Mostrarei fazendo de
Seus olhos, os meus.

9. Não queira ser como um asno
Ou um cavalo; neles faltam
O dom da inteligência e do
Entendimento, e por isso são
Domados a cabresto e freios.
Para sentir com maior intensidade
Minha proteção e a presença
Divina, não aja assim".

10. Não aja com a maldade do perverso
Mas sim, viva cercado
Da compaixão que envio dos céus

11. Sim! Alegria e felicidade
Aos justos e a todos os que têm
Esperança em Deus
Amém.



AUTORIA DE: Monica Buonfiglio


publicado por luzdecuraeamor às 22:01
link do post | comentar | favorito
|

A Loja dos Mestres



As Divisões

Consideramos os mais altos cargos nas fileiras da Hierarquia de nosso planeta. Lidaremos agora com o que podemos chamar as duas divisões nas quais os membros remanescentes se dividem. Elas formam, literalmente, duas Lojas dentro do corpo maior:

A – A Loja “----“, composta por iniciados que passaram pela quinta Iniciação e por um grupo de devas, ou anjos.

B – A Loja Azul, constituída por todos os iniciados de terceira, quarta e quinta iniciações.

Abaixo destes, vem um grupo maior de iniciados da primeira e segunda iniciações e, então, os discípulos de todos os graus. Os discípulos são considerados filiados à Loja mas não são, efetivamente, membros dela. Finalmente, vêm aqueles que estão em prova e que têm esperança de, através de um esforço intenso, atingir a filiação.

Sob um outro ângulo, podemos considerar os membros da Loja como reunidos em sete grupos, cada grupo representando um tipo da energia sétupla planetária, emanando do Logos Planetário. A divisão tríplice foi dada primeiro; como sempre, na evolução, temos os três maiores (manifestando-se através de três departamentos) e então os sete, estes sete mostrando-se, por sua vez, como uma diferenciação tríplice e um setenário. Os estudantes devem ter em conta que tudo o que é dado aqui se refere à obra da Hierarquia em relação com o quarto reino, ou humano, e refere-se especialmente àqueles Mestres Que trabalham em relação com a humanidade. Fôssemos lidar com a evolução, a inteira tabulação e a divisão teriam que diferir desta.




Novamente, há certos aspectos do trabalho hierárquico afetando, por exemplo, o reino animal; este trabalho põe em atividade seres e trabalhadores e adeptos, totalmente distintos dos servidores do quarto reino, ou humano. Portanto, os estudantes deveriam ter cuidadosamente em conta que todos estes detalhes são relativos e que a obra e o pessoal da Hierarquia são infinitamente maiores e mais importantes do que possa parecer pela leitura superficial destas páginas. Certamente estamos lidando com o que pode ser considerado sua obra principal pois, no serviço ao reino humano, nos ocupamos com a manifestação dos três aspectos da divindade, mas os outros departamentos são interdependentes e o trabalho progride como um todo sintético.

Os adeptos que atuam em relação com a evolução da família humana serão sessenta e três, se os três grandes Senhores forem contados para perfazer os nove vezes sete necessários à obra. Destes, quarenta e nove trabalham, por assim dizer, exotericamente, e quatorze, esotericamente, estando preferentemente ocupados com a manifestação subjetiva. Não são muitos os nomes conhecidos pelo público, nem seria prudente, em muitos casos, revelar Quem são Eles, onde habitam e qual é a Sua esfera particular de atividade. Uma minoria bem pequena, devido ao carma grupal e a um desejo de assim sacrificarem-Se, tem aparecido perante os olhos do público durante os últimos cem anos e, portanto, certas informações concernentes a estes podem ser dadas. Um número considerável de pessoas no mundo está, hoje em dia, ciente de Sua existência, independentemente de qualquer particular escola de pensamento, e a percepção de que Aqueles a Quem assim eles conhecem pessoalmente, são cooperadores num programa de grandes e unificados esforços, pode encorajar estes reais conhecedores a testemunhar seu conhecimento e assim estabelecer, sem controvérsia, a realidade de Sua obra. Certas escolas de ocultismo e de esforço teosófico declararam serem os únicos repositórios de seus ensinamentos e o único canal de Sua atividade, limitando, assim, aquilo que Eles fazem e formulando premissas que o tempo e as circunstâncias deixarão de confirmar. Eles muito certamente trabalham através de tais grupos de pensadores e lançam muito de Sua força no trabalho de tais organizações, embora tenham, não obstante, Seus discípulos e seguidores por toda parte e trabalham através de muitas corporações e de muitos aspectos dos ensinamentos. Por todo o mundo, discípulos destes Mestres vieram à encarnação, nesta época, com o único intento de participar nas atividades, ocupações e disseminação da verdade por meio de várias igrejas, ciências e filosofias, produzindo assim, dentro das próprias organizações, uma expansão, um alargamento e uma desintegração, quando necessário, que de outro modo seria impossível. Convém a todos os estudiosos do ocultismo, em toda parte, reconhecerem estes fatos e cultivarem a habilidade de reconhecer a vibração hierárquica, conforme ela se demonstra por meio dos discípulos, nos lugares e grupos mais inesperados.

Uma particular advertência deve aqui ser feita em relação ao trabalho dos Mestres através de Seus discípulos, e é a seguinte: Todas as várias escolas de pensamento que são nutridas pela energia da Loja são, em todos os casos, fundadas por um ou vários discípulos, e sobre eles, e não sobre o Mestre, recai a responsabilidade pelos resultados e o carma conseqüente. O método de procedimento é aproximadamente o seguinte: O Mestre revela a um discípulo o objetivo em vista para um pequeno ciclo imediato e sugere-lhe que tal e tal desenvolvimento será desejável. O trabalho do discípulo consiste em determinar o melhor método para produzir os resultados desejados e formular os planos pelos quais uma certa percentagem de sucesso será possível. Então, o discípulo lança seu esquema, funda sua sociedade ou organização e dissemina o ensino necessário. A responsabilidade de escolher os cooperadores certos, de passar o trabalho para as mãos dos mais capazes e de revestir o ensinamento com uma roupagem apresentável é sua própria. Tudo que o Mestre faz é observar com simpatia e interesse o esforço, enquanto ele mantém seu alto ideal inicial e prossegue, com altruísmo puro, no seu labor. Não se deve culpar o Mestre se o discípulo mostrar falta de discriminação na escolha dos cooperadores, ou evidenciar uma incapacidade para representar a verdade. Se ele falhar, ou se seus sucessores se desviarem do impulso original, assim disseminando todo tipo de erro, com Seu amor e com Sua simpatia, o Mestre retirará aquela bênção, reterá Sua energia e assim cessará de estimular aquilo que seria melhor morrer. As formas podem variar e o interesse do Mestre e Sua bênção derramar-se por este ou aquele canal; a obra pode prosseguir por um meio ou outro, mas sempre a força da vida persiste, destruindo a forma onde se mostrar inadequada ou utilizando-a quando suficiente para a necessidade imediata.

Alguns Mestres e Sua Obra

Sob o primeiro grande grupo do qual o Manu é o chefe, podem ser encontrados dois Mestres, o Mestre Júpiter e o Mestre Morya. Ambos passaram além da Quinta iniciação e o Mestre Júpiter, Que é também o Regente da Índia, é venerado por toda a Loja de Mestres como o mais velho dentre Eles. Ele vive nas colinas Nilgherry, na Índia Meridional e não é um dos Mestres Que, usualmente, aceite alunos, pois Ele conta, entre Seus discípulos, com iniciados de alto grau e um número considerável de Mestres. Em Suas mãos estão as rédeas do governo da Índia, incluindo uma grande parte da fronteira do norte e a Ele está confiada a árdua tarefa de guiar a Índia, finalmente, para fora de seu presente caos e inquietude, e de caldear seus diversos povos numa síntese última. O Mestre Morya, Que é um dos mais conhecidos pelos adeptos acidentais, conta, entre Seus discípulos, com grande número de europeus e americanos, é um Príncipe Rajput e, por muitas décadas, manteve uma posição de autoridade nos assuntos da Índia.

Ele trabalha em íntima cooperação com o Manu e ocupará, eventualmente, o posto de Manu na sexta raça-raiz. Ele reside, como seu Irmão, o Mestre Koot Humi, em Shigatse, nos Himalaias, e é uma figura bem conhecida para os habitantes daquela vila longínqua. Ele é um homem de alta estatura e presença imponente, barba e cabelos escuros e olhos escuros, e poderia ser considerado severo, não fosse pela expressão de Seus olhos. Ele e Seu Irmão, o Mestre Koot Humi, trabalham quase como uma unidade e o tem feito por muitos séculos e continuarão no futuro, pois o Mestre Koot Humi se prepara para o cargo de Instrutor do Mundo, quando o presente ocupante daquele posto o deixar para um mais alto trabalho e a sexta raça-raiz vier à existência. As casas nas quais Eles residem são próximas e muito de Seu tempo é gasto na mais estreita associação. Como o Mestre Morya está sob o primeiro Raio, o da Vontade ou Poder, Seu trabalho relaciona-se grandemente com a execução dos planos do presente Manu. Ele atua como o Inspirador dos estadistas do mundo e manipula forças que através do Mahachohan, produzirão as condições desejadas para o adiantamento da evolução racial. No plano físico, aqueles grandes executivos nacionais que têm visão ampla e ideal internacional são influenciados por Ele; e com Ele cooperam certos devas superiores do plano mental e três grandes grupos de anjos trabalham com Ele em níveis mentais, em conexão com os devas menores que vitalizam os pensamentos-forma e, assim, mantém vivos os pensamentos-forma dos Guias da raça para o benefício de toda a humanidade. O Mestre Morya tem um grande corpo de alunos sob instrução e trabalha em conexão com muitas organizações de tipo esotérico e oculto, assim como através dos políticos e estadistas do mundo.

O Mestre Koot Humi, Que é também muito conhecido no ocidente e tem muitos alunos por toda parte, é originário de Cachemira, embora a família tenha vindo originariamente da Índia. Ele é também um iniciado de alto grau e está sob o segundo Raio ou o de Amor-Sabedoria. É um homem de nobre presença, alto, embora, de porte mais delgado que o do Mestre Morya Ele tem cútis clara, barba e cabelo castanho dourado e olhos de um maravilhoso azul profundo, através dos quais parecem fluir o amor e sabedoria das idades. Ele teve uma ampla experiência e enorme cultura, tendo sido educado originalmente numa das universidades britânicas e fala inglês fluentemente. Ele lê ampla e extensamente e todos os correntes livros e literatura, em várias línguas, encontram caminho para Seu estúdio nos Himalaias. Interessa-se grandemente pela vitalização de algumas das principais filosofias e por um certo número de obras filantrópicas. A Ele é dado, em grande parte, o trabalho de estimular a manifestação de amor latente nos corações de todos os homens e de despertar, na consciência da raça, a percepção do grande fato fundamental da fraternidade.

Nesta época, em particular, os Mestres Morya, Koot Humi e Jesus estão intimamente interessados na obra de unificar, tanto quanto possível, os pensamentos oriental e ocidental, de tal maneira que as grandes religiões do Oriente, e a fé cristã, com o último desenvolvimento alcançado em seus muitos ramos, possam beneficiar-se mutuamente. Assim, finalmente, tem-se a esperança que uma grande Igreja Universal possa surgir.

O Mestre Jesus, Que é o ponto focal da energia que flui através das várias igrejas cristãs, está presentemente vivendo num corpo sírio e mora em certo lugar da Terra Santa. Ele viaja muito e passa um tempo considerável em várias partes da Europa. Ele opera especialmente com as massas, mais do que com indivíduos, embora tenha reunido ao Seu redor um grupo de alunos mais ou menos numeroso. Ele está sob o sexto Raio, da Devoção ou do Idealismo Abstrato e Seus alunos são freqüentemente distinguidos por aquele entusiasmo e devoção que os mártires, nos primórdios dos tempos cristãos, manifestaram. Ele mesmo é, sem dúvida, uma figura marcial, um disciplinador e um homem de vontade e controle de ferro. Ele é alto e magro, com uma face fina e um tanto longa, cabelos pretos, cútis pálida e olhos azuis penetrantes. Seu trabalho nesta época é de grande responsabilidade, pois a Ele incumbe resolver o problema de dirigir o pensamento do Ocidente, de seu presente estado de inquietude, para as águas pacíficas da certeza e do conhecimento, e de preparar o caminho, na Europa e América, para a vinda do Instrutor do Mundo. Ele é bem conhecido da história da Bíblia, aparecendo primeiro como Joshua, o Filho de Nun; aparecendo novamente, na época de Esdras, como Jeshua; passando pela terceira Iniciação, como relatado no Livro de Zacarias, como Joshua; e, na história do Evangelho, é conhecido por dois grandes sacrifícios: um, aquele em que cedeu Seu corpo para ser usado pelo Cristo; e o outro, o da grande renúncia que é a característica da quarta Iniciação. Como Apolônio de Tiana, passou pela quinta Iniciação e Se tornou um Mestre de Sabedoria. Desde aquele tempo, Ele tem permanecido e trabalhado com a Igreja Cristã, nutrindo o germe da verdadeira vida espiritual entre os membros de todas as seitas e divisões e neutralizando, tanto quanto possível, os erros e enganos dos clérigos e teólogos. Ele é, particularmente, o Grande Líder, O General e o sábio Executivo e, em assuntos da Igreja, Ele coopera intimamente com o Cristo, assim economizando-Lhe muito e atuando com o Seu intermediário, onde quer que seja possível. Ninguém conhece tão sabiamente como Ele os problemas do Ocidente, ninguém está tão estreitamente em contato com as pessoas que representam tudo que há de melhor nos ensinamentos cristãos e ninguém está tão ciente da necessidade do momento presente. Certos grandes prelados das Igrejas Católicas e Anglicana são Seus sábios agentes.

O Mestre Djwhal Khul, ou o Mestre DK, como é freqüentemente chamado, é outro adepto no segundo Raio, de Amor-Sabedoria. Ele é, dos Adeptos, o que mais recentemente recebeu a Iniciação, tendo passado pela quinta Iniciação em 1875, e está, portanto, ocupando o mesmo corpo no qual Ele a recebeu; a maioria dos outros Mestres passou pela quinta Iniciação enquanto ocupava veículos anteriores. Seu corpo não é jovem e Ele é tibetano. É muito devotado ao Mestre Koot Humi e ocupa uma casinha não muito distante da deste Mestre. Devido à Sua prontidão em servir e fazer qualquer coisa que precise ser feita, Ele tem sido chamado “O Mensageiro dos Mestres”. É profundamente erudito e sabe mais sobre os raios e as Hierarquias planetárias do sistema solar, do que qualquer outro Mestre. Ele trabalha com aqueles que curam e coopera, desconhecido e invisível, com os pesquisadores da Verdade nos grandes laboratórios do mundo, com todos que definidamente almejam a cura e o alívio do mundo e com os grandes movimentos filantrópicos da humanidade, tais como a Cruz Vermelha. Ele se ocupa com vários discípulos de diversos Mestres que podem tirar proveito de Sua instrução e nos últimos dez anos tem aliviado tanto o Mestre Koot Humi como o Mestre Morya, de uma boa parcela de Sua obra de ensinamento, substituindo-Os, em determinados períodos, junto a alguns de Seus alunos e discípulos. Trabalha, também, amplamente, com certo grupo de devas dos éteres, que são os devas curadores, que assim O ajudam no trabalho de sanar alguns dos males físicos da humanidade. Foi Quem ditou uma grande parte daquele livro momentoso, “A Doutrina Secreta”, e mostrou a H.P.Blavatsky muitos dos quadros representativos e deu-lhe muitos dos dados que são encontrados naquele livro.

O Mestre que se ocupa especialmente com o desenvolvimento futuro dos assuntos raciais na Europa e com o processo de crescimento mental na América e Austrália é o Mestre Rakoczi. Ele é húngaro e tem seu lar nos montes Cárpatos e foi, durante um período, uma figura bem conhecida da corte húngara. Referências a Ele podem ser encontradas em velhos livros de História e esteve particularmente sob as vistas do público quando foi o Conde de St. Germain e, antes ainda, quando foi tanto Roger Bacon como, mais tarde, Francis Bacon. É interessante notar que, à medida que o Mestre Rakoczi se ocupa, nos planos interiores, dos assuntos da Europa, Seu nome como Francis Bacon ganha sempre maior evidência, perante os olhos do público, na controvérsia bacon-shakesperiana. Ele é um tanto baixo, um homem magro, de barba preta e pontuada e cabelo preto liso, e não aceita tantos alunos quanto os Mestres previamente mencionados. Ele está, presentemente, manejando a maioria dos discípulos do terceiro Raio no Ocidente, em conjunto com o Mestre Hilarion. O Mestre Rakoczi está sob o sétimo Raio, o da Ordem cerimonial ou de Magia, e trabalha grandemente através do ritual e cerimonial esotéricos, estando vitalmente interessado nos efeitos, até agora não reconhecidos, do cerimonial Maçônico, das várias fraternidades e de todos as Igrejas. Na Loja, ele é usualmente chamado “O Conde” e, na América e na Europa, atua praticamente como administrador geral para levar a cabo os planos do Conselho Executivo da Loja. Alguns dos Mestres formam, ao redor dos três Grandes Senhores, um grupo interno e reúnem-se em conselho com grande freqüência.

No quinto Raio, o do Conhecimento Concreto ou Ciência, encontramos o Mestre Hilarion que numa encarnação anterior, foi Paulo de Tarso. Ele ocupa um corpo cretense, mas passa grande parte de Seu tempo no Egito. Foi Ele Quem deu ao mundo aquele tratado oculto, “Luz no Caminho” e Sua obra é particularmente interessante para o público em geral na crise atual, pois trabalha com aqueles que estão desenvolvendo a intuição e controla e transmuta os grandes movimentos que tendem a despojar o invisível de seu véu. Dele é a energia que, através de Seus discípulos, está estimulando grupos de Pesquisa Psíquica em toda parte e foi Quem iniciou, através de vários de Seus discípulos, o movimento espírita. Tem sob observação todos aqueles que são psíquicos de ordem superior e os assiste no desenvolvimento de seus poderes para o bem do grupo, e em conexão com certos devas do plano astral. Ele trabalha para abrir, aos pesquisadores da verdade, aquele mundo subjetivo que jaz atrás do grosseiramente material.

Pouco pode ser dito em relação aos dois Mestres ingleses. Nenhum deles aceita alunos como o fazem o Mestre Koot Humi e o Mestre Morya. Um d’Eles, Que reside na Grã-Bretanha, tem em mãos a direção definida da raça Anglo-Saxônica e trabalha nos planos para seu futuro desenvolvimento e evolução. Ele está por trás do Movimento Trabalhista no mundo todo, transmutando-o e dirigindo-o e a presente maré crescente de democracia está sob a sua direção. Do desassossego democrático, do presente caos e turbulência, surgirá a futura condição mundial que terá por tônica a cooperação e não a competição, a distribuição e não a centralização.

Um outro Mestre pode ser aqui brevemente mencionado, O Mestre Serapis, freqüentemente chamado o Egípcio. Ele é o Mestre sob o quarto Raio e os grandes movimentos de arte no mundo, a evolução da música, da pintura e do drama, recebem d’Ele um enérgico impulso. Presentemente, dedicando a maior parte do Seu tempo e atenção à obra da evolução dévica, ou angélica, até que, por seu intermédio, se torne possível a grande revelação ao mundo, da música e da pintura do futuro imediato. Mais sobre Ele não pode ser dito, nem revelado o local onde habita. O Mestre P. trabalha sob a direção do Mestre Rakoczi na América do Norte. É Ele Quem tem muito a haver, esotericamente, com as várias ciências mentais, tais como a Ciência Cristã e o Novo Pensamento, ambas as quais são esforços produzidos pela Loja, num empenho para ensinar aos homens a realidade do que não é visto e o poder criador da mente. Este Mestre ocupa um corpo irlandês, está no quarto Raio e o lugar de Sua residência não pode ser revelado. Muito do trabalho do Mestre Serapis Lhe foi transferido quando Este voltou Sua atenção para a evolução devida.

O Trabalho Atual

Alguns fatos concernentes a estes Mestres e a Seu trabalho no presente e no futuro, podem caber aqui. Primeiro, o trabalho de treinar os alunos e discípulos para adaptá-los a serem de utilidade em dois grandes eventos, um, a vinda do Instrutor do Mundo em meados ou fim do século atual, e o outro, o treinamento para que possam ser úteis no estabelecimento da nova sexta sub-raça e na reconstrução das presentes condições mundiais. Sendo esta a quinta sub-raça da quinta raça-raiz, a pressão do trabalho sobre os cinco raios da mente, que são controlados pela Mahachohan, é muito grande. Os Mestres estão suportando um fardo ultrapassado e grande parte de Sua obra de ensinar discípulos foi delegada a iniciados e discípulos avançados, enquanto certos Mestres do primeiro e segundo Raios aceitaram, temporariamente, alunos do departamento do Mahachohan.

Em segundo lugar, a preparação do mundo, em grande escala, para a vinda do Instrutor Mundial e a tomada das providências necessárias antes que Eles Mesmos possam aparecer entre os homens, como muitos certamente o farão antes do fim deste século. Um grupo especial está se formando agora entre Eles, o qual se está preparando definitivamente para este trabalho. O Mstre Morya, o Mestre Koot Humi e o Mestre Jesus estarão especialmente ocupados com o movimento, lá pelo último quarto deste século. Outros Mestres também participarão, mas é com estes três, Seus nomes e funções, que o público deve familiarizar-se, sempre que possível. Dois outros Mestres, especialmente relacionados com o sétimo Raio, ou o do Cerimonial, Cujo trabalho particular é o de supervisionar o desenvolvimento de certas atividades dentro dos próximos quinze anos, trabalham sob a direção do Mestre Rakoczi. Bem definidamente, pode-se aqui assegurar que, precedendo a vinda do Cristo, serão feitos ajustes de tal maneira que, à cabeça de todas as grandes organizações, será encontrado, ou um Mestre, ou um iniciado que tenha passado pela terceira Iniciação. À testa de certos grandes grupos ocultos, dos Maçons e das várias grandes divisões da Igreja, e residentes em muitas nações, serão encontrados iniciados ou Mestres. Esta obra dos Mestres está prosseguindo agora e todos os Seus esforços têm sido envidados para trazê-la a bom termo. Em toda parte, Eles estão arrebanhando aqueles que, de alguma maneira, mostram uma tendência a responder às vibrações mais altas, procurando intensificar suas próprias vibrações e adaptá-los de sorte a que eles possam ser úteis quando da vinda do Cristo. Grande é a oportunidade, pois, quando o tempo vier, devido à estupenda força de vibração então produzida sobre os filhos dos homens, será possível àqueles que agora fazem o trabalho necessário, dar um grande passo à frente e transpor o portal da iniciação.

Fonte:
http://www.encontroespiritual.org/bhierarquia_aloja.html


Fonte das imagens abaixo:
http://www.magnifica.com.br/loja/catalogogravura.asp







Todas essas ilustrações são pinturas canalizadas pelo Artista Plástico Claudio Gianfardoni,
fica proibida a reprodução parcial ou integral sem previa
autorização do autor.
tags: , , ,
publicado por luzdecuraeamor às 21:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Pensamento de 26/02/2010‏

"Pode-se penetrar no mundo espiritual por várias vias. A meditação
é uma delas. Mas meditar supõe uma preparação. Aqueles que
começam a meditar sem terem adquirido uma certa disciplina
interior, ou seja, o domínio dos seus pensamentos, dos seus
sentimentos, dos seus desejos, começam por vaguear nas regiões
inferiores do plano astral. Aí, eles remexem toda a espécie de
camadas obscuras, povoadas de entidades muitas vezes hostis aos
humanos, e o que eles então vivem chama-se delírio,
fantasmagoria, e não meditação.
Antes de praticar a meditação, é preciso começar por pôr ordem
no seu ser psíquico, senão, mesmo este exercício tão útil e
salutar pode tornar-se muito perigoso."


Omraam Mikhaël Aïvanhov

publicado por luzdecuraeamor às 21:40
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

Princípios do Reiki: Hoje eu abandono a raiva----- Hoje eu abandono as minhas preocupações------ Hoje eu conto com todas as minhas bênçãos------ Hoje eu honro os meus pais, o meu próximo, os meus mestres e os meus alimentos------ Hoje eu ganho a minha vida honestamente------ Hoje eu sou gentil com todas as criaturas vivas------

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Pensamento de 3 de Janeir...

. Energia e Astrologia do d...

. CHEQUES DA ABUNDÂNCIA - F...

. Pensamento 2 de Janeiro d...

. Pensamento 1 de Janeiro d...

. Mensagem de Mãe Maria

. SUA CENTELHA DE DIVINDADE...

. ATIVAÇÃO para 10.10.2010 ...

. Corrente Portal de 10 de...

. Por que a arruda funciona...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008


.tags

. -

. 2010

. a

. anael

. anjos

. arcanjo

. as

. através

. autres-dimensions

. benção

. canalização

. canalizada

. com

. da

. de

. deus

. do

. dos

. e

. em

. fevereiro

. hilarion

. janeiro

. luz

. mãe

. maria

. marlene

. meditação

. mensagem

. mensagens

. mestre

. mestres

. miguel

. o

. oração

. os

. para

. pensamento

. por

. salusa

. todas as tags

.recomendados

DominiodosAnjos